gototopgototop

O Caminho Luminoso de Outubro

Avaliação do Usuário: / 0
PiorMelhor 

Por ocasião do aniversário de 92 anos da Grande Revolução Socialista de Outubro, o MEPR reproduz aqui em seu site matéria do jornal A Nova Democracia, de autoria do prof. Fausto Arruda. Entendemos que a passagem da celebração do triunfo da revolução bolchevique, que inaugurou uma nova era na história da humanidade, exige de todos os revolucionários uma profunda reflexão sobre esse quase centenário de luta sem quartel do proletariado por defender e fazer avançar o sistema socialista em meio ao cerco imperialista e à mais complexa e feroz luta de classes, que prossegue sob a ditadura do proletariado, através da luta implacável contra o revisiosnimo e que culminou na restauração capitalista na URSS em 1956.


Tomada do Palácio de Inverno, 1917, por Pavel Sokolov-skalia

Prof. Fausto Arruda

Todos anos, no aniversário da Revolução de Outubro de 1917, os democratas avançados e revolucionários em todo mundo celebram o grande acontecimento que mudou o rumo da história da Humanidade e inaugurou uma Nova Era. A reação, através de todos os meios, não deixa de aproveitar oportunidade como esta para, uma vez mais, destilar seu mais raivoso rancor contra a revolução proletária.


Na passagem dos 90 anos, os reacionários e seus potentes meios de comunicação, apesar de já terem decretado por mil vezes a morte e fim do comunismo, gastam rios de tinta e montanhas de papel num esforço frenético por reescrever a história, sepultar toda a verdade e jogar um mar de lama sobre os gloriosos e heróicos feitos das massas revolucionárias e especialmente sobre seus grandes chefes.

Interessante notar que neste intento obstinado as publicações e veiculações da reação esbravejam e amaldiçoam o grande dirigente comunista Josef Stalin, após entulhar montes de mentiras e sandices sobre sua honrada e revolucionária trajetória. Com o mesmo empenho, que chega às raias do grotesco e ridículo, ensalsam a figura de Leiva Davidovich Bronstein — Trotsky — como o maior discípulo de Lenin e mesmo como a "inteligência impar" no comando da revolução. Os mais empedernidos trotsquistas ganham espaços nobres nos principais meios dos monopólios de comunicação para dar suas versões pequeno-burguesas da Revolução de Outubro de 1917 e claro engrossar o coro da reação em sua triste tarefa de difamação de Stalin.

Na verdade, diga-se de passagem, Trotsky que após trajetória sinuosa e oportunista, marcada por profundas contradições com Lenin, em questões teóricas e ideológicas, só chegou ao Partido Bolchevique às vésperas da revolução. E poucos anos após o triunfo da revolução foram suficientes para revelar completamente o seu verdadeiro papel traiçoeiro.

A Revolução de Outubro de 1917 é imortal e inapagável acontecimento histórico. Chegará o tempo que novos ventos revolucionários varrerão toda a imundice lançada contra ela.
Como e porque triunfou a Revolução de Outubro

Há 90 anos as massas de operários, camponeses e soldados russos derrubaram o Estado autocrático do tzar Nicolau II e fizeram duas revoluções. Em fevereiro a revolução democrática deu lugar a um regime burguês imperialista-feudal e contra ele a revolução socialista triunfou em 25 de Outubro (7 de novembro no calendário ocidental). Após um breve período, ergueram o seu próprio Estado, inaugurando um período que encheria de esperanças os trabalhadores e de temor os reacionários do mundo todo.

A existência de um partido de novo tipo, armado com a poderosa linha ideológico-política marxista foi fator decisivo para a vitória da revolução, além, é claro da acertada condução na aliança operário-camponesa e a própria situação concreta de crise que existia na Rússia. Este partido, com laços indissolúveis com as massas, tomou o poder político, promoveu a expropriação dos capitalistas e latifundiários, socializou os meios de produção, destruiu a maquinaria burocrática-administrativa-policial-militar e estabeleceu o poder estatal do proletariado sobre novas bases, tudo apoiado pela força das massas armadas.

Em 1917 o mundo se encontrava mergulhado em uma crise. havia já três anos que os países imperialistas haviam se atirado numa guerra pela repartilha das colônias e semicolônias tendo a Rússia, país atrasado em relação às demais potências imperialistas, ingressado em uma das coalizões que promoviam o conflito, a I Guerra Mundial. Centenas de milhares de soldados do exército czarista eram camponeses sedentos de terra e justiça, insatisfeitos com uma guerra injusta. Somava-se a isto a existência de um proletariado com grande experiência na luta de classes e muito concentrado em algumas cidades. Somente os bolcheviques, conduzidos por Lenin e forjados ao longo de duras lutas contra o oportunismo e o revisionismo, compreenderam que ali, na Rússia, estavam reunidas as condições para a realização da primeira revolução proletária vitoriosa da história.
Grandes feitos e conquistas

Assim, a política acertada do Partido Bolchevique conduziu não só ao triunfo a insurreição armada como assegurou o estabelecimento e construção de um novo Poder, os Soviets ou o Poder político do proletariado, baseado na aliança operário-camponesa e mais avançada democracia, a Ditadura do Proletariado. O primeiro decreto do novo poder estatal socialista foi o da paz com a Alemanha. Estabeleceu todos os direitos reclamados pelos trabalhadores e passou o controle das fábricas aos operários, entregou a terra aos camponeses pobres, instituiu a igualdade da mulher e respondeu ao problema das nacionalidades e minorias nacionais oprimidas baseado no direito dos povos a autodeterminação, criando a União das Repúblicas Socialistas Soviéticas já nos primeiros anos.

Enquanto a reação e o imperialismo empreendiam inúteis sabotagens e agressões, o povo soviético, dirigido pelos bolcheviques, erguia monumentos à capacidade e criatividade humanas, coisas que só mesmo o povo é capaz de realizar.

Primeiro na guerra civil contra os parasitas burgueses, feudais e tzaristas e para expulsar os exércitos de 15 países que ocuparam a Rússia em socorro das classes exploradoras derrotadas. Logo empreendeu o caminho da construção do socialismo em um só país nas condições de cerco imperialista, para o que contou com o apoio e solidariedade de milhões e milhões de trabalhadores e progressitas em todo o mundo.

No curto período de 25 anos o nascente poder do proletariado enfrentou a guerra civil, realizou a eletrificação e industrialização, a cooperativização do campo e ainda suportou a devastação indescritível praticada pelas hordas hitleristas, com o genocídio, a matança e morte de mais de 25 milhões de seus compatriotas. Ajudou na libertação de inúmeras nações das garras nazi-fascistas e reconstruiu uma vez mais o país, saltando ainda à frente das nações capitalistas mais desenvolvidas no campo da ciência e da técnica.

O significado internacional

A Revolução de Outubro sacudiu o jugo do capital em todo mundo, fazendo estremecer os alicerces do imperialismo. E forjou uma nova arma para o proletariado — a teoria e a tática da revolução proletária —, apontando para os povos oprimidos de todos os países o caminho para o triunfo do socialismo, o que elevou o marxismo a sua segunda etapa, o marxismo-leninismo. Era o rompimento do monopólio do poder político pela burguesia no mundo e da condição do mercado capitalista como mercado mundial único.

Alentados pelos acontecimentos na Rússia, os proletários de todo o mundo redobraram de iniciativa revolucionária na Europa e nos Estados Unidos, além de incontáveis movimentos de libertação nacional nas colônias e semicolônias. Como se verificou na China, a revolução democrática burguesa ganhou nova feição com a liderança do Partido Comunista e do Presidente Mao Tsetung dirigida agora contra o feudalismo, o capitalismo burocrático e o imperialismo.

Como impacto da Revolução de Outubro e seu significado internacional o impulso da revolução chinesa foi a confirmação de que, na época do imperialismo, as lutas de libertação nacional tornaram-se parte integrante da Revolução Proletária Mundial.

 

RVI