gototopgototop

Preparar a Greve Geral: Notícias sobre as mobilizações nas escolas de todo o país!

Por todo o país, tem despontado mobilizações de estudantes, professores, funcionários, pais e comunidades contra a situação cada vez mais revoltante na qual as gerências federal, estaduais e municipais tem deixado as escolas por todo país. Fica cada vez mais evidente a necessidade de manter a mobilização nas escolas, lutar contra a falta de democracia e as ingerências das secretarias de educação nas escolas.

Somente construindo a Greve Geral por tempo indeterminado, ocupando todas as escolas num crescente movimento nacional, poderemos derrotar os pacotaços, fazer frente aos ataques dos diferentes governos ao nosso direito de estudar e aprender, enfrentar o sucateamento e a privatização do ensino público! Seguem abaixo alguns exemplos das lutas que sacodem do Oiapoque ao Chuí as escolas do país.

Massiva luta pela garantia da educação escolar indígena em Roraima 

roraima indigenas

Quase todas as escolas indígenas de Roraima seguem paralisadas e  centenas de lideranças indígenas, professores, estudantes, tuxauas, jovens, mulheres e demais membros da mobilização indígena voltaram a ocupar a Praça do Centro Cívico, em Boa Vista, na última segunda-feira, dia 24/08. Há quase um mês, as comunidades indígenas de Roraima seguem mobilizados  em defesa do seu direito de estudar e aprender. O movimento definiu como suas principais reivindicações a garantia da aprovação do Plano Estadual de Educação, contemplando a modalidade da educação escola indígena e a saída da secretária de educação do estado, Selma Mulinari.

 

 

Chacina de Osasco, crime de Estado - A ordem do fascismo

Reproduzimos do Centro Brasileiro de Solidariedade aos Povos, disponível em:

https://www.facebook.com/pages/Centro-Brasileiro-de-Solidariedade-aos-Povos-Cebraspo/491826654234077

latuff_maes2

Novamente todo o país assiste indignado mais uma chacina. Dessa vez, primeiramente seis, uma semana depois mais dezenove assassinatos, principalmente de jovens, moradores da periferia de São Paulo, em Osasco e Barueri.

É o que ocorre não só na grande São Paulo, mas milhares de vezes em todos os estados. Policiais civis e militares, como sempre fica evidente, assassinaram recentemente 15 no Cabula na Bahia, 29 em Manaus, como mataram em Vigário Geral, Acari, Candelária, Baixada no Rio, em maio de 2006 em São Paulo, entre muitas outras matanças. O modo de operar dos assassinos que agem em nome da “segurança pública” e o acobertamento e impunidade garantidos pelo judiciário são iguais em todos os lugares.

Não existem leis para o Estado e seus agentes.

O mesmo desprezo pela vida da população se repete. Assim como arrastaram Cláudia Ferreira presa a um camburão pelas ruas depois de a matarem, nas repetidas vezes que invadem as comunidades, assassinam indiscriminadamente jovens e crianças de 10, 13 anos, como no Complexo do Alemão, na Maré, etc. Ocupam, humilham e maltratam, forjam flagrantes e provas contra os filhos do povo, torturam e assassinam. Quando estão fora de serviço seguem agindo da mesma forma nas milícias e nos grupos de extermínio. Tem autorização explícita e estímulo para matar. Isso é o verdadeiro terrorismo de Estado em ação. Essa não é uma realidade “localizada”, não são assassinos que agem isoladamente. É uma política de um tipo de Estado onde se instala o verdadeiro crime organizado, que age de forma ora aberta, ora encoberta. Matam uniformizados e depois do expediente, matam mascarados.

 

Liberdade para os imigrantes turcos, membros da ATIK, presos políticos na Europa!

atik rj

Desde o dia 15 de maio, 12 lideranças da Confederação dos Trabalhadores Turos na Europa (ATIK) estão presos. 7 importantes e destacados lutadores do povo turco foram presos na Alemanha, 1 na França, 3 na Grécia e 1 na Suíça.

Entre os presos políticos estão Müslüm Elma, veterano revolucionário preso político do velho Estado turco durante 22 anos. Erhan Akturk, asilado político na Alemanha desde o início da década de 1990. Haydar Bern, com mais de 65 anos de idade é aposentado e vive na Alemanha há aproximadamente 40 anos. Mehmet Yesilçalı, veterano revolucionário, foi preso político do velho Estado turco durante mais de 15 anos. Sami Solmaz, foi preso em fevereiro de 1994 e sofreu severas torturas, sendo que sua saúde deteriorou-se fortemente devido à greve de fome da qual tomou parte no ano de 2000 durante a transição para as famigeradas "prisões do tipo F".

Esta onda de prisões políticas é resultado de uma odiosa campanha contra a livre organização dos trabalhadores imigrantes turcos encabeçada pelo Ministério da Justiça da Alemanha, violando todas as leis européias e internacionais.

Para atacar a ATIK  o Estado imperialista alemão usa da famigerada Lei "Antiterror" de 2001, em mais uma tentativa de justificar seus escusos e inconfessáveis objetivos. A ATIK é uma organização registrada legalmente nos diversos países onda atua e  está sendo perseguida por sempre deixar claro os seus posicionamentos políticos anti-imperialistas e antifascistas.

 

Os crimes do imperialismo contra a juventude dos países e povos dominados em todo o mundo

No último dia 7, ativistas do MEPR participaram em BH de ato organizado pelo Sindicato dos Trabalhadores da Construção Civil - MARRETA na praça 7, centro da cidade. A atividade faz parte de uma campanha organizada pelo sindicato e que acontece a cada quinze dias, denúnciando para a população os crimes cometidos contra os trabalhadores pelas construtoras e patrões em geral, disfarçados de "acidentes de trabalho". Neste dia específico, o ato também marcou a solidariedade dos trabalhadores brasileiros com os companheiros da ATIK, ativistas turcos presos políticos do imperialismo alemão, e um companheiro do MEPR foi convidado a fazer uma intervenção denunciando os crimes do imperialismo contra a juventude dos países e povos dominados em todo o mundo. Transcrevemos a seguir esta intervenção.

 

 



 

Companheiros, 

Primeiramente, eu gostaria de me referir aqui à passagem dos dez anos do assassinato covarde do jovem brasileiro Jean Charles de Menezes pelo Estado terrorista britânico.

 No último dia 27 de julho, se completaram 10 anos desde que Jean Charles foi morto com 8 tiros à queima-roupa (sendo 7 só na cabeça) pela Scotland Yard, e depois acusado de forma mentirosa de “se parecer com um terrorista procurado”, de “ter pulado a roleta do metrô” e de “ter corrido para pegar o metrô”. Jean era um jovem eletricista de 27 anos que, afugentado pelo desemprego e a carestia no país, foi procurar trabalho na Inglaterra, do qual sempre mandava parte do seu salário para a família no Brasil.

 

jean

 Nos dias anteriores ao seu assassinato, o monopólio da imprensa internacional vinha alardeando a possibilidade de novos “ataques terroristas” principalmente na Inglaterra e na França. Ataques esses, verdadeiros e justos atos de guerra, cometidos na sua maioria por jovens árabes e muçulmanos em resposta às invasões, ocupações e pilhagens de seus países, cometidos por essas mesmas potências imperialistas, entre outras, em sua guerra de rapina às nações e povos oprimidos do Oriente Médio.

 A justificativa para o assassinato de Jean pelo Estado britânico foi a tentativa de impedir atos terroristas no seu país. Porém o Estado britânico não se ocupa de tentar impedir os próprios atos terroristas no Iraque, no Afeganistão e por todo o Oriente Médio e na África, principalmente, ao despejar toneladas de bombas, destruindo vilas inteiras, matando centenas e milhares de pessoas de uma só vez,  na sua busca desenfreada por controlar cada vez mais e maiores territórios no mundo e elevar os lucros de seus monopólios à alturas cada vez maiores.

 

Estudantes Colégio Estadual Antônio Prado Junior resistem à Pátria Educadora de Dilma/PT - Cabral/Pezão/PMDB

 

Seguindo a cartilha de cortes na educação públicada “Pátria Educadora” de Dilma/PT,a gerência estadual de Cabral/Pezão/PMDB aplicou essas mesmas medidas na educação estadual do Rio de Janeiro, o que já é sentido pelos estudantes e professores.No último dia 22/07 expirou o contrato com a empresa terceirizada AVX que alugava os aparelhos de ar condicionado para as escolas estaduais.O Rio tem neste ano o inverno mais quente dos últimos anos, já na segunda-feira (10/08)alunos estudavam sob intenso calor.

Na última quinta-feira (13/08), os estudantes do Colégio Estadual Antônio Prado Junior, se tornaram mais um alvo da retirada dos aparelhos — que agudiza a situação cada vez mais precária da escola. Após a retirada do ar condicionado, estudantes da escola se mobilizaram na sexta-feira dia 14/08, se organizaram em manifestação, se recusaram a entrar na escola e seguiram em ato até Praça da Bandeira - conhecido ponto de mobilização secundarista no Rio de Janeiro.

 

Mobilizações estudantis em todo país contra precarização da educação

Por todo o país, tem despontado mobilizações estudantis contra a situação cada vez mais revoltante na qual as gerências federal, estaduais e municipais tem deixado as escolas por todo país. Reproduzimos abaixo algumas notícias.

 

 



Estudantes e pais bloqueiam rodovia em Porto Alegre, denunciando descaso do governo

 

Mais de 150 estudantes da Escola Estadual Doutor Emílio Kemp realizaram um protesto na Avenida Ipiranga, próximo à Rua Monteiro Lobato, em Porto Alegre, na noite desta segunda-feira (17/08). A avenida ficou bloqueada das 19h até 21h20. Os estudantes que contam com o apoio dos pais, professores e da comunidade denunciam a demora na remoção de uma árvore que desabou no mês passado, deixando a escola há mais de 20 dias sem água, luz e telefone.

RS

 

 

NOTA DE REPÚDIO À VIOLENCIA DA GUARDA MUNICIPAL CONTRA OS PROFESSORES DA REME

 

Reproduzimos de http://adufms.org.br

Os docentes presentes na Assembleia Geral desta quarta-feira (5/08/15), convocada pelo Comando de Greve e pelo Sindicato dos Docentes da UFMS, repudia a ação truculenta de membros da Guarda Municipal, alguns inclusive à paisana e sem identificação, contra os professores da Rede Municipal de Ensino, na Câmara de Vereadores de Campo Grande, nesta última terça-feira.

Lamentamos que o atual prefeito, Gilmar Olarte (PP), fosse capaz de organizar uma força tarefa capaz de reprimir a categoria. Ao invés de violência, usando do aparato público, deveria encontrar uma solução negociável para a greve, buscar outras alternativas administrativas para equilibrar as finanças do município, e cumprir seu próprio decreto, aprovado pela Câmara dos Vereadores, garantindo o reajuste legal e legítimo de 13,01% para equiparação do Piso Salarial Profissional Nacional (PSPN), instituído pela Lei Federal n. 11.738/2008.

MS

Nossa categoria estende a sua indignação ao Presidente do Legislativo Municipal, Vereador Mário César (PMDB) e aos demais Vereadores da bancada de sustentação do Prefeito, ao permitir a permanência de guardas municipais, com vestimentas de tropa de choque, dentro da sessão, sem nenhuma justificativa plausível, pois, os professores da REME protestavam de forma pacífica, distribuindo pacotes de cafezinhos aos motoristas e vereadores. Ao ter o nome citado nas denúncias da operação lama-asfáltica, cabe a este parlamentar prestar explicações à sociedade e formular seu pedido afastamento até a conclusão das investigações por parte da Polícia Federal, do Gaeco e do Ministério Público Estadual.

 

Caminhada em defesa da educação pública - Recife

 

Na última quarta-feira (12 de Agosto), estudantes, técnicos administrativos e docentes das instituições federais de Pernambuco (UFPE, UFRPE e IFPE) se reuniram em uma grande “Caminhada em defesa da educação pública”.

O ato tinha como objetivo principal denunciar os cortes de verbas na educação e as medidas antioperárias do governo Dilma (PT) como arrocho salarial, as terceirizações, os cortes de bolsas estudantis e as contratações de professores/as via Organizações Sociais (OS).

Cerca de 150 pessoas saíram em passeata  durante duas horas da Praça Francisco Magalhães/UFRPE até a Reitoria da UFPE fechando duas avenidas importantes de Recife – Avenida Caxangá e a BR-101.

 

Repressão às manifestações contra aumento das passagens em BH/MG escancara fascismo de Pimentel-PT

Na última semana, ocorreram duas manifestações contra o aumento do preço das passagens em Belo Horizonte. A primeira, na quarta (12), terminou com um violento ataque da Polícia Militar, centenas de pessoas ficaram  feirdas e mais de sessenta foram detidas, com o objetivo declarado de impedir a manifestação de prosseguir. No segundo ato, na sexta (14), a PM “dirigiu” o ato, com a aprovação dos movimentos e partidos eleitoreiros e oportunistas à frente da convocação, fazendo dele um verdadeiro roteiro turístico pela área “nobre” da cidade e impedindo que as vias fossem fechadas completamente. Entretanto, o povo segue revoltado contra o aumento e a repressão policial e as lutas tendem a crescer!

pimen


 Aumento de novo, nas costas do povo!

Este foi o mais recente de uma série de aumentos e ameaças de aumento no preço das passagens do transporte coletivo em BH/MG em curto período de poucos meses ; e faz parte da aplicação do pacotaço de ataques contra o povo,  liderado pela gerência nacional de Rousseff (PT/Pecedobe) e copiado à risca por todas as gerências estaduais e municipais, de todas as siglas do Partido Único das classes dominantes, tendo sido alvo da justa revolta e indignação das massas por todo país.

 

TRÊS POEMAS - Mao Tse Tung

Avaliação do Usuário: / 2
PiorMelhor 

O primeiro dêstes poemas foi escrito ao término da Longa Marcha, quando o Exército Vermelho perfez a ascensão da última das elevadas montanhas na estrada de Ienan. O "monstro" não se refere diretamente a Chiang Kai Chek ou aos japonêses: Mao Tse Tung explica a expressão dizendo fazer referência simplesmente "ao inimigo que habita entre nós". A forma do poema obedece aos moldes clássicos, sendo os versos escritos em cinco caracteres.

O segundo poema foi escrito pouco antes de sua chegada a Ienan e representa uma espécie de salmo em louvor da avançada dos exércitos vermelhos. A maioria dos nomes citados no poema refere-se a lugares onde foram travadas batalhas. Os "Três Exércitos" não dizem respeito às quatro armadas que participaram da Longa Marcha, mas trata-se de um têrmo técnico tão antigo quanto a Dinastia Chu, usado para descrever os exercitos dos imperadores chineses. A expressão "Exército Vermelho", no primeiro verso, é igualmente um têrmo arcaico, e seria de fácil compreensão nos tempos de Confúcio, quando tinha o significado de "a bela armada", sendo que a palavra "vermelho" na China e na Rússia tem uma acepção que evoca antes as idéias de alegria e beleza do que a de côr.

"A Neve", como é mais conhecido o terceiro poema, é uma espécie de relatório da situação da China, começando por uma evocação da paisagem chinesa, que se transforma em seguida numa bela e jovem camponesa, por quem os imperadores do passado e do presente sustentaram um guerra sem têrmo. O verso "Anseio bater-me com os céus" possui uma intraduzível majestade no idioma original, sem encerrar, contudo, nenhum orgulho da parte do poeta, que fala a proposito do avião, da paisagem e do povo, não de si próprio. No verso final, a flecha é disparada. Aí, a nota de grandeza autêntica se faz evidente e o nosso século reivindica em relação ao passado fica expresso claramente. Os críticos consideram "A Neve" 'um dos mais belos poemas da língua'.

Estes poemas foram traduzidos do chinês por Robert Payne. Não conseguindo obter essa tradução, elaboramos a nossa através da versão francesa de Janine Mitaud, feita sobre a inglêsa de Payne, mas que --- dizem --- foi mais feliz, - IVO BARROSO

 


JPAGE_CURRENT_OF_TOTAL