gototopgototop
Movimento Estudantil Revolucionário no Mundo


Qua, 29 de Março de 2017 Noticias - Movimento Estudantil Revolucionário no Mundo

Traduzido de La Rebelion se Justifica

Muitos estudaantes entramos na universidade pensando que alí podemos formar-nos para mudar a sociedade. Solucionar os problemas da sociedade implica acabar com a exploração, expulsar o imperialismo e aplastar os latifundiários e grandes burgueses.

Eles historicamente tem tentado sufocar nossos desejos de mudança e assim tem imposto os planos de estudo. Que ideias tentan injectar-nos? Lixos como “o problema está nos profissionais, devemos formar uma nova geração que substitua aos antigos mudem a sociedade”, “o problema está no governo de turno, portanto precisamos votar”, “o problema é que existe a razão (!)”, “o problema é que não existe a verdade objetiva só existe a verdade de cada um (!)”. Em síntese, tirar o foco da luta contra a exploração.

Em meio a este mar de estupidez, muitos estudantes ficam mais confusos que antes a respeito de como solucionar os problemas da sociedade. Logo começam a trabalhar e sofrem diretamente a pesada exploração não advertida pela universidade e o desemprego gerado pelos exploradores. Se dão conta de que a universidade não os preparou para trabalhar, porque ela está desligada da prática, portanto, da realidade.

A isto se soma a dívida dos custo da universidade, milhões de pesos [moeda chilena] para escutar questões como "não existe a verdade". Poderia parecer uma loucura completa, mas tem sua explicação.

No início do século XX se potenciou a educação científica para desenvolver a indústria que se estava gerando a serviço do imperialismo, por isto, nestes anos se investia em experimentação e investigação científica!

Mas estes projetos já não tem importância, poque o imperialismo já gerou os meios para saquear-nos plenamente, e já não necessita desenvolver nenhuma indústria, tem desindustrializado o país. Por isto, já não o interessa o investimento em educação científica, nem gratuira e se ensina puro lixo "pos-moderno".

Os estudantes, devemos desenganarnos da educação universitária e fundirmo-nos com as massas. Nos colocar no caminho de SERVIR AO POVO DE TODO CORAÇÃO, sobre o qual está a missão histórica de derrotar os exploradores.

A única forma de mudar esta situação é lutando contra cada efeito da exploração, porém em função de varrer com a própria exploração, que é a causa de nossos problemas! Lutando por conquistar o poder e assim ganhar definitivamente o direito completo à educação gratuita, científica e de massas!
 

Sin_ttulo4
Propaganda distribuida entre estudantes de direito


Advogados a serviço do povo!

O povo é saqueado, perseguido e assassinado, enquanto as classes dominantes lavam suas mãos com as leis que ela mesmo cria. Os pobres enfrentam uma enorme máquina de poder, o povo não tem nada e é constantemente atacado. Hoje se necessitam advogados que realmente sirvam aos interesses do povo, que defendam e apoiem sua luta, não aos grandes burgueses e latifundiários que nos golpeiam dia a dia. Nem aos ricos, nem a nós mesmos, SERVIR AO POVO DE TODO CORAÇÃO!

"Temos o dever de ser responsáveis perante o povo. Ser responsáveis perante o povo significa que cada palavra, cada ato e cada medida política nossos devem concordar com os interesses do povo, e se cometemos erros, devemos corrigí-los."
Mao Tsetung
 
Avaliação do Usuário: / 1
PiorMelhor 
Qua, 29 de Março de 2017 Noticias - Movimento Estudantil Revolucionário no Mundo

Traduzido de La Rebelion se Justifica

Para conhecer a história do Dia do Jovem Combatente no Chile, acesse: https://ferp-larebelionsejustifica.blogspot.com.br/2017/03/vivan-los-jovenes-combatientes.html


 

17504925_1785640935097302_5069380682357522960_o

Nesta terça-feira, 28 de Março, se organizou um Ato Político-Cultural em comemoração do Dia do Jovem Combatente en la Escola de Direito da Universidade do Chile, marcando uma atividade de início de ano.

A actividadr, organizada pela FERP e o JRP3, contou com participação massica e se desenvolveu entre discursos, apresentações musicais de rap, propaganda revolucionaria, chamados à luta e denúncias do oportunismo e revisionismo eleitoreiro. As massas saudaram a ação que se coloca dentro do conjunto de ações comemorativas por esta importante data para a juventude revolucionária.


Saudamos a todos os participantes e artistas convidados.

17554062_1516641948347333_5909307350523705964_n_1

 

 
Sex, 27 de Janeiro de 2017 Noticias - Movimento Estudantil Revolucionário no Mundo
Já está disponível online o conteúdo do Boletim La Rebelión se Justifica Nº 4 publicado pela Frente de Estudantes Revolucionária e Popular - FERP (Chile) disponível no sítio de internet: https://ferp-larebelionsejustifica.blogspot.com

ferp-bol4-1

 
 
Avaliação do Usuário: / 1
PiorMelhor 
Qui, 29 de Dezembro de 2016 Noticias - Movimento Estudantil Revolucionário no Mundo

Seguimos com a publicação de artigos do Boletim La Rebelión se Justifica Nº 3 publicado pela Frente de Estudantes Revolucionária e Popular - FERP (Chile) disponível no sítio de internet: https://ferp-larebelionsejustifica.blogspot.com


[50 anos da GRCP]

A GRANDE REVOLUÇÃO CULTURAL PROLETARIA E A EMANCIPAÇÃO DA MULHER

gr3

As mulheres do povo sofrem uma dupla opressão: a opressão de classe e de sexo. A origem disto é o surgimento da propriedade privada, que vai de mãos dadas com o surgimento das classes e do Estado. Portanto, a luta feminina é parte da revolução proletária, que tem como meta final a sociedade sem classes, e assim o demonstra a Grande Revolução Cultural Proletária (GRCP).

Durante a GRCP na China, a experiência mais avançada do proletariado internacional, se combatem as velhas ideias da burguesia que se mantinham na cultura, para assim conjurar a restauração capitalista. A mulher neste contexto toma um papel fundamental.

Na produção, a mulher tomou um papel importante, impulsionando métodos como as fábricas de bairro e a coletivização do campo, adequando-se às necessidades imediatas do povo chinês.

Esta integração (pionera no mundo, junto com a experiência soviética) foi de mãos dadas com a coletivização do trabalho doméstico e maternal, liberando-a da escravidão destas duas funções as quais está submetida no capitalismo. No âmbito sexual a mulher varre com seu papel passivo e submisso a que estava confinada na velha sociedade.

Todos estes avanços não teriam acontecido se não fosse pela participação política da mulher na revolução, o que não se contrapõe ao homem, se não que lutam em conjunto. Varrendo com a concepção reacionária da natureza deficitária da mulher, se aplicaram critérios dentro das organizações e do Partido Comunista da China em favor de que as companheiras tomassem cargos de direção.

Um grande exemplo para todas as mulheres revolucionárias é a companheira Chiang Ching, firme comunista que após a morte de seu companheiro, o Presidente Mao, brigou por manter a linha vermelha, sendo encarcerada pelo revisionismo até sua morte.

A luta feminina na GRCP contra as ideias da velha sociedade e do patriarcado é a maior experiência de emancipação feminina na história, demonstrando quão necessária é a participação das mulheres na revolução proletária e quão importante é a revolução para transformar sua condição.

"Trace as fronteiras entre os revolucionários e os reacionários, levante vossa moral, destruir o eventual prestígio do inimigo e depois poderás isolar os reacionários e lutar para vencer-los, derrubá-los ou eliminar-los."

"As mulheres carregam sobre seus ombros metade do céu e devem conquistá-la!

Se esta parte do céu permanece serena, as tempestades revolucionárias que devem varrer o velho mundo se reduzirão a trovoadas passageiras." 

GR2Chiang Ching

 

 
Qui, 29 de Dezembro de 2016 Noticias - Movimento Estudantil Revolucionário no Mundo

Seguimos com a publicação de artigos do Boletim La Rebelión se Justifica Nº 3 publicado pela Frente de Estudantes Revolucionária e Popular - FERP (Chile) disponível no sítio de internet: https://ferp-larebelionsejustifica.blogspot.com

 


[Situação Nacional]

ANTICOMUNISMO OU ANTIREVISIONISMO

As recentes eleições no Colégio de Professores os fizeram "morder o polvo" da derrota da lista de Gajardo e Figueroa. Estes calejados revisionistas e oportunistas sustentaram que isto decorre de uma campanha anticomunista, contra sua pseudo-militancia no partido revisionista (predicam um marxismo adulterado).

Estes falsos dirigentes se postaram diante do velho Estado e do governo de turno para conter, desviar e fazer fracassar a luta dos professores. Gajardo e cia. se converteram em fiéis servidores dos planos imperialistas na educação, planos que se vem implementando no México, Colombia, Brasil e outros países. Nas últimas negociações pelo reajuste salarial do setor púlbico tiveram uma participação vergonhosa. Desde o começo a massa quis dar luta decididia e a desgastaram com carnavais, quando esta luta exigia sua radicalização desde o princípio.

Em quase dez anos a cabeça do Colégio de Professores, Gajardo pouco ou nada fez contra a precarização do trabalho docente. Bárbara Figueroa no tempo em que leva como presidente da CUT não poderia ter atuado melhor se fosse subsecretaria do ministério do trabalho. A derrota destes "plumíferos" obedece ao crescente descontentamento das massas que veem como sua situação piora dia a dia. O acontecido não poderia ser de outra maneira, a camarilha Tellier-Carmona, da qual fazem parte Garjardo e Figueroa, são a cabeça do que Lenin chamara de partido operário burguês.

Portanto, nada podemos esperar da nova lista; Mario Aguilar do Partido Humanista se descolou da Concertação anos atrás e não há nada que o impeça novamente de fazer frente com eles. É mais, formam parte com Boric, Sharp, Jackson e outros, das forças auxiliares do velho Estado. São forças oportunistas que igual ao falso PC (Partido Comunista) trabalham por corporativizar as massas; o povo nada de bom pode esperar deles a não ser traição.

É necessário avançar à conformação de uma frente classista que agrupe todos os trabalhadores da educação em um sindicato único nacional; frente que deve unir-se por uma firme luta classista e revolucionária, só assim se assegurará a independência e os interesses do proletariado. Só desta maneira se poderá organizar, mobilizar e politizar as massas em uma linha de classe independente e impulsionar a Revolução de Nova Democracia.

 


RVI