gototopgototop
Celebrações
Qui, 29 de Dezembro de 2016 Cultura Popular - Celebrações

stalin-mao 

Revolucionários celebram natalícios de Stalin e Mao Tsetung

Retirado da edição nº 182 do Jornal A Nova Democracia

Nos dias 18 e 26 de dezembro, partidos e organizações comunistas de diversos países celebram o nascimento de dois dos grandes dirigentes históricos do proletariado internacional, respectivamente, o camarada Josef Stalin e o Presidente Mao Tsetung. Como sabemos, todos os anos o monopólio mundial de comunicação (o mesmo que propaga aos quatro ventos a “derrota” do socialismo e do comunismo) é obrigado a desatar campanhas apócrifas contra as experiências socialistas na União Soviética e na China Popular, países que, durante décadas, foram bastiões da luta anti-imperialista e lograram edificar com êxito a ditadura do proletariado.

Em sua intenção de apresentar tais experiências como “ditaduras sanguinárias”, “tiranias”, “regimes de terror”, “totalitarismo” etc., a burguesia foi fartamente facilitada pelos revisionistas que assaltaram o poder, tanto na URSS como na China, restaurando o capitalismo e abrindo novamente uma época de exploração contra seus povos. Como apontava o grande dirigente comunista brasileiro Pedro Pomar: “Dirigindo a Revolução Chinesa e lutando pela construção do socialismo na China, o camarada Mao Tsetung estudava a experiência da ditadura do proletariado também nos países socialistas, sobretudo na União Soviética. Depois da Iugoslávia, foi no país da Revolução de Outubro que os revisionistas, mascarados de leninistas, ocupando postos na direção do Estado e do Partido, conseguiram usurpar o poder do proletariado e arrastar o glorioso país de Lenin e de Stalin de volta ao capitalismo”.

Stalin foi o maior dirigente e guia da construção da sociedade socialista soviética e principal liderança da luta dos povos soviéticos na Grande Guerra Patriótica, lendário combate que terminou com a vitória cabal da URSS contra o exército nazifascista de Hitler em 9 de maio de 1945. Devido a sua transcendental importância e prestígio no movimento comunista internacional, a burguesia o escolheu como alvo dos furiosos ataques anticomunistas. Em março de 1953, quando da morte de Stalin, Pedro Pomar escrevia: “Quando nos foi transmitida a estarrecedora notícia, parecia o inacreditável. A princípio, a enfermidade traiçoeira. Depois, a morte irremediável. Era a desgraça que não podíamos nem queríamos esperar. Apagara-se a estrela fulgurante que com sua luz iluminava o nosso caminho para o futuro de paz, de alegria e de fartura. A dor pungente, a lágrima incontida, o sofrimento que emudece e turva as mentes, tudo sentimos – ante a perda de nosso chefe e mestre, de nosso pai e amigo. Simultaneamente, mal contínhamos o ódio sagrado a todos os degenerados que em face de nossa dor revelavam sua hediondez tentando denegrir a memória de nosso grande dirigente. Esses monstros, engendrados pelo capitalismo moribundo, confessavam assim sua própria impotência, sua derrota inelutável”.

O Grande Timoneiro

 
Avaliação do Usuário: / 11
PiorMelhor 
Sex, 19 de Dezembro de 2014 Cultura Popular - Celebrações

stal

 

Por celebração do 135º aniversário de nascimento do grande dirigente e artífice da construção do socialismo na União Soviética, nascido em 21 de Dezembro de 1879, publicamos junto com a foto acima, retirada do arquivo da revista Problemas, publicada pelo Partido Comunista do Brasil em Março de 1953, o texto abaixo, escrito pelo grande dirigente comunista Pedro Pomar, publicado pelo principal órgão informativo do Partido Comunista do Brasil, A Classe Operária,  também em Março de 1953, quando da morte do grande líder soviético.

 
Avaliação do Usuário: / 3
PiorMelhor 
Sex, 22 de Fevereiro de 2013 Cultura Popular - Celebrações

 

Em uma das festas populares mais tradicionais do nordeste, o "Encontro de Bois" do Carnaval de Olinda (PE), o coletivo Bagaço levou o "Boi Cote" em comemoração aos mais de 105.000 votos (entre abstenções, nulos e brancos) que ultrapassaram o prefeito que ficou primeiro lugar nas últimas eleições municipais da cidade. O Boi Cote foi bem recebido pelos brincantes, que cantaram as músicas "touro bandido" criada pelo próprio grupo e outras, como a "Bandeira da Revolução, do Zé Bentão e Bella Chao, em ritmos de coco, frevo, maracatu e cavalo-marinho. Ao longo das ladeiras de Olinda, recitaram também poesias e cordéis pernambucanos.

 
Avaliação do Usuário: / 1
PiorMelhor 
Ter, 27 de Dezembro de 2011 Cultura Popular - Celebrações

Celebramos, nesse dia 26 de dezembro, o 118º aniversário de nascimento do grande chefe revolucionário proletário, o Presidente Mao Tsetung. Filho de camponeses do Hunan, desde cedo tomou à peito a sorte do seu povo e a luta pela libertação do seu país, participando como soldado da derrubada do imperador em 1911. “Fundador do Partido Comunista da China e do Exército Vermelho de operários e camponeses estabeleceu o caminho de cercar as cidades desde o campo, desenvolveu a guerra popular e com ela a teoria militar do proletariado. Teórico da Nova Democracia, fundou a República Popular; gestor do Grande Salto Adiante e impulsor do desenvolvimento do socialismo; guia da luta contra o revisionismo contemporâneo de Kruschev e seus sequazes, chefe e mando da Grande Revolução Cultural Proletária. Estes são fatos que marcam uma vida dedicada cabal e plenamente à revolução. Três gigantescos triunfos tem o proletariado neste século (se refere ao triunfo da Revolução de Outubro, em 1917; ao triunfo da Grande Revolução Chinesa, em 1949; e à Grande Revolução Cultural Proletária, no período 1966-1976 –nota do MEPR); dois correspondem ao Presidente Mao Tsetung e se um é glória suficiente, dois o são mais”. (“Sobre o Marxismo-Leninismo-Maoísmo” –Partido Comunista do Peru).

Reproduzimos abaixo discurso pronunciado pelo Presidente Mao em maio de 1939, durante celebração aos 20 anos do Movimento 4 de Maio realizada em Yenan. Neste discurso, voltado para a juventude, ademais de desenvolver suas idéias a respeito da revolução chinesa, Mao Tsetung expõe sobre o papel da juventude revolucionária na luta pela transformação radical da sociedade e a necessidade desta ligar-se profundamente com as massas populares para alcançar seus objetivos.

Acreditamos que o texto abaixo possui grande interesse para todos os estudantes revolucionários da atualidade.

Presidente_Mao_com_dezessete_anos

 

-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

 


JPAGE_CURRENT_OF_TOTAL

RVI