gototopgototop

Igor Mendes é preso político dos gerenciamentos de Cabral/Pezão (PMDB) e Dilma Rousseff (PT)

Avaliação do Usuário: / 1
PiorMelhor 

 

d                     

 

Igor Mendes da Silva, estudante de Geografia da UERJ, ativista do Movimento Estudantil Popular Revolucionário – MEPR e da Frente Independente Popular – FIP é mais um preso político dos gerenciamentos de Cabral/Pezão (PMDB) e Dilma Rousseff (PT). Igor Mendes está há mais de dois meses preso no Complexo Penitenciário do Bangu no Rio de Janeiro/RJ pelo “crime” de ousar lutar contra a farra com o dinheiro público durante a Copa do Mundo da Fifa.

Igor Mendes está preso por lutar em defesa de saúde, ensino e transporte públicos, por participar de manifestações contra o genocídio cometido diariamente pelas UPP`s (Unidades de Polícias Pacificadoras) e a ocupação do Exército nas comunidades pobres da “cidade maravilhosa”. Igor Mendes está preso por ter se colocado ao lado dos professores durante a grande greve de 2013 quando a polícia atacou com violência uma manifestação com mais de cem mil pessoas e por ter se posicionado ombro a ombro com os garis que se rebelaram contra seus aviltantes salários e as péssimas condições de trabalho.

A absurda e descabida alegação para a prisão do ativista é sua participação em um festival de cultura popular ocorrido no dia 15 de outubro de 2014 (dia do professor) em frente à Câmara dos Vereadores, na Cinelândia. Na interpretação do juiz fascista Flávio Itabaiana, a participação do jovem no evento significaria o descumprimento das "medidas cautelares" impostas pelo judiciário que proíbem a participação do ativista em "reuniões públicas" sob a justificativa de que sua presença representaria um "risco a ordem pública".

 

Ativista da FAG é o primeiro condenado das grandes jornadas de luta de junho/julho de 2013 em Porto Alegre

 

Com informações de: http://jornalismob.com 

 

Vicente Mertz, integrante da Federação Anarquista Gaúcha (FAG), foi condenado a um ano e meio de prisão por supostos crimes de “dano ao patrimônio público” e “crime ambiental”, pena que pode ser revertida em serviços comunitários. Vicente é um dos sete processados após um inquérito aberto no final de junho de 2013. O processo contra Vicente Mertz tem o mesmo caráter político-ideológico persecutório dos incontáveis em curso por todo o país contra manifestantes desde as grandes jornadas de luta de junho/julho de 2013.

O inquérito policial que subsidiou o processo judicial afirma Vicente ser “um dos indivíduos de contumaz atividade de agitação de massas e uma das pessoas que efetivamente fazia frente na manifestação [...]”. Em entrevista concedida a página jornalismob.com o ativista da FAG afirma: “o conteúdo político do inquérito está claro. As provas que a acusação afirma ter contra mim e os outros indiciados são fotos portando megafones ou bandeiras. Durante as intimações, todas as perguntas que faziam tinham este conteúdo ideológico, como ‘Você crê na violência como uma forma legitima de mudar a sociedade?’ e outras perguntas do tipo. Ou seja, está claro que não estão acusando fatos concretos, e sim ideias”.

Por meio de sua nota “Não se intimidar, não desmobilizar! Toda nossa solidariedade ao companheiro Vicente!” a Federação Anarquista Gaúcha denuncia: “o fato de a condenação nos ter sido comunicada apenas uma semana antes do primeiro protesto do ano do Bloco de Lutas pelo Transporte Público é tudo menos uma obra do acaso ou de um processo regular do poder judiciário. Inicia-se o ano e ao mesmo tempo se começa a mexer nos processos que estavam tramitando desde 2013: adicionando nomes a alguns, novos crimes a outros. O processo neste contexto busca ter o mesmo efeito de uma bala de borracha ou de uma bomba de efeito moral: uma tentativa de intimidar e frear as lutas nas ruas que ousam questionar os lucros dos empresários e os conchavos já evidente das empresas com os poderes públicos.”

 

Manifestação em Goiânia contra o aumento da passagem é atacada pela PM

Avaliação do Usuário: / 2
PiorMelhor 

 goiania manifestaoNa última sexta-feira, dia 20/02, aconteceu a primeira manifestação contra mais um absurdo aumento das passagens de ônibus em Goiânia, que no último dia 16 foi para R$3,30, passando a ser a 3ª mais cara do país, junto de Curitiba. Cerca de 600 pessoas foram à manifestação chamada pela Frente de luta, e caminharam até o Terminal Pç. da Bíblia. Além da faixa principal da manifestação, “R$3,30 é roubo!”, os manifestantes carregavam faixas como “Protestar não Crime!” e “Pelo livre direito de Manifestação!”, dos dias das grandes manifestações contra a “Operação R$2,80” da Polícia Civil, que prendeu 3 estudantes em maio de 2014, acusados de depredarem 104 ônibus, e pretendeu criminalizar o MEPR utilizando-o para enquadrar os estudantes nos crimes de associação criminosa e incitação à violência. Veja ao vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=s9juZU3OcaI Uma nova manifestação está marcada para a próxima quinta, dia 26, às 17h na Pç. Universitária.

 

Estudantes da Universidade Federal de Alagoas protestam pelo pagamento de bolsas

Com informações de http://www.andes.org.br

federal de alagoas 

Um grupo de estudantes da Universidade Federal de Alagoas (Ufal) realizou manifestação na manhã de quarta-feira (11) para exigir o pagamento das bolsas do mês de janeiro. Segundo a Pró-Reitoria de Estudantil (Proest) da universidade, cerca de 1300 estudantes não receberam seus benefícios e não há previsão de regularização dos pagamentos, que dependem de repasse do Ministério da Educação (MEC). Na Ufal, o valor das bolsas é R$ 400,00.

Tiago Leandro da Cruz Neto, 2º vice-presidente da Regional Nordeste III do ANDES-SN, afirma que a situação dos estudantes bolsistas da Ufal é problemática. “Não há recursos do governo. Houve o corte de orçamento, foi dito que ele não afetaria a educação, mas já está afetando”, ressalta o docente.

O professor cita ainda outro problema dos bolsistas da Ufal. “É exigida a contrapartida de parte desses estudantes para que recebam as bolsas. Mas não é contrapartida em pesquisa e extensão nas áreas estudadas, e sim a realização de trabalho administrativo e burocrático da universidade”, critica Tiago. Segundo o docente, a substituição de servidores técnico-administrativos por bolsistas é uma clara demonstração da precarização do trabalho nas universidades.

A pedido dos bolsistas, a Ufal suspendeu as atividades de contrapartida deles até a regularização dos pagamentos

 

Trabalhadores em Educação no Paraná apontam o caminho da Greve Geral!

Avaliação do Usuário: / 2
PiorMelhor 

       greveprofpr2

Desde o dia 09/02, os trabalhadores em educação do Paraná deflagraram Greve Geral por tempo indeterminado contra a precarização e a privatização da previdência pública no estado que se dá por meio de um “pacotaço” de medidas contidas nos projetos de lei 06/2015 e 60/2015, impostos pelo governador Beto Richa (PSDB) e que preveem a alteração do Regime de Previdência Complementar, determinando que os(as) novos(as) servidores(as) não tenham mais direito à aposentaria integral - estipulando o teto máximo de R$ 4.662,43 para aposentadoria pelo Regime INSS -  e a criação de um Fundo Complementar de Pensão (de direito privado), para quem quisesse contribuir paralelamente para se aposentar em sua integralidade (entre outros ataques à previdência pública). Os trabalhadores exigem ainda o pagamento de salários atrasados, melhorias em suas condições de trabalho e resistem contra o corte de direitos duramente conquistados.

 

 

Com a ideologia e a moral revolucionária proletária, enfrentar o machismo! Nota de repúdio às agressões machistas na UnB.

Avaliação do Usuário: / 3
PiorMelhor 

Vimos por meio desta manifestar nosso repúdio às agressões machistas, denunciadas recentemente (entre agosto e setembro de 2014), que envolvem estudantes de Ciências Sociais de nossa universidade (UNB). Diante da situação e por fazermos parte da gestão do Centro Acadêmico de Sociologia, juntamente com estudantes independentes e a CCI/RECC-DF (organização diretamente envolvida nos casos), nos sentimos no dever de nos posicionar e ser parte ativa no combate a tais práticas.

 

Com a ideologia e a moral revolucionária proletária, enfrentar o machismo! 

Nota de repúdio às agressões machistas na UnB.

 

“... Uma paixão e uma união efêmera são mais poéticas e mais ‘puras’ que os ‘beijos sem amor’ de cônjuges lastimosos e detestáveis. É isso o que você descreve... A oposição é lógica? Os beijos sem amor de cônjuges lastimosos são sujos. De acordo! Que é necessário opor a eles? Se poderia acreditar que beijos com amor. Porém você opõe uma ‘paixão’ (por que não o amor?), efêmera (por que efêmera?). O resultado lógico é que se pareça opor beijos sem amor (efêmeros) a beijos sem amor conjugal ... estranho! Não seria melhor opor um matrimônio lastimoso e sujo sem amor, de pequeno-burguês-intelectual-camponês, a um matrimônio civil proletário com amor?...”

Lenin em carta a Inês Armand, militante comunista de origem francesa que viveu a maior parte de sua vida na Rússia. Inês Armand foi membro do Comitê Executivo do Partido Bolchevique e da Seção Feminina do Comitê Central que presidiu de 1919 até sua morte em setembro de 1920.

 

Juventude camponesa exige a libertação de Igor Mendes e todos os presos políticos

Avaliação do Usuário: / 4
PiorMelhor 

Durante o III Encontro da Juventude Camponesa, jovens vindos de diversas comunidades do Norte de Minas e Sul da Bahia, manifestaram seu apoio à campanha pela libertação de Igor Mendes da Silva, ativista do MEPR e da FIP/RJ, preso político dos gerenciamentos de Dilma Rousseff (PT) / Cabral-Pezão (PMDB) e um dos vinte e três ativistas perseguidos políticos na capital fluminense. Igor Mendes se encontra a dois meses encarcerado pela sua participação em protestos populares contra a farra da Fifa e em defesa dos direitos do povo na cidade do Rio de Janeiro. A mesma frente oportunista e eleitoreira encabeçada por Dilma Rousseff (PT) que persegue a juventude combatente na cidade é responsável pela mais cruenta repressão e criminalização da luta pela terra, em ações orquestradas por meio da Ouvidoria Agrária Nacional, INCRA e outras instituições do velho Estado. Os mandantes do assassinato do dirigente camponês, Cleomar Rodrigues de Almeida, coordenador político da Liga dos Camponeses Pobres do Norte de Minas e Sul da Bahia assassinato por pistoleiros a mando do latifúndio no dia 22/10/2014 continuam impunes e o latifúndio segue matando aqueles que lutam pelo sagrado direito à terra para quem nela trabalha, como fica evidente com o assassinato de José Antônio dos Santos, executado por bando armado comandado por ex-policiais em Rondônia no dia 27/01/2015.

Liberdade imediata para Igor Mendes e todos os presos políticos da cidade e do campo!

Cleomar Vive! Morte ao latifúndio! 

 

novo 2
 

Centro do Rio de Janeiro tem dia de revolta popular e repressão do Estado

Avaliação do Usuário: / 3
PiorMelhor 
O dia 30/01 foi marcado por revolta e repressão, na cidade do Rio de Janeiro. De tarde, agentes da Guarda Municipal tentaram impedir os ambulantes de trabalharem no Camelódromo da Uruguaiana, no Centro da cidade. Um grande contingente de guardas e do GOE (Grupo de Operações Especiais, que seria uma “tropa de elite da GM) foi lançada sobre os ambulantes, que resistiram bravamente. Por volta das 18hs centenas de manifestantes compareceram ao 5º ATO CONTRA O AUMENTO DAS PASSAGENS E PELA LIBERDADE DE TODOS OS PRESOS POLÍTICOS, que estão ocorrendo desde a vigência de mais esse abusivo aumento.
Guarda Municipal em posição para atacar ambulantes. Foto de Leandro Farias.

 Os manifestantes percorreram a Avenida Presidente Vargas em direção à Central do Brasil entoando palavras de ordem contra o aumento das passagens, a polícia, contra todos os gerenciamentos de turno, em apoio aos camelôs e pela liberdade de todos os presos políticos.

Foto de Anderson Freitas, na Avenida Presidente Vargas.

Governista, quem aumenta a passagem é você!

Sabendo da nova onda de protesto popular que se está gestando por todo o país devido ao “ajuste fiscal” (nome pelo qual os marqueteiros do governo apelidaram a crise que está se abatendo sobre o capitalismo burocrático no Brasil), que se está refletindo sobre as massas com os cortes de direitos trabalhistas, aumento da luz, água e, também, com o aumento das passagens dos transportes coletivos, os setores do oportunismo encastelados há 12 anos no aparato central do velho Estado (PT e Pêcedobê) adotaram a tática de cinicamente “levar a militância para as ruas”. Dessa maneira, esses pelegos, que fazem parte do governo que está prendendo e processando manifestantes, fingem estar “solidários com a luta” enquanto tentam desmobilizar a luta “por dentro”. Tentaram participar das quatro manifestações anteriores, sempre tentado impor trajetos afastados da população e transformar a passeata em uma festa despolitizada. Entretanto a juventude combatente em todas as manifestações não têm deixado em pune esses traidores e brada em alto e bom som no focinho dos governistas que “quem aumenta a passagem é você!”. Sabendo do rechaço que os aguardava, nem deram as caras nesse último ato.

 

Não adianta reprimir!

Desde o início da marcha os cães de Dilma/Pezão/Paes (PT/PMDB/Pêcêdobê) usaram a já conhecida tática nazista do “envelopamento” na tentativa de afastar os manifestantes da população. Os manifestantes tentaram se adiantar ao cerco correndo, mas não conseguiram furá-lo por muito tempo. Ao chegar à Central do Brasil, o ato foi atacado a golpes de cassetete por policiais. Segundo informações, três manifestantes ficaram feridos, dentre eles um que teve a perna fraturada e outro que teve um grave ferimento na cabeça. Longe de minar a disposição de luta da juventude combatente, essa repressão só irá aumentar o ódio de classe e o protesto popular. Novas manifestações estão marcadas e no próximo dia 5 de fevereiro (quando se completa 1 ano do acidente com o cinegrafista Santiago Andrade) acontecerá um ato pela liberdade de todos os presos políticos, com concentração no Tribunal de “Justiça”. Convocamos a toda a juventude combatente a se somar a esse ato e intensificar a luta CONTRA O AUMENTO E PELA LIBERDADE DE TODOS OS PRESOS POLÍTICOS! O link para o evento do facebook para o próximo ato pode ser acessado em: https://www.facebook.com/events/412886268861834/?ref_newsfeed_story_type=regular 

 

“Brasil, Pátria Educadora” inicia 2015 com cortes de 7 bilhões de reais

Avaliação do Usuário: / 2
PiorMelhor 

corte educao dilma

No primeiro dia de 2015, durante o seu discurso de posse, Dilma Rousseff (PT) lançou o demagógico lema de seu segundo mandato: “Brasil, Pátria Educadora”.  Vindo da principal representante de um partido que aprofundou a política de sucateamento e privatização do ensino público no país, não é de se estranhar que, passada apenas uma semana, o gerenciamento federal anunciasse o  corte R$ 7,042 bilhões do orçamento do Ministério da Educação. É importante lembrar que os cortes no investimento na educação não são a exceção para o gerenciamento petista, mas sim a regra. Entre os anos de 2010 e 2011 o gerenciamento petista realizou três cortes no orçamento para o ensino público, perfazendo um total de 5 bilhões de reais, dinheiro entregue aos seus companheiros banqueiros e do agronegócio e, é claro, aos magnatas e construtoras durante a farra da Fifa no ano passado.

 

  A vaca tossiu e Dilma Rousseff corta direitos trabalhistas

 

Juventude combatente retoma as ruas contra o aumento das passagens e pelo passe-livre

Avaliação do Usuário: / 1
PiorMelhor 

Dezenas de manifestações são realizadas, desde o início do ano, contra o aumento das passagens e pelo passe-livre em várias capitais e cidades médias por todo o país. Em São Paulo e no Rio de Janeiro, as manifestações levantam a bandeira da libertação de todos os presos políticos da cidade e do campo. Já são dezenas de manifestantes presos por todo o país neste mês de janeiro, particularmente em São Paulo, onde a repressão policial às justas manifestações populares contra o aumento das passagens foi o estopim para o início das grandes jornadas de luta de junho/julho de 2013. 

 


JPAGE_CURRENT_OF_TOTAL