gototopgototop
MEPR - Movimento Estudantil Popular Revolucionário

FERP: ANTICOMUNISMO OU ANTIREVISIONISMO

Seguimos com a publicação de artigos do Boletim La Rebelión se Justifica Nº 3 publicado pela Frente de Estudantes Revolucionária e Popular - FERP (Chile) disponível no sítio de internet: https://ferp-larebelionsejustifica.blogspot.com

 


[Situação Nacional]

ANTICOMUNISMO OU ANTIREVISIONISMO

As recentes eleições no Colégio de Professores os fizeram "morder o polvo" da derrota da lista de Gajardo e Figueroa. Estes calejados revisionistas e oportunistas sustentaram que isto decorre de uma campanha anticomunista, contra sua pseudo-militancia no partido revisionista (predicam um marxismo adulterado).

Estes falsos dirigentes se postaram diante do velho Estado e do governo de turno para conter, desviar e fazer fracassar a luta dos professores. Gajardo e cia. se converteram em fiéis servidores dos planos imperialistas na educação, planos que se vem implementando no México, Colombia, Brasil e outros países. Nas últimas negociações pelo reajuste salarial do setor púlbico tiveram uma participação vergonhosa. Desde o começo a massa quis dar luta decididia e a desgastaram com carnavais, quando esta luta exigia sua radicalização desde o princípio.

Em quase dez anos a cabeça do Colégio de Professores, Gajardo pouco ou nada fez contra a precarização do trabalho docente. Bárbara Figueroa no tempo em que leva como presidente da CUT não poderia ter atuado melhor se fosse subsecretaria do ministério do trabalho. A derrota destes "plumíferos" obedece ao crescente descontentamento das massas que veem como sua situação piora dia a dia. O acontecido não poderia ser de outra maneira, a camarilha Tellier-Carmona, da qual fazem parte Garjardo e Figueroa, são a cabeça do que Lenin chamara de partido operário burguês.

Portanto, nada podemos esperar da nova lista; Mario Aguilar do Partido Humanista se descolou da Concertação anos atrás e não há nada que o impeça novamente de fazer frente com eles. É mais, formam parte com Boric, Sharp, Jackson e outros, das forças auxiliares do velho Estado. São forças oportunistas que igual ao falso PC (Partido Comunista) trabalham por corporativizar as massas; o povo nada de bom pode esperar deles a não ser traição.

É necessário avançar à conformação de uma frente classista que agrupe todos os trabalhadores da educação em um sindicato único nacional; frente que deve unir-se por uma firme luta classista e revolucionária, só assim se assegurará a independência e os interesses do proletariado. Só desta maneira se poderá organizar, mobilizar e politizar as massas em uma linha de classe independente e impulsionar a Revolução de Nova Democracia.

 

Camarada Stalin e Presidente Mao Tsetung: titãs do proletariado internacional

stalin-mao 

Revolucionários celebram natalícios de Stalin e Mao Tsetung

Retirado da edição nº 182 do Jornal A Nova Democracia

Nos dias 18 e 26 de dezembro, partidos e organizações comunistas de diversos países celebram o nascimento de dois dos grandes dirigentes históricos do proletariado internacional, respectivamente, o camarada Josef Stalin e o Presidente Mao Tsetung. Como sabemos, todos os anos o monopólio mundial de comunicação (o mesmo que propaga aos quatro ventos a “derrota” do socialismo e do comunismo) é obrigado a desatar campanhas apócrifas contra as experiências socialistas na União Soviética e na China Popular, países que, durante décadas, foram bastiões da luta anti-imperialista e lograram edificar com êxito a ditadura do proletariado.

Em sua intenção de apresentar tais experiências como “ditaduras sanguinárias”, “tiranias”, “regimes de terror”, “totalitarismo” etc., a burguesia foi fartamente facilitada pelos revisionistas que assaltaram o poder, tanto na URSS como na China, restaurando o capitalismo e abrindo novamente uma época de exploração contra seus povos. Como apontava o grande dirigente comunista brasileiro Pedro Pomar: “Dirigindo a Revolução Chinesa e lutando pela construção do socialismo na China, o camarada Mao Tsetung estudava a experiência da ditadura do proletariado também nos países socialistas, sobretudo na União Soviética. Depois da Iugoslávia, foi no país da Revolução de Outubro que os revisionistas, mascarados de leninistas, ocupando postos na direção do Estado e do Partido, conseguiram usurpar o poder do proletariado e arrastar o glorioso país de Lenin e de Stalin de volta ao capitalismo”.

Stalin foi o maior dirigente e guia da construção da sociedade socialista soviética e principal liderança da luta dos povos soviéticos na Grande Guerra Patriótica, lendário combate que terminou com a vitória cabal da URSS contra o exército nazifascista de Hitler em 9 de maio de 1945. Devido a sua transcendental importância e prestígio no movimento comunista internacional, a burguesia o escolheu como alvo dos furiosos ataques anticomunistas. Em março de 1953, quando da morte de Stalin, Pedro Pomar escrevia: “Quando nos foi transmitida a estarrecedora notícia, parecia o inacreditável. A princípio, a enfermidade traiçoeira. Depois, a morte irremediável. Era a desgraça que não podíamos nem queríamos esperar. Apagara-se a estrela fulgurante que com sua luz iluminava o nosso caminho para o futuro de paz, de alegria e de fartura. A dor pungente, a lágrima incontida, o sofrimento que emudece e turva as mentes, tudo sentimos – ante a perda de nosso chefe e mestre, de nosso pai e amigo. Simultaneamente, mal contínhamos o ódio sagrado a todos os degenerados que em face de nossa dor revelavam sua hediondez tentando denegrir a memória de nosso grande dirigente. Esses monstros, engendrados pelo capitalismo moribundo, confessavam assim sua própria impotência, sua derrota inelutável”.

O Grande Timoneiro

 

Intervenções durante o 1º Encontro da Unidade Vermelha em BH

Avaliação do Usuário: / 1
PiorMelhor 

0001

Balanço da UV-LJR sobre as ocupações de 2016 em BH

Boa tarde companheiros e companheiras! Gostaria de saudar a todos presentes aqui e destacar a importância desse primeiro encontro da Unidade Vermelha para a organização mais consequente da juventude combatente aqui de Belo Horizonte. Estamos aqui porque é enorme a importância de conformar a UV em cada canto do país, principalmente no momento de crise que vivemos hoje no Brasil.

Desde 2013 vivemos um período histórico de aumento da politização da juventude brasileira e principalmente de compreensão quanto ao uso consciente da violência justa como via efetiva de transformar a sociedade e da apropriação e reinvindicação dos espaços públicos.

O ano passado foi marcado pelo grande acontecimento das ocupações secundaristas e universitárias por todo o país, foram mais de 1300 escolas e 200 universidades ocupadas, quando a inciativa dos alunos de se levantar contra a PEC 55 e a MP do Ensino Médio mostrou a decisão e compromisso da juventude combatente, que agarrou com firmeza a tarefa de barrar mais esses ataques do podre Estado brasileiro. Assumimos com vigor nosso papel de vanguarda e tropa de choque da revolução, mostramos que não aceitaríamos calados os golpes do governo que claramente tiveram o objetivo de retirar direitos das massas para assegurar os lucros dos grandes bancos que promovem a verdadeira sangria dos cofres públicos.

Tomamos as rédeas da gestão de nossas escolas e universidades, promovemos atividades políticas, culturais, envolvemos e instruímos a comunidade em torno das nossas exigências. Nos organizamos em comissões de alimentação, saúde, comunicação, segurança, mostrando nosso poder de organização, disciplina e maturidade para resolver conflitos.

É importante destacar o papel das comissões de comunicação e de segurança nas ocupações para entender o momento político atual e a necessidade de garantir a segurança de quem luta pelos seus direitos num estado fascista e policial, que ainda insiste em se dizer democrático de direito. As instruções de centralizar as falas para a imprensa, de não se identificar ao entrar em contato com a mídia, não divulgar informações sobre o funcionamento orgânico das ocupações, não transmitir informações a terceiros a não ser que pessoalmente, cobrir o rosto ao ser fotografado, a escala de rondas noturnas internas e externas nos prédios, a manutenção de portaria com controle de entrada, eram algumas medidas de segurança que refletem a situação de perseguição da juventude que se levanta contra o sistema.

 

RJ: 20/02 - Pezão vende CEDAE e reprime manifestantes

Avaliação do Usuário: / 1
PiorMelhor 

O dia 20/02 ficou marcado pela aprovação, na ALERJ, da venda da CEDAE. Enquanto no lado de dentro os deputados corriam contra o tempo para aprovar logo essa medida antipovo, no lado de fora a população era reprimida e agredida pela Polícia Militar e Batalhão de Choque. Foram pelo menos 50 pessoas detidas, a maioria delas estudantes, sendo acusadas de “resistência”, porém sem prova alguma.

Logo após confirmada a venda da CEDAE pelos inimigos do povo, deputados de diferentes partidos tendo como chefe Picciani, funcionários públicos, servidores do estado, professores e estudantes decidiram sair em ato. A ideia inicial era dar a volta no quarteirão e voltar até a frente da ALERJ, porém, acuada, a direção eleitoreira dos sindicatos fez inúmeras falas, de maneira oportunista, no intuito de desmobilizar a massa que estava fervorosa para dar um resposta à altura.

protestos-cedae

No fim das contas, o ato seguiu pela Av. Presidente Vargas, principal via do centro da cidade. Os manifestantes conseguiram parar por várias horas as quatro faixas.

Chegando até a sede da CEDAE, parte do ato parou ali e começou um princípio de confusão quando, logo assim que a massa iniciou as denúncias contra a privatização, o batalhão de choque começou a tacar bombas.

cedae2

Daí pra frente o que se viu foi uma ação desesperada da Polícia. Tacando bombas à esmo, atingindo vários manifestantes com balas de borracha, o ato começou a se dispersar. Foi quando a polícia começou a realizar as detenções arbitrárias, pegando aleatóriamente manifestantes que estavam nas ruas ao redor. Até as 21h a maioria dos detidos havia sido liberada.

Juventude Combatente

Longe de fazer desmobilizar a organização do povo para novas batalhas, essa atitude fascista da PM de Pezão (PMDB) só servirá para colocar mais lenha na fogueira da rebelião popular! O governo cassado de Pezão não tem moral nenhuma para mandar prender manifestantes. Essa é mais uma demonstração de que é justo rebelar-se contra todas medidas antipovo que serão votadas ao longo desta semana. As tentativas de repressão atiçam ainda mais a justa revolta popular!

Lutar não é crime!

Rebelar-se é Justo!

GREVE GERAL CONTRA AS MEDIDAS ANTIPOVO DE TEMER-PEZÃO!

 

Denunciamos a farsa de julgamento movida contra o Presidente Gonzalo!

Denunciamos a farsa de julgamento movida contra o Presidente Gonzalo!

Denunciamos, conforme veiculado pela imprensa popular, a farsa de julgamento montada contra o grande dirigente revolucionário Abimael Guzmán Reynoso, o Presidente Gonzalo, chefatura do Partido Comunista do Peru e da Revolução Peruana preso e mantido incomunicável desde 1992.

presidente-gonzalo-foto

Defender a vida e saúde do Presidente Gonzalo!


Jornal A Nova Democracia:

Com informações de vnd-peru.blogspot.com

O Movimento Popular Peru (Comitê de Reorganização) publicou na internet o pronunciamento do Partido Comunista do Peru (PCP) em razão do novo episódio da patranha reacionária arquitetada contra Abimael Guzmán Reynoso, o Presidente Gonzalo, chefatura do Partido Comunista do Peru e da Revolução Peruana preso e mantido incomunicável há quase 25 anos. O Presidente Gonzalo está sendo “julgado” em mais uma farsa de “novo julgamento”.

O MPP (CR) denunciou em várias oportunidades essa patranha reacionária contra o Presidente Gonzalo, que busca tachá-lo como “genocida” enquanto absolve os verdadeiros criminosos civis e militares do velho Estado peruano, reacionários que têm sujas as mãos com sangue camponês e operário.

O PCP, no comunicado, denunciou a campanha difamatória contra as ações armadas realizadas pelo Exército Popular na capital Lima, em 1992, tachadas de “atentados terroristas”.

“Condenamos esta nova patranha que o inimigo joga com os revisionistas da LOD revisionista e capitulacionista encabeçada pelas ratazanas Miriam, Cox, Pantoja, Morote etc., […] Os monopólios da imprensa difamam o Presidente Gonzalo e difamam as ações que o EPL desenvolveu na capital e outras que abalaram o velho Estado peruano e as hienas genocidas, principalmente aos ianques.”

Concluem fazendo um chamamento vermelho: “Chamamos a continuar a campanha pela defesa do Presidente Gonzalo e seu todopoderoso pensamento gonzalo. E chamamos a pronunciar-se pela Defesa da Vida e Saúde do maior Marxista-leninista-maoísta vivo sobre a face da terra; e deve ser contra o vento e a maré, desenvolvendo a Guerra Popular, levantando as massas com as armas na mão para derrotar o inimigo e organizados todos para afundar a besta ferida de morte, concretar a Reorganização Geral do Partido no país e ser soldados vermelhos de Gonzalo, entregando a vida hoje, amanhã e sempre pelo PCP e a Revolução.”

A íntegra do comunicado pode ser lido em serviraopovo.wordpress.com.

 

 


JPAGE_CURRENT_OF_TOTAL