gototopgototop

Emmanoel Bezerra dos Santos, dirigente comunista

Avaliação do Usuário: / 2
PiorMelhor 

bezerra Em 17 de junho comemora-se o aniversário do revolucionário Emmanoel Bezerra.

Emmanoel Bezerra nasceu em 17 de junho de 1943, em Praia de Caiçara, Município de São Bento do Norte/RN.

Destacado líder estudantil, estudou no Colégio Atheneu, na sua cidade natal. Foi presidente da Casa do Estudante quando cursou a antiga Faculdade de Sociologia, na Fundação José Augusto. Destacou-se nos estudos do marxismo-leninismo e economia política, moldando sua militância política sendo ardente defensor da ciência do proletariado nas acaloradas discussões com os colegas e companheiros. Foi a principal liderança do comitê universitário do Partido Comunista Revolucionário, organizado naquela ocasião, no Rio Grande do Norte. Viveu de 68 a 73 nos Estados de Pernambuco e Alagoas. Organizou a bancada dos estudantes potiguares para o histórico congresso da Une em Ibiúna – SP, onde foi preso com os demais companheiros, sendo enquadrado pelo famigerado Decreto-lei 477 do general Costa e Silva. A repressão do regime militar fascista fez com que fosse expulso da faculdade e iniciasse sua militância na clandestinidade. Dedicando-se ao trabalho de organização e relação com as organizações revolucionárias no estrangeiro viajou por diversas vezes ao Chile e Argentina.

Em 1973, Emmanoel Bezerra, juntamente com Manuel Lisboa foram presos e barbaramente torturados por dias seguidos pelos agentes do regime militar fascista. Sua conduta exemplar diante de seus algozes, sua postura firme e fidelidade aos princípios do marxismo-leninismo fizeram com que sua morte significasse uma dura derrota para seus inimigos.

Saudemos nessa data esse grande revolucionário, que nas duras condições do trabalho clandestino e das perseguições, juntamente com Manuel Lisboa de Moura, deram gigantescas contribuições para a forja do verdadeiro partido do proletariado. Sua trajetória de luta, sua resistência, sua contribuição teórica e prática, representam para os revolucionários brasileiros um grande exemplo de dedicação à causa do proletariado, e aponta para todos o caminho da luta revolucionária.

Sua ardente fidelidade à causa revolucionária e firme convicção no futuro luminoso da humanidade estão estampadas nesse poema, escrito quando da sua primeira prisão na Base Naval de Natal, em 1969.

Às gerações futuras*

Eu vos contemplo
Da face oculta das coisas.
Meus desejos são inconclusos,
Minhas noites sem remorsos.
Eu vos contemplo,
Pelas grades insensíveis.
Meu sonho,
é uma grande rosa.
Minha poesia,
Luta .
Eu vos contemplo
Da virtual extremidade.
Minha vida (pela vossa).
Meu amor,
Vos liberta
Eu vos contemplo
As grades esmaecem.
Da própria contingência
Mas minha força
É imbatível
Porque estais
À espera.
Eu vos contemplo
Do fogo da batalha.
Meus soldados
Não se rendem.
O grande dia
Chegará
Eu vos contemplo
Gerações futuras,
Herdeiros da paz e do trabalho
Ante o meu contemplar.

Viva Emmanoel Bezerra!

HONRA E GLÓRIA AOS HERÓIS DO POVO!

 

RVI