gototopgototop

VITORIOSO 10º ENCONTRO MINEIRO DE ESTUDANTES DE PEDAGOGIA

Avaliação do Usuário: / 3
PiorMelhor 

Reproduzimos publicação enviada pelo Diretório Acadêmico da Faculdade de Educação da UFMG:

VITORIOSO 10º ENCONTRO MINEIRO DE ESTUDANTES DE PEDAGOGIA!

1

 

Nos dias 18 e 19 de Junho, ocorreu no campus Pampulha da UFMG (Belo Horizonte/MG) o vitorioso X Encontro Mineiro de Estudantes de Pedagogia. O X EMEPe teve como tema O Movimento Estudantil de Pedagogia (MEPe) e a luta em defesa do Ensino Público.

No debate sobre a situação política do país, com a participação do professor da FaE/UFMG Hormindo Júnior e um representante da Liga Operária, foi debatido a necessidade de uma saída revolucionária para a crise política, econômica e social que vivemos, rompendo com todo este jogo eleitoreiro podre e corrupto.

 

FACEBOOK: dominação ideológica do imperialismo e instrumento de sua espionagem!

Avaliação do Usuário: / 2
PiorMelhor 

 

O Movimento Estudantil Popular Revolucionário não usa mais o Facebook. Assim como várias organizações democráticas e revolucionárias no Brasil e no mundo, nós abandonamos o Facebook como espaço para a propaganda revolucionária. Tomamos esta medida para combater mais esta forma da nefasta influência ideológico-política imperialista e preservar o nosso Movimento e a segurança de nossos ativistas frente à escalada fascista do velho Estado, com suas ondas de criminalização de movimentos sociais, perseguição e prisões políticas contra ativistas e lutadores do povo em geral. Isto já ocorre no Brasil e é prática corrente em vários países do mundo. Esta decisão é reforçada e impulsionada também pela compreensão do caráter de dominação e controle ideológicos que as chamadas “redes sociais” desempenham sobre as pessoas e especialmente a juventude.

 

Você não paga para usar: a mercadoria é você!

 

Se o automóvel continua como a mercadoria símbolo do capitalismo, o celular, agora turbinado com o acesso a internet, não fica para trás. No Brasil são 250 milhões de linhas ativas de celulares para uma população total de 206 milhões. Os telefones móveis, os computadores pessoais e a internet deram uma extraordinária agilidade às comunicações, à transmissão e ao armazenamento de dados; criaram facilidade ao acesso e à difusão de informações; possibilitaram praticidade enorme na realização de um sem número de tarefas. Mas este negócio, de investimentos bilionários, é minuciosamente controlado por poderosas empresas transnacionais estreitamente ligadas às potências imperialistas mundiais, em especial ao EUA.

 

Provedores de e-mails gratuitos (Gmail, Hotmail, Yahoo, etc.), ferramentas de busca poderosas e igualmente gratuitas (Google) e agora com as chamadas “redes sociais” (as mais populares hoje, Facebook e Twitter), cria-se uma enganosa propaganda que são democráticas, onde qualquer um pode formar sua comunidade, onde todos podem expressar com liberdade sua opinião. Ignora-se que neste mundo virtual de bilhões de dólares os usuários são individualmente controlados e transformados em mercadorias. É como eles descaradamente reconhecem: se você não paga para usar, a mercadoria é você!

 

LEIA EM PDF AQUI

 

Estupro: falemos da opressão sobre a mulher - Entrevista com Sandra Lima

Avaliação do Usuário: / 5
PiorMelhor 

Reproduzimos da edição nª 171 do Jornal A Nova Democracia

 


JAÍLSON DE SOUZA

 

Dando continuidade ao debate iniciado na edição anterior de AND sobre o brutal estupro coletivo do qual foi vítima uma jovem de 16 anos no Rio de Janeiro, entrevistamos Sandra Lima, da coordenação do Movimento Feminino Popular (MFP). O MFP é uma organização revolucionária de mulheres que o AND acompanha e tem como referência de posicionamento científico e revolucionário sobre a questão feminina e a luta das mulheres revolucionárias pela sua emancipação, servindo à revolução. Sandra conversou conosco sobre o problema da opressão sexual e de como as mulheres do povo, além dos democratas e revolucionários, devem tratar toda a questão atual.

http://www.anovademocracia.com.br/171/18a.jpg
Intervenção do Movimento Feminino Popular (MFP) em manifestação no dia 1/6 no RJ

Desde a última edição de AND, dois suspeitos do crime foram presos: Lucas Perdomo Duarte Santos, de 20 anos, e Raí de Souza, de 22. A Polícia Civil, desmoralizada como todo o velho Estado, precisou fazer manobras para angariar confiança das mulheres indignadas e trocou a delegacia responsável pela investigação, passando o caso para a responsabilidade da Delegacia da Criança e Adolescente Vítima (DCAV), afastando do caso o então delegado responsável Alessandro Thiers. Vale ressaltar que, esse mesmo Alessandro Thiers foi o delegado responsável pela prisão dos 23 ativistas em 2014 por protestarem contra a farra da Fifa no Brasil.

Segundo a coordenadora do MFP, as mulheres e o povo não devem ter ilusões com a polícia. “A história mostra que a polícia estuprou prisioneiras políticas no Brasil e em todo o mundo, prisioneiras ‘comuns’ também dão a todo o momento essa queixa. A mulher violentada é banalizada e hostilizada em qualquer delegacia. Nesse caso mesmo ocorreu de a menina ser agredida moralmente pelo delegado”, afirmou. E completou: “A polícia foi criada e é paga para oprimir, matar, prender, reprimir o povo e para estuprar as mulheres do povo também. Quanto à polícia, eu sempre reafirmo que eu desconfio, desconfio de novo e, por último, desconfio mais uma vez. Essa é a posição da grande maioria do povo”. Tanto é verdade que, em protesto no dia 1º de junho no Rio de Janeiro, manifestantes atiraram pedras e tintas contra a delegacia. [ver página 9]

 

Em massacre, Guarani e Kaiowá é assassinado e cinco indígenas adultos e uma criança estão hospitalizados em estado grave

Reproduzimos do Conselho Indigenista Missionário (CIMI): http://www.cimi.org.br/site/pt-br/?system=news&conteudo_id=8774&action=read

Massacre. A palavra resume o resultado do ataque sofrido na manhã desta terça-feira, 14, pelos Guarani e Kaiowá da terra indígena Dourados-Amambai Peguá, município de Caarapó (MS). Conforme informações de lideranças indígenas e da Fundação Nacional do Índio (Funai), o Kaiowá e agente de saúde indígena Clodiodi Aquileu Rodrigues de Souza, 23 anos, foi assassinado com ao menos dois tiros, morrendo ainda no local. Até a tarde desta terça, seis indígenas foram encaminhados ao Hospital São Matheus, na mesma cidade, alvejados por disparos de arma de fogo, entre eles uma criança de 12 anos, atingida com um tiro no abdômen.

Três Guarani Kaiowá foram removidos para o Hospital da Vida, em Dourados, e dois aguardam remoção. Todos correm risco de morte. Apenas uma mulher, atingida no braço, deverá receber alta ainda nesta terça.

No entanto, de acordo com servidores da Funai, o número de feridos deve ser ainda maior porque os indígenas se dispersaram pelo território, em fuga, com a chegada de cerca de 200 caminhonetes, motocicletas, cavalos e trator usados por pistoleiros, capangas e homens que chegaram atirando contra o acampamento em que os Guarani e Kaiowá estavam na Fazenda Yvu, incidente sobre a terra indígena, atualmente em processo de demarcação pelo Minitério da Justiça (MJ).

 

Algumas lições das Jornadas de Junho de 2013

Reproduzimos texto do companheiro Igor Mendes publicado na última edição (n° 171) do Jornal A Nova Demcracia

 

 


 

"Nos grandes processos históricos vinte anos equivalem a um dia, ainda que em seguida possam apresentar-se dias que concentram em si vinte anos." - K. Marx

As Jornadas de Junho de 2013 foram consequência de uma muito particular convergência de contradições. Reduzi-las à luta contra o aumento das passagens, ou pelo “direito à cidade”, seria empobrecer seu significado, deturpar o seu alcance. Aqueles acontecimentos, que a muitos surpreenderam, como se se tivessem produzido num passe de mágica, foram o resultado necessário de anos de revoltas localizadas, achaques, autos de resistência, remoções forçadas, inépcia dos “governantes”, corrupção, falência dos serviços públicos, em suma, centenas de milhares e milhões de pequenos descontentamentos e arbitrariedades que conformam a nossa “ordem” cotidiana. A brutal repressão policial, desencadeada contra a juventude mobilizada nas ruas, e a realização da Copa das Confederações, serviram como catalisadores, o fio condutor que conectou todas aquelas lutas, que se desenrolavam até então aparentemente isoladas umas das outras.

http://www.anovademocracia.com.br/171/06a.jpg
Bloco da Frente Independente Popular (FIP) em manifestação no Rio de Janeiro, 7/10/2013

O Brasil da contrapropaganda oficial vs o Brasil real

Vivemos, nos anos anteriores a 2013, uma reedição daquele ufanismo de grande potência visto sob o regime militar. A farta liberação de crédito, o preço elevado das commodities no mercado internacional e a avassaladora ofensiva ideológica dos governos petistas – turbinando como nunca antes na história deste País o caixa dos monopólios de imprensa, principalmente a Rede Globo – bombardeavam a população com a promessa de um novo tempo inaugurado para sempre. Os índices de popularidade de Dilma Rousseff e de vários governadores estavam nas alturas, pesquisas “comprovavam” a emergência de uma numerosa “classe média” e mesmo a elevação da “autoestima” do brasileiro. A Copa do Mundo e as Olimpíadas viriam coroar, perante o mundo, esse inigualável “avanço civilizatório”. Crise mundial? Que nada, no Brasil estávamos “imunes” a isso...

 

LIBERDADE PARA O COMUNISTA ÁRABE GEORGES ABDALLAH!

 



Reproduzimos nota da ASSOCIAÇÃO DE NOVA DEMOCRACIA de Hamburgo pela libertação Georges Abdallah, militante comunista árabe, preso pelo reacionário Estado francês há mais de 31 anos.

AND-Hamburgo: Nossa solidariedade com Georges Abdallah, militante comunista árabe, ativista na luta de libertação da Palestina.

EVENTO NACIONAL

Domingo 19 Junho 2016

             19 de junho é o Dia Internacional dos prisioneiros revolucionários. Mais uma oportunidade para expressar a nossa solidariedade com Georges Abdallah, militante comunista árabe dedicado na luta de libertação nacional da Palestina, que esta preso no cárcere do Estado francês há mais de 31 anos. Condenado à prisão perpétua por cumplicidade em atos de resistência reivindicada pelos libaneses da Frações Armadas Revolucionárias, enquanto seu país Líbano foi invadido pelas tropas sionistas, e libertado em 1999. Apesar de duas liberações ordenadas pelo tribunal de execução de penas, George Abdallah é mantido na prisão na França por intervenção do governo dos EUA.
             Hoje, a violência e a repressão do Estado francês continua a se reforçar e se militarizar sob o disfarce de um estado de emergência: prisão domiciliar, a repressão preventiva, proibição de manifestações, detenções , custódia, ampliação da violência policial e uso imediato sem  controle do direito de matar, dadas as forças de repressão. Esta repressão é  dirigida contra os jovens dos bairros populares, contra ativistas políticos e sindicais. Diante de um estado tão draconiano e repressivo, é justo e legítimo se rebelar. É sobre esta resistência  e das lutas legitimas que se encaixa a nossa solidariedade na luta de Georges Abdallah, que teve uma vida de luta contra o imperialismo e por uma Palestina livre.
             Convocamos a todos aqueles que estão do lado das pessoas que lutam, no lado da resistência palestina, da luta contra o capitalismo, o imperialismo, o sionismo, o colonialismo, a se juntarem a nós domingo, 19 de junho, para exigimos a sua libertação.


LIBERDADE PARA GEORGES ABDALLAH!
SOLIDARIEDADE AOS PRESOS POLÍTICOS REVOLUCIONÁRIOS DE TODO O MUNDO!
 

GREVE DE FOME DOS ESTUDANTES PRESOS POLÍTICOS NO MARROCOS

Avaliação do Usuário: / 1
PiorMelhor 

Reproduzimos nota do COMITÉ AÇÃO E APOIO PARA AS LUTAS DO POVO MARROQUINO, em solidariedade aos estudantes, presos políticos, que encontram-se em greve de fome desde o dia 30 de maio.

Texto original em:http://dazibaorojo08.blogspot.com.br/2016/06/information-lopinion-publique-nationale.html



INFORMAÇÃO PARA A OPNIÃO PÚBLICA NACIONAL E INTERNACIONAL
GREVE DE FOME ILIMITADA DOS ESTUDANTES PRESOS POLÍTICOS DE MEKNES

Todas as universidades no Marrocos estão experimentando vários anos de movimentos de luta e resistência necessárias para combater as políticas anti-populares e anti-sociais do Estado reacionário - medidas políticas como a privatização e a exclusão de crianças de educação pública. Confrontado com estas escolhas políticas desastrosas, os alunos se esforçam para melhorar o seu estudo e de impor as liberdade democráticas, políticas e sindicais. Neste contexto, é que muitos estudantes foram presos e condenados a longas penas através de julgamentos sem provas contra eles.

Entre estes últimos presos estão: IKRAM BOURHIM, Zakia BIYA YASSIN Rahal IBRAHIM Kassimi, HAMZA Alhamidi, Redouan ALALAMI. Esses alunos estão atualmente presos na prisão de Toulal 2 e 3, em Meknes e declararam greve de fome por tempo indeterminado desde 30 de maio de 2016 - buscam ganhar reconhecimento como presos políticos e o direito a um julgamento justo imediatamente. Sua luta está também totalmente inserida em todos os presos políticos do Marrocos e, portanto, reproduzimos suas pautas, a saber:

- A libertação incondicional de todos os presos políticos.

- O fim de todas as acusações e montadas a partir de julgamentos cerco contra os companheiros.

- O abandono da militarização da Universidade e o abandono completo da rodada tripartite.

- A autorização de acesso às suas famílias, estudantes e qualquer pessoa que queira
visitar toda a semana.

- Melhoria da alimentação, o direito ao acesso aos cuidados, saúde e higiene.

- A oferta de livros, acesso gratuito à biblioteca e livros de referência, jornais e
 tudo o que pode contribuir para o estudo.

- O direito de continuar os estudos

- Autorização para usar um número de telefone gratuito para se comunicar com o exterior.

- Autorização para andar durante um tempo suficiente e adequado.

- O reagrupamento de presos políticos em uma prisão e nas mesmas celas.

- Terminar todas as medidas de assédio e extorsão a que estão expostos diariamente.

VIVA A LUTA DO POVO MARROQUINO!

VIVA A LUTA POR UMA EDUCAÇÃO PÚBLICA PARA ESTUDANTES E DE QUALIDADE!

PELO FIM IMEDIATO DA MILITARIZAÇÃO DAS UNIVERSIDADES!

SOLIDARIEDADE COM OS GREVISTASE TODOS OS PRESOS POLÍTICOS DO MARROCOS!

ABAIXO O ESTADO REACIONÁRIO MARROQUINO E TODOS OS SEUS CÚMPLICES

PARIS 31 de maio 2016-05 / 06 /

COMITÉ AÇÃO E APOIO PARA AS LUTAS DO POVO MARROQUINO

 

Chamada aos revolucionários, democratas e forças progressistas internacionais! ATIK não está sozinha!

Publicamos mensagem e nota enviadas pelos companheiros do Centro Brasileiro de Solidariedade aos Povos (CEBRASPO)

Companheiros e companheiras o CEBRASPO está participando da campanha internacional em solidariedade aos presos políticos turcos na Europa. Uma criminosa perseguição do Estado imperialista Alemão contra ativistas e lutadores turcos, que em função da genocída do Estado turco são obrigados a se refugiar pela Europa.  
Segue abaixo um manifesto do Comitê Internacional de Solidariedade aos Presos Políticos em repudio as prisões que ocorreram no dia 15 de abril deste ano contra membros da ATIK ( Associação dos Trabalhadores Turcos na Europa) que irão a julgamento no próximo dia 17.



Chamada aos revolucionários, democratas e forças progressistas internacionais!
 

Contribuições da Camarada Chiang Ching para a GRCP

Avaliação do Usuário: / 2
PiorMelhor 

wchiang.ching.poster

  
 Nos dias 28 e 29 de maio o MEPR organizou em BH uma séries de estudos sobre a Grande Revolução Cultural Proletária, celebrando os 50 anos deste que foi o mais avançado estágio já atingido pela Revolução Proletária Mundial. Apoiando a atividade, uma companheira da Movimento Feminino Popular expôs o destacado papel da grande revolucionária Chiang Ching, principalmente para a Grande Revolução Cultural Proletária.

Em 1966, liderada pelo presidente Mao TseTung, teve início a Grande Revolução Cultural Proletária, mais elevada luta de duas linhas, travada em todos os planos da sociedade chinesa, tanto no interior do Estado e do Partido Comunista da China (PCCh) quanto no plano internacional contra o revisionismo moderno, encabeçado por Nikita Kruschov, atingindo milhões de pessoas em toda China. Momento histórico onde as massas chinesas mobilizaram-se em incessantes ondas, tomando em suas mãos os assuntos de Estado, os problemas políticos, militares, culturais, relativos à produção e derrubando os falsos revolucionários incrustrados no Partido, no Exército Popular de Libertação e no Estado, estudando, compreendendo e manejando o marxismo-leninismo e sua terceira etapa o Pensamento Mao TseTung (como era chamado o Maoísmo).

 

7 anos de Corte Popular na Área Revolucionária José Ricardo

Nos dias 16 e 17 de abril foi celebrado os 7 anos de Corte Popular na Área Revolucionária José Ricardo, no município de Lagoa dos Gatos/PE. Cerca de 100 pessoas vieram participar desta grande e importante atividade bem como conhecer a experiência em curso da Revolução Agrária. Dentre estas pessoas, secundaristas que compõem o Diretório Estudantil do Codai/UFRPE, o diretório acadêmico de Pedagogia – gestão ânimo de luta, o diretório acadêmico de Geografia – gestão Território em Movimento, o Movimento Estudantil Popular Revolucionário, estudantes e professores do curso de extensão sobre Educação do Campo da UFPE, além de camponeses de outras áreas do Nordeste.

 

img_20160417_080259

 


JPAGE_CURRENT_OF_TOTAL

JEP 18

JEP 18 - Em breve

Heróis do M.E

Quem está online?

Nós temos 22 visitantes online

Até sempre, Camarada!

rev_che

Clique na imagem da revista para acessar a matéria completa.