gototopgototop
MEPR - Movimento Estudantil Popular Revolucionário

Camarada Stalin e Presidente Mao Tsetung: titãs do proletariado internacional

stalin-mao 

Revolucionários celebram natalícios de Stalin e Mao Tsetung

Retirado da edição nº 182 do Jornal A Nova Democracia

Nos dias 18 e 26 de dezembro, partidos e organizações comunistas de diversos países celebram o nascimento de dois dos grandes dirigentes históricos do proletariado internacional, respectivamente, o camarada Josef Stalin e o Presidente Mao Tsetung. Como sabemos, todos os anos o monopólio mundial de comunicação (o mesmo que propaga aos quatro ventos a “derrota” do socialismo e do comunismo) é obrigado a desatar campanhas apócrifas contra as experiências socialistas na União Soviética e na China Popular, países que, durante décadas, foram bastiões da luta anti-imperialista e lograram edificar com êxito a ditadura do proletariado.

Em sua intenção de apresentar tais experiências como “ditaduras sanguinárias”, “tiranias”, “regimes de terror”, “totalitarismo” etc., a burguesia foi fartamente facilitada pelos revisionistas que assaltaram o poder, tanto na URSS como na China, restaurando o capitalismo e abrindo novamente uma época de exploração contra seus povos. Como apontava o grande dirigente comunista brasileiro Pedro Pomar: “Dirigindo a Revolução Chinesa e lutando pela construção do socialismo na China, o camarada Mao Tsetung estudava a experiência da ditadura do proletariado também nos países socialistas, sobretudo na União Soviética. Depois da Iugoslávia, foi no país da Revolução de Outubro que os revisionistas, mascarados de leninistas, ocupando postos na direção do Estado e do Partido, conseguiram usurpar o poder do proletariado e arrastar o glorioso país de Lenin e de Stalin de volta ao capitalismo”.

Stalin foi o maior dirigente e guia da construção da sociedade socialista soviética e principal liderança da luta dos povos soviéticos na Grande Guerra Patriótica, lendário combate que terminou com a vitória cabal da URSS contra o exército nazifascista de Hitler em 9 de maio de 1945. Devido a sua transcendental importância e prestígio no movimento comunista internacional, a burguesia o escolheu como alvo dos furiosos ataques anticomunistas. Em março de 1953, quando da morte de Stalin, Pedro Pomar escrevia: “Quando nos foi transmitida a estarrecedora notícia, parecia o inacreditável. A princípio, a enfermidade traiçoeira. Depois, a morte irremediável. Era a desgraça que não podíamos nem queríamos esperar. Apagara-se a estrela fulgurante que com sua luz iluminava o nosso caminho para o futuro de paz, de alegria e de fartura. A dor pungente, a lágrima incontida, o sofrimento que emudece e turva as mentes, tudo sentimos – ante a perda de nosso chefe e mestre, de nosso pai e amigo. Simultaneamente, mal contínhamos o ódio sagrado a todos os degenerados que em face de nossa dor revelavam sua hediondez tentando denegrir a memória de nosso grande dirigente. Esses monstros, engendrados pelo capitalismo moribundo, confessavam assim sua própria impotência, sua derrota inelutável”.

O Grande Timoneiro

 

FERP: Boletim La Rebelión se justifica nº 4

Já está disponível online o conteúdo do Boletim La Rebelión se Justifica Nº 4 publicado pela Frente de Estudantes Revolucionária e Popular - FERP (Chile) disponível no sítio de internet: https://ferp-larebelionsejustifica.blogspot.com

ferp-bol4-1

 
 

22/03: "Defender a Vida e a Saúde do Presidente Gonzalo!"

Avaliação do Usuário: / 2
PiorMelhor 

No dia 22/03 ocorreu um ato internacionalista em defesa da Vida e da Saúde do Presidente Gonzalo. Diversas organizações democráticas e revolucionárias, entre elas o MEPR, MFP, MOCLATE, Cebraspo, marcaram presença. Com uma grande faixa vermelha com as letras em amarelo com a consigna “Defender a Vida e a Saúde do Presidente Gonçalo!”, assinada pela Frente Revolucionária, e com faixas, bandeiras e cartazes em apoio a presos políticos internacionais os manifestantes fizeram, por uma hora, uma agitação em frente ao consulado Peruano no Rio de Janeiro.


1

2

Este ato foi a culminação de uma ampla campanha promovida por setores democráticos, atendendo o chamado do Movimento Popular Peru (Comitê de Reorganização) – MPP (CR). A campanha contou também com inscrições em muros, faixas e denúncias. A seguir algumas fotos da campanha:


111

121

1411

DEFENDER A VIDA E A SAÚDE DO PRESIDENTE GONZALO!

 

RJ: 20/02 - Pezão vende CEDAE e reprime manifestantes

Avaliação do Usuário: / 1
PiorMelhor 

O dia 20/02 ficou marcado pela aprovação, na ALERJ, da venda da CEDAE. Enquanto no lado de dentro os deputados corriam contra o tempo para aprovar logo essa medida antipovo, no lado de fora a população era reprimida e agredida pela Polícia Militar e Batalhão de Choque. Foram pelo menos 50 pessoas detidas, a maioria delas estudantes, sendo acusadas de “resistência”, porém sem prova alguma.

Logo após confirmada a venda da CEDAE pelos inimigos do povo, deputados de diferentes partidos tendo como chefe Picciani, funcionários públicos, servidores do estado, professores e estudantes decidiram sair em ato. A ideia inicial era dar a volta no quarteirão e voltar até a frente da ALERJ, porém, acuada, a direção eleitoreira dos sindicatos fez inúmeras falas, de maneira oportunista, no intuito de desmobilizar a massa que estava fervorosa para dar um resposta à altura.

protestos-cedae

No fim das contas, o ato seguiu pela Av. Presidente Vargas, principal via do centro da cidade. Os manifestantes conseguiram parar por várias horas as quatro faixas.

Chegando até a sede da CEDAE, parte do ato parou ali e começou um princípio de confusão quando, logo assim que a massa iniciou as denúncias contra a privatização, o batalhão de choque começou a tacar bombas.

cedae2

Daí pra frente o que se viu foi uma ação desesperada da Polícia. Tacando bombas à esmo, atingindo vários manifestantes com balas de borracha, o ato começou a se dispersar. Foi quando a polícia começou a realizar as detenções arbitrárias, pegando aleatóriamente manifestantes que estavam nas ruas ao redor. Até as 21h a maioria dos detidos havia sido liberada.

Juventude Combatente

Longe de fazer desmobilizar a organização do povo para novas batalhas, essa atitude fascista da PM de Pezão (PMDB) só servirá para colocar mais lenha na fogueira da rebelião popular! O governo cassado de Pezão não tem moral nenhuma para mandar prender manifestantes. Essa é mais uma demonstração de que é justo rebelar-se contra todas medidas antipovo que serão votadas ao longo desta semana. As tentativas de repressão atiçam ainda mais a justa revolta popular!

Lutar não é crime!

Rebelar-se é Justo!

GREVE GERAL CONTRA AS MEDIDAS ANTIPOVO DE TEMER-PEZÃO!

 

MEC (PMDB/PSDB) QUER ACABAR COM A GRATUIDADE NO ENSINO SUPERIOR!

Avaliação do Usuário: / 1
PiorMelhor 

MEC (PMDB/PSDB) QUER ACABAR COM A GRATUIDADE NO ENSINO SUPERIOR!

Retirado de Proifes

Em audiência com  dirigentes do Proifes-Federação, a secretária executiva do ministério da Educação (MEC), professora Maria Helena Guimarães de Castro, defendeu veementemente a cobrança de mensalidades nas universidades e institutos federais. A reunião, em Brasília, ocorreu no dia 16 de fevereiro passado.

Os dirigentes do Proifes haviam marcado o primeiro encontro do ano como governo para apresentar a pauta de reivindicações da categoria: pontos não implementados do acordo de 2015, isonomia da  carreira EBTT  e o  reajuste salarial deste ano. Mas a conversa, de quase uma hora, foi praticamente toda sobre as contas das universidades.

“Eu sou de universidade, defendo a educação pública, mas acho que temos de olhar para a situação real. Não podemos criar situações incompatíveis  com  o mundo que estamos vivendo, de queda de receita, de mudança no paradigma da economia do país. Nós só aumentamos em folha de pagamento”, começou a secretária, antes mesmo  de  Eduardo Rolim, presidente do Proifes, terminar de apresentar a pauta.

Logo depois a secretária citou as realidades do ensino superior em Portugal, Inglaterra, França e Alemanha. “Aliás, nem sei ainda que países têm universidades públicas plenamente gratuitas para todos, in dependente da situação socio- econômica. O Brasil não pode ficar fora do mundo real”, disse maria Helena.

Foi quando Rolim comentou: “A nossa posição sempre foi de que a graduação e a pós-graduação não devem  ser  cobradas,  até  por questão  de realidade nacional,  diferente  do   Brasil para os outros países”. E a secretária   interferiu:   “Ah,  mas vai  ser.  Sinto  muito,  mas  vamos (cobrar mensalidades)”.

Maria Helena acredita que a USP, em crise financeira, logo começa a cobrar mensalidade. “E quando a maior universidade pública do país começar a  cobrar,  as  outras  vão cobrar, porque você quebra uma barreira”, disse a secretária.

Rolim tentou argumentar que a medida exigiria uma reforma constitucional. “Mas tudo é possível”, rebateu  Maria Helena. “Não acabamos de votar várias PECs? Até a PEC do Teto nós votamos”, concluiu. Rolim voltou o assunto à pauta de reivindicações do Proifes. Maria Helena saiu mais cedo da reunião e o governo ficou de marcar novo encontro com a Federação.

 

 


JPAGE_CURRENT_OF_TOTAL

RVI