gototopgototop
MEPR - Movimento Estudantil Popular Revolucionário

Ato ante o consulado peruano defende o Presidente Gonzalo

Avaliação do Usuário: / 2
PiorMelhor 

Captura_de_tela_de_2017-03-24_183911

Retirado do Blog da Redação de A Nova Democracia

Um vigoroso ato público mobilizou, neste 22 de março, dezenas de jovens ativistas, democratas e revolucionários para defender o Presidente Gonzalo, chefatura do Partido Comunista do Peru (PCP) e da Revolução Peruana, e o pensamento gonzalo. O ato ocorreu em frente ao consulado do velho Estado peruano, no bairro do Flamengo (Zona Sul do Rio de Janeiro).

O ato fez parte da Campanha Internacional em defesa da vida e saúde do Presidente Gonzalo, atendendo ao chamado feito pelo Partido Comunista do Brasil (Fração Vermelha) – PCB (FV) aos revolucionários de todo o mundo.

 Durante o ato, que percorreu um período entre a manhã e a tarde, a Frente Revolucionária de Defesa dos Direitos do Povo (FRDDP), o Movimento Feminino Popular (MFP) e o Movimento Estudantil Popular Revolucionário (MEPR) ergueram suas flamejantes bandeiras vermelhas e estenderam uma faixa, onde lia-se: Defender a vida e a saúde do Presidente Gonzalo!

Os ativistas denunciaram a campanha reacionária que busca tachar o Presidente Gonzalo como “genocida” para desprestigiá-lo politicamente ante as massas e o povo peruano, com o objetivo de consumar seu assassinato, enquanto solta os verdadeiros genocidas, as “autoridades” civis e militares que perpetraram verdadeiro banho de sangue contra massas desarmadas.

Foi feita a denúncia do papel que joga os revisionistas do Movadef e demais capitulacionistas que, aproveitando-se da sua condição de absoluto isolamento, busca apresentar o Presidente Gonzalo como capitulacionista – servindo assim aos planos da reação e da CIA de aniquilá-lo.

Obra de titã

Foram ainda feitas intervenções exaltando o labor revolucionário deste grande chefe comunista, como seus aportes de validez universal dados pela aplicação do maoísmo à revolução peruana, como ter estabelecido o maoísmo como terceira, nova e superior etapa da ideologia proletária, além da tese do partido militarizado e da necessidade do assumimento de uma chefatura e de um pensamento-guia em toda revolução.

A Revolução Peruana

Foi lembrado a atual etapa que enfrenta a revolução peruana, ressaltando a tarefa partidária que passa o PCP de reorganização geral em meio da guerra popular, para dar novo impulso à revolução na incorporação das massas à guerrilha.

 

DEFENDER A VIDA E A SAÚDE DO PRESIDENTE GONZALO!

 

FERP (CHILE): ATO POLÍTICO-CULTURAL EM COMEMORAÇÃO DO DIA DO JOVEM COMBATENTE

Avaliação do Usuário: / 1
PiorMelhor 

Traduzido de La Rebelion se Justifica

Para conhecer a história do Dia do Jovem Combatente no Chile, acesse: https://ferp-larebelionsejustifica.blogspot.com.br/2017/03/vivan-los-jovenes-combatientes.html


 

17504925_1785640935097302_5069380682357522960_o

Nesta terça-feira, 28 de Março, se organizou um Ato Político-Cultural em comemoração do Dia do Jovem Combatente en la Escola de Direito da Universidade do Chile, marcando uma atividade de início de ano.

A actividadr, organizada pela FERP e o JRP3, contou com participação massica e se desenvolveu entre discursos, apresentações musicais de rap, propaganda revolucionaria, chamados à luta e denúncias do oportunismo e revisionismo eleitoreiro. As massas saudaram a ação que se coloca dentro do conjunto de ações comemorativas por esta importante data para a juventude revolucionária.


Saudamos a todos os participantes e artistas convidados.

17554062_1516641948347333_5909307350523705964_n_1

 

 

21º Fórum Nacional de Entidades de Pedagogia

Avaliação do Usuário: / 2
PiorMelhor 

cartaz-fonepe-v2

 

A CONTRAPROPAGANDA DE TEMER (PMDB/PSDB) PARA DEFENDER SUA CONTRAREFORMA DO ENSINO MÉDIO

Avaliação do Usuário: / 2
PiorMelhor 


A desmoralizada gerência Temer (PMDB/PSDB) tem acelerado os ritmos de trabalho de sua equipe de propaganda, numa tentativa de fazer melhorar (ou ao menos não piorar) seus sofríveis índices de aprovação e tentar aplastar a fúria popular, facilitando seu trabalho de aplicar ao máximo o programa exigido pelo imperialismo. Dentre as propagandas, ganhou grande destaque e bastante tempo nas telas a que se refere a contrarreforma do Ensino Médio, não é de se estranhar, visto que a juventude tem sido uma das principais fontes da dor de cabeça das últimas gerências do Velho Estado brasileiro. Mas de que se trata esta dita Reforma? E principalmente, a quem ela serve?

Num raro (e breve) momento de honestidade, a propaganda admite a situação vergonhosa em que se encontra o Ensino Médio brasileiro, somente é claro para fazer passar como benéficas as propostas de desmonte que visa implementar com a antiga MP 746, agora Lei 13.415 de 16/02/2017. De fato, o Ensino Médio não é nada atrativo, tem baixíssimo rendimento e estrutura completamente sucateada. Para se ter uma ideia melhor da situação, as taxas de rendimento das escolas públicas regulares contemplam 13% de reprovação e 8% de abandono, respectivamente 18% e 10% só no 1º ano (MEC, INEP, 2015). Dos jovens entre 15 e 17 anos 35% ainda estão no Ensino Fundamental, e 17% fora da escola; dos jovens entre 18 e 24 anos, 32% não concluíram o Ensino Médio e não estão estudando. Isso sem falar nas condições materiais e estruturais (41% das escolas sem saneamento básico). Todos esses são sintomas de uma política educacional conduzida por um Estado semifeudal e semicolonial, e que não poderão ser resolvidos com uma simples canetada.

Mas quanto a isso não há problema, afinal, o “Novo” Ensino Médio não tem a menor intenção de solucionar nenhum dos traços deste cenário.

 

Milhões dizem Não à Farsa Eleitoral

Milhões dizem Não! à farsa eleitoral!

Não podemos desprezar o peso do diuturno bombardeio movido, simultaneamente, pela máquina estatal, partidos políticos e monopólios de imprensa, ademais das igrejas, convocando a população a votar. Trata-se, realmente, de um massacre, intensificado na última semana de campanha. Diante disso, verificar o aumento do número de votos nulos, brancos e, sobretudo, abstenções, é sintomático de quanto a população brasileira não legitima, repudia mesmo, essa falsa democracia vigente em nosso país.

Vamos aos dados. Segundo o TSE, 16,41% das pessoas aptas a votar não compareceram às urnas no domingo, significando 22.735.725 de brasileiros (ou seja, quase 23 milhões de pessoas) que disseram não às eleições. Esse número indica crescimento de abstenções em relação às eleições municipais de 2008, quando o percentual de não-comparecimento atingiu a casa dos 14,53%. Interessante observar que cresce o número de abstenções apesar de ter aumentado exponencialmente o volume de dinheiro mobilizado nas campanhas, que esse ano foram 33% mais caras que as de 2008 (como mostramos em matéria anterior, já foram gastos até aqui R$ 1 bilhão de reais, quantia que até o fim do 2º turno pode atingir os R$ 3 bilhões).

Mar_de_lixo_no_rastro_das_eleies

 


JPAGE_CURRENT_OF_TOTAL

RVI