gototopgototop

Dinaelza Soares Santana Coqueiro

Avaliação do Usuário: / 0
PiorMelhor 

dinaelsaMilitante do PARTIDO COMUNISTA DO BRASIL (PC do B).

Nasceu em 22 de março de 1949 em Vitória da Conquista, Estado da Bahia, filha de Antônio Pereira de Santana e Junília Soares Santana.

Desaparecida desde 1973 na Guerrilha do Araguaia, aos 25 anos.

Concluiu o curso primário e secundário no Instituto Regis Pacheco, em Jequié e, em 1969, iniciou o curso de Geografia na Pontifícia Universidade Católica de Salvador. Participou do movimento estudantil e fazia parte da Comissão Executiva do Diretório Central dos Estudantes da sua Universidade.

Trabalhou na Sadia, hoje Transbrasil, até início de 1971. Estava decidida a lutar contra a ditadura e defender os ideais de justiça. Decidiu, então, participar do movimento guerrilheiro, indo para o Araguaia com seu marido Vandick Reidner Pereira Coqueiro (desaparecido).

O Relatório do Ministério do Exército diz que ela “utilizava os codinomes Dinorá e Maria Dina, tendo sua carteira de identidade n° 792454-SSP/BA apreendida em um ‘aparelho rural’ do PC do B. Atuava na área de Xambioá e Marabá.” O Relatório do Ministério da Marinha diz que ela foi “morta em 8 de abril de 1974”. Seus companheiros a viram viva e em liberdade pela última vez em 30 de dezembro de 1973. Segundo informações de moradores da região foi aprisionada por tropas do Exército.

A história do DA GEO

Estudante de Geografia da UCSal, fundadora do diretório acadêmico e membro da comissão executiva do DCE, filha de Antônio Pereira Santana e Junília Soares Santana, nasceu em 22 de março de 1949 em Vitória da Conquista, Bahia. Desapareceu em 1973, na Guerrilha do Araguaia, aos 25 anos de idade.

DINAELZA COQUEIRO, assim como centenas de outros jovens de sua época, estava decidida a lutar contra a ditadura militar e defender os ideais de justiça e liberdade. Foi assim que decidiu participar do movimento guerrilheiro, indo para o Araguaia com seu marido Vandick Reidner Pereira Coqueiro (também desaparecido).

Que os ideais de DINAELZA estejam sempre vivos entre nós. E que os mesmos nos motivem sempre a continuar lutando por um Brasil mais justo, igualitário, livre e democrático.

DA GEO DINAELZA COQUEIRO

Gestão GEOGRAFIA PARA GEOGRAFIA

 

HONRA E GLÓRIA AOS HERÓIS DO POVO!


 

RVI