gototopgototop

A causa de Stálin é invencível!

Avaliação do Usuário: / 12
PiorMelhor 

stal

 

Por celebração do 135º aniversário de nascimento do grande dirigente e artífice da construção do socialismo na União Soviética, nascido em 21 de Dezembro de 1879, publicamos junto com a foto acima, retirada do arquivo da revista Problemas, publicada pelo Partido Comunista do Brasil em Março de 1953, o texto abaixo, escrito pelo grande dirigente comunista Pedro Pomar, publicado pelo principal órgão informativo do Partido Comunista do Brasil, A Classe Operária,  também em Março de 1953, quando da morte do grande líder soviético.

 


A causa de Stálin é invencível

Pedro Pomar (A Classe Operária n° 416 - mar 1953) 

O camarada Stálin não vive mais. Seu coração e seu gênio deixaram de trabalhar na ingente obra da felicidade do gênero humano – o comunismo. Durante mais de cinquenta anos ele elevou às culminâncias o pensamento e a grandeza da classe operária, a classe mais revolucionária da história.

Quando nos foi transmitida a estarrecedora notícia, parecia o inacreditável. A princípio, a enfermidade traiçoeira. Depois, a morte irremediável. Era a desgraça que não podíamos nem queríamos esperar. Apagar-se a estrela fulgurante que com sua luz iluminava o nosso caminho para o futuro de paz, de alegria e de fartura. A dor pungente, a lágrima incontida, o sofrimento que emudece e turva as mentes, tudo sentimos – ante a perda de nosso chefe e mestre, de nosso pai e amigo. Simultaneamente, mal contínhamos o ódio sagrado a todos os degenerados que em face de nossa dor revelavam sua hediondez tentando denegrir a memória de nosso grande dirigente. Esses monstros, engendrados pelo capitalismo moribundo, confessavam assim sua própria impotência, sua derrota inelutável.

Choramos todos a morte nosso estremecido Stálin, cobrimo-nos de luto pesado, estendemos a cada homem do povo a nossa consternação irreparável, procuramos o conforto dos encontros entre os camaradas e amigos. É a hora das manifestações de pesar e de dor, da avaliação da imensa perda, do balanço das responsabilidades, de tensão das forças e do juramento de prosseguirmos na luta, de honrarmos mais e mais os tesouros dos ensinamentos do camarada Stálin, sua memória imperecível.

Os delegados de nosso querido Partido Comunista ao histórico XIX Congresso do Partido de Lênin e Stálin, diziam: “Ainda há poucos meses o víamos tão cheio de vida e energia, tão modesto e acolhedor, tão bom e tão sábio!...”

Podemos dizer que nosso amor, nosso carinho e nossa dedicação a Stálin não tinham limites. Mais o tivéssemos estudado e conhecido, mais tivéssemos compreendido sua obra para libertar o homem e as nações do jugo do capitalismo, por certo mais o teríamos amado. A vida e o nome de Stálin se converteram em símbolos de vitória. Tivemos a felicidade de viver no século do comunismo, o século de Lênin e de Stálin.

O nosso povo, que há tatos anos luta pela sua independência nacional, que hoje enfrenta a política de traição, de fome e de guerra das classes dominantes a serviço dos imperialistas americanos, tinha no camarada Stálin o seu maior amigo. A revolução de outubro e a edificação do socialismo na URSS, assim como a vitória na guerra contra o fascismo, toram obras de Stálin. Ele personificava também para nós a esperança da próxima libertação, a certeza do triunfo final. Por isso todos os explorados e oprimidos de nosso país, todas as mães que querem ver seus filhos a salvo da fome, das doenças e da guerra, todos os que amam o progresso e a liberdade, todos os que anseiam pela paz e a independência nacional, hão de manifestar por todas as formas ao seu alcance seus sentimentos de pesar pelo desaparecimento do grande líder da humanidade avançada, o homem que tanto fez a favor dos povos oprimidos. Nesta hora cruciante, juntos saberemos centuplicar nossos esforços para defesa da causa da paz e da democracia, procurando liquidar os planos sinistros dos incendiários de uma nova guerra mundial. Cada patriota há de jurar como o heroico partido de Prestes que jamais nosso povo fará a guerra à Pátria do socialismo. O apoio sem reservas à gloriosa União Soviética é o apoio à nossa própria luta pela paz e a independência da Pátria, porque os interesses da União Soviética são absolutamente inseparáveis dos interesses da causa da paz no mundo inteiro. Que nós, os comunistas, fortaleçamos mais e mais o nosso partido, procurando forjá-lo à imagem e semelhança do Partido de Lênin e Stálin, recrutando sem perda de tempo milhares e milhares de novos combatentes operários e elevando sem cessar nosso nível teórico e ideológico.

O camarada Stálin morreu quando a glória de gênio nos descortinava vastos horizontes para nossa luta revolucionária e em defesa da paz, com um programa simples e claro, no discurso com o qual encerrou o XIX Congresso do Partido Comunista da União Soviética. Ele indicou-nos o caminho da vitória, revelou as incalculáveis possibilidades das forças da classe operária, da democracia, da paz e do socialismo. As ideias do marxismo-leninismo, desenvolvidas e enriquecidas pelo seu espírito criador, são as ideias triunfantes da nossa época. A causa que ele encarnou e dirigiu por mais de trinta anos é invencível. A obra e o nome do camarada Stálin são imortais.

Com a dor que não podemos traduzir, reverenciamos sua memória, prosternando nossas bandeiras de combatentes revolucionários proletários, de patriotas e internacionalistas, no último adeus ao grande chefe, pai e mestre – o camarada Stálin.



 

Viva o 135º aniveresário de nascimento do grande Marechal Stálin!

REBELAR-SE É JUSTO!


 

RVI