gototopgototop

Propaganda da Revolução nos muros da cidade e do campo

1

 

Diante de todo o aprofundamento da crise que assola o Brasil e dos ataques contra o povo da gerência Temer (PMDB/FMI), temos visto, cada vez mais, manifestações de diversas formas defendendo os direitos do povo e apontando o caminho da luta revolucionária como única forma de resolver os problemas do nosso país. No país inteiro, de norte a sul, a juventude combatente e os revolucionários tem deixado sua mensagem de que a rebelião se justifica. Os muros no campo e na cidade tem demonstrado isso.

 

Vitória arrasadora da chapa Dias de Luta na UNEB Juazeiro

13962547_1774932049387316_7630420270288141122_n

Após uma vitoriosa campanha, e com ampla participação dos estudantes nos debates e em todo o processo eleitoral, a chapa 2, Dias de Luta, venceu as eleições para o Diretório Acadêmico de Pedagogia da UNEB – Juazeiro.

Após participarem do 36° ENEPe em Rondônia com uma das mais numerosas delegações do evento, os estudantes da UNEB – Juazeiro sentiram a necessidade de impulsionar e fortalecer o Movimento Estudantil de Pedagogia na região do Vale do São Francisco, e decidiram formar uma chapa para as eleições do Diretório Acadêmico.

 

Companheira Edilene e companheiro Izaque, presentes na luta!

izaque_edilene-350x304

 

Na terça-feira 13 de setembro de 2016, os companheiros Edilene Mateus Porto e Izaque Dias Ferreira foram emboscados e assassinados por pistoleiros a mando do latifúndio. Os companheiros eram camponeses, viviam e trabalhavam na Área Revolucionária 10 de Maio, em Alto Paraíso, Rondônia. Eles eram ativas lideranças camponesas na região e também eram coordenadores da Liga dos Camponeses Pobres (LCP). A firmeza e a coragem desse casal na luta camponesa por direito à terra e pela destruição do sistema do latifúndio despertou a atenção e o ódio dos latifundiários da região, porém, mais do que isso, conquistaram a confiança e o amor das massas camponesas onde atuavam, tendo nos companheiros Edilene e Izaque um grande exemplo de luta. Prestamos nossa solidariedade aos familiares dos companheiros, principalmente sua filha de apenas 7 anos, e aos camponeses da Área Revolucionária de 10 de Maio. Exigimos a punição dos mandantes e executores desse crime contra o povo! Os latifundiários e seu apodrecido e velho Estado não conseguirão afogar em sangue a sagrada luta camponesa pela terra, ao contrário, o generoso sangue derramado desses e tantos outros lutadores seguirá regando o caminho da Revolução Agrária que varrerá todo o reacionário sistema latifundiário, o capitalismo burocrático e o imperialismo!

Reproduzimos abaixo a nota da LCP publicada no site http://resistenciacamponesa.com/.

 

Companheira Edilene, presente na luta!

Companheiro Izaque, presente na luta!

Honra e glória eterna às heroínas e aos heróis do povo brasileiro!

Morte ao latifúndio!

Viva a Revolução Agrária!

 

 

A bancarrota do revisionismo cubano

Avaliação do Usuário: / 1
PiorMelhor 

FF003455-51CB-4658-A14D-C98BFFF19949_mw1024_mh1024_s-768x512

 

Reproduzimos abaixo o documento Bancarrota del revisionismo cubano, do Partido Comunista do Equador – Sol Rojo (Puka Inti), com a tradução de Lúcio Jr. tal como publicada no Blog da Redação do Jornal A Nova Democracia (http://www.andblog.com.br/).

O texto traz uma análise profunda da Revolução Cubana e seus desdobramentos. Consideramos sua leitura de grande importância para os revolucionários, principalmente entre a juventude, onde muitos identificam-se com a Revolução Cubana e a figura de Che Guevara. Entretanto a Revolução Cubana foi uma revolução de caráter democrático-burguês com uma direção pequeno-burguesa (posteriormente revisionista) e que não avançou em direção ao Socialismo, assumindo-o apenas de palavra e formalmente. Quanto a Che, em que pese seu heroísmo e abnegação, não conseguiu compreender e encarnar a ideologia científica do proletariado, na época marxismo-leninismo-pensamento mao tsetung (que posteriormente deveniu-se em marxismo-leninismo-maoísmo), e isso deu margem para concepções pequeno-burguesas, destacadamente o foquismo.

As limitações expressas na Revolução Cubana provocaram grave prejuízo às lutas revolucionárias na América Latina, servindo de retaguarda política e ideológica a diversos agrupamentos revisionistas e oportunistas e dando chancela a esses grupos, dentre os quais o próprio Partido dos Trabalhadores (PT) em nosso país. Cabe aos autênticos revolucionários compreender o verdadeiro caráter e o papel que cumpriu a Revolução Cubana a fim a afastar a confusão ideológica e o ecletismo e poder reafirmar o caminho correto da Revolução em nosso país e nos demais países semicoloniais e semifeudais: a Revolução de Nova Democracia Ininterrupta ao Socialismo!

 

MEPR realiza vitorioso Encontro Regional em Porto Velho – Rondônia

Avaliação do Usuário: / 2
PiorMelhor 
Nos dias 10 e 11 deste mês de setembro o MEPR realizou o VIII Encontro Regional dos Estudantes do Povo – EREP, na capital de Rondônia. Participaram estudantes secundaristas e universitários, militantes e ativistas do MEPR, e outras organizações como o Movimento Classista dos Trabalhadores da Educação- MOCLATE, Liga dos Camponeses Pobres - LCP e Comitê de Apoio ao Jornal A Nova Democracia. O encontro foi dedicado à companheira Sandra Lima que faleceu recentemente, e deixou um legado glorioso no movimento revolucionário brasileiro.
 

Em defesa da vida da advogada popular Lenir Correa!

Avaliação do Usuário: / 1
PiorMelhor 
Inaugurao_Abrapo
Reproduzimos a nota conjunta da Associação Brasileira de Advogados do Povo (ABRAPO) e do Centro Brasileiro de Solidariedade aos Povos (CEBRASPO) que denuncia as perseguições  e as ameaças à vida da advogada do povo Dra. Lenir Correa que vem atuando em defesa dos camponeses pobres em luta pela terra no Estado de Rondônia. 
Nós, do Movimento Estudantil Popular Revolucionário nos solidarizamos com a advogada que vem prestando valoroso papel na defesa jurídica dos camponeses de Rondônia e destacamos a importância dos advogados comprometidos com luta do povo, que, cada vez mais, vem sofrendo com o ataque sistemático desse velho Estado burguês-latifundiário serviçal do imperialismo, apenas comprovando seu caráter fascista.
 

NITERÓI (RJ): Estudantes realizam agitação contra a farsa eleitoral

Avaliação do Usuário: / 6
PiorMelhor 

No dia 06/09, terça-feira, estudantes secundaristas e universitários de Niterói (RJ) realizaram uma importante agitação contra a farsa eleitoral e entregaram edições antigas do Jornal A Nova Democracia. A ação, que contou com o apoio do Comitê de Apoio ao Jornal AND – RJ, se realizou na Praça Araribóia, praça localizada no centro da cidade e que diariamente passam milhares de trabalhadores. Com falas no megafone, palavras de ordem, bandeira e uma faixa denunciando o massacre olímpico e a farsa eleitoral os estudantes logo encontraram apoio da população que rapidamente percebeu que não se tratava de nenhuma ação eleitoreira de siglas eleitoreiras de partidos políticos, que estava pela praça distribuindo seus “santinhos”, mas logo foram varridas pelo início da panfletagem dos estudantes.

Distribuição da Jornal Agitação com Jornal AND.

A massa de trabalhadores, estudantes e moradores assim que passavam pela praça e recebiam o Jornal ouvia as palavras de ordem e logo demonstravam apoio a ação dos estudantes. Não poucas vezes trabalhadores gritavam junto as palavras de ordem e perguntavam mais sobre o jornal AND, o que ilustra o atual cenário aonde o povo brasileiro vêm entendendo cada vez mais que as eleições são um jogo de cartas marcadas organizado pelo velho Estado e, espontanemante, está rechaçando todas as diferentes siglas do Partido Único dos grandes burgueses e latifundiários.

Cabe aos estudantes revolucionários colocar na ordem do dia a consiga de que REBELAR-SE É JUSTO!, organizando mais e mais atividades como estas, como debates entre estudantes, campanha contra a farsa eleitoral em cada escola e mais panfletagens e agitações para o povo!

ELEIÇÃO NÃO, REVOLUÇÃO SIM!

ABAIXO A FARSA ELEITORAL!

VIVA A REVOLUÇÃO DEMOCRÁTICA, AGRÁRIA E ANTI-IMPERIALISTA!

 

SOLIDARIEDADE AOS PRESOS POLÍTICOS DAS OLIMPÍADAS!

Avaliação do Usuário: / 16
PiorMelhor 

Finalizada a Olimpíada, o Movimento Estudantil Popular Revolucionário (MEPR) vem saudar toda a juventude combatente de nosso país, em particular a juventude secundarista do Rio de Janeiro que de maneira vibrante, vermelha e revolucionária combateu o cenário de precarização desde o início do ano e que veio se agravando com a realização dos jogos com as mobilizações e ocupações de escolas, e que tiveram fôlego para seguir em uma luta independente e combativa até o período de realização da farra olímpica. Nos próximos meses, o Rio de Janeiro será palco de novas e maiores ações, desta vez contra a farsa eleitoral.

Ressaltamos a decisão de cada estudante e a importância de cada colagem de cartaz, panfletagem e manifestação contra o massacre olímpico que diante de toda a estrutura de contrapropaganda olímpica reacionária foi capaz de seguir lutando e ganhou cobertura nacional e internacional, propagandeando o caminho da luta revolucionária no Brasil e expondo os crimes do velho Estado burguês-latifundiário, serviçal do imperialismo principalmente ianque.

 

Grande Ato na Abertura dos jogos olímpicos

O imperialismo tentou através da Olimpíada mascarar com festa e “espírito olímpico” para gringo vêr o massacre que é perpetuado, e no caso específico dos jogos, intensificado, contra o povo brasileiro. E durante toda duração do evento a gerência atual de Michel Temer (PMDB), junto com o “Comitê Organizador”, a gerência estadual de Francisco Dornelles (PMDB), Polícias Militar, Civil, Federal, Força Nacional e Exército, todas cumpriram com sua obrigação com as empresas imperialistas e tornaram a cidade do Rio de Janeiro uma cidade sitiada, sob uma operação de guerra fascista de controle da população e ainda mais colocando-a sob desespero com “a ameaça de terrorismo”.

“OPERAÇÃO HASHTAG”: PROCESSO-MODELO DO TERRORISMO DE ESTADO

Contudo, cabe prestar mais atenção para especificamente esta ação cometida pelo velho Estado com o objetivo de agradar o imperialismo, que foi a vigilância criminosa, a propagação de histeria e o encarceramento de jovens de religião muçulmana. Esta foi uma ação feita pelo Ministério da Justiça, que tem a frente Alexandre de Moraes, o mesmo que reprimiu brutalmente a juventude secundarista de SP, que visou demonstrar para seus amos do USA que o Brasil está “preparado” para embarcar na “guerra ao terror”.

 

“Escola Sem Partido“ ou escola do Partido Único das classes dominantes?

Avaliação do Usuário: / 9
PiorMelhor 

É errada a noção de que o projeto “Escola Sem Partido” vai livrar nossas escolas da influência nefasta das diversas frações do Partido Único das classes dominantes. Sob o manto de combate ao PT, o despotismo desta proposição é um ataque ao pensamento livre, ao exercício da profissão docente e à liberdade de crítica. É preciso, pois, compreender o que está por trás de toda esta campanha falsa de “limpeza do país”.

Três meses após a queda do gerenciamento oportunista de PT/Pecedobê, quando as classes dominantes de nosso país depositaram sua esperanças no novo governo interino de Temer/PMDB, este acelera a política do ajuste fiscal e corte nos direitos básicos que já vinha sendo implementada nas gerências anteriores. Porém, mesmo fora da administração central do Estado fascista brasileiro, PT e seus congêneres seguem prestando valioso serviço às grande burguesia e ao latifúndio, serviçais do imperialismo, se esforçando por utilizar mais uma vez sua capa de “esquerda radical”, porém sem jamais cogitar ultrapassar aos limites da velha e decrépita ordem vigente.

O PT (que nunca teve nada de revolucionário, socialista ou comunista) desde sua fundação vem prestando à reação o importante papel de manchar a honrada bandeira vermelha dos revolucionários de todo o mundo, principalmente quando ocupam seus lugarzinhos rendosos na burocracia estatal para implementar a mesma política nefasta das outras siglas do Partido Único das classes dominantes, política de demagogia, corrrupção e subjugação nacional, só que disfarçada de esquerda.

Após enganar os desavisados durante vários anos (hoje engana cada dia menos) esta agremiação oportunista e eleitoreira segue servindo como lenha na fogueira da reação, do anticomunismo ferrenho e do fascismo mais descarado. Estes tem conquistado posições entre setores populares, principalmente na pequena e média burguesias, com um falso discurso anticorrupção, de limpeza do país e para limpar “os estragos que o PT deixou”. Mal sabem eles que esta legenda oportunista nada aplicou a não ser as medidas ditadas diretamente pelo Banco Mundial, FMI e demais organismos de transmissão dos ditames do imperialismo, principalmente ianque.

O depotismo do “Escola sem Partido”

Dentre as principais conquistas da reação mais infame, está a popularidade do famigerado projeto "Escola Sem Partido", liderado pelo advogado Miguel Nagib, famoso falastrão anticomunista. Em torno deste projeto fascista, diversas forças reacionárias se juntaram numa campanha alardeando a necessidade de fazer uma limpeza ideológica nas escolas brasileiras, combatendo o que chamam de “doutrinação ideológica”, mas que visa principalmente remover qualquer conteúdo minimamente relacionado com o marxismo, o qual, erroneamente, seus elaboradores associam ao PT e acreditam estar vivamente presente nas escolas.

 

Contra o aumento do bandeijão na UFMG: derrubar a FUMP!

Avaliação do Usuário: / 1
PiorMelhor 

Numa manobra desmobilizadora o Conselho Universitário da UFMG, aprovou no dia 28 de Junho, última semana de aulas, quando a universidade estava convenientemente vazia, o aumento do bandejão de R$ 4,15 para R$5,60, alçando o bandejão da Federal mineira ao posto de mais caro do país.

Contra tal ataque ao direito de estudar, estudantes da universidade tem se organizado e buscado um caminho para barrar o aumento. No dia 11 de agosto, se recusaram a pagar o bandejão e dezenas de "pularam as catracas" do Restaurante Universitáio 1. Mais mobilizações estão previstas para ocorrer em breve, porém a universidade não dá sinais de que quer debater o assunto.

Aumento semelhante havia sido tentado nas primeiras semanas do ano, quando os estudantes invadiram a reitoria, impedindo assim a reunião que votaria o aumento, e forçando a retirada do assunto da pauta. Temendo mobilização semelhante, o Conselho esperou o momento propício em que haveriam poucas pessoas na universidade para novamente anunciar o aumento. Contou ainda com o suporte do DCE (capitaneado pelo Levante Popular da Juventude/PT), que chegou a declarar a medida “uma vitória do movimento estudantil”, servindo às políticas de austeridade e sucateamento que cada vez mais tentam impor às universidades do nosso país, e a desmobilização estudantil. Maquiando o golpe da Fump e do Conselho Universitário, cumprem um papel semelhante ao da pele de cordeiro que serve para amaciar o lombo do cavalo em seu contato com a sela.

 


JPAGE_CURRENT_OF_TOTAL

Teses

Facebook