gototopgototop

Marilene Vilas-Boas Pinto

Avaliação do Usuário: / 1
PiorMelhor 

marilene_vilasMilitante do MOVIMENTO REVOLUCIONÁRIO 8 DE OUTUBRO (MR-8).

Nasceu em 8 de julho de 1948, no Rio de Janeiro.

Morreu aos 22 anos de idade.

Estudante de Psicologia na Universidade Santa Úrsula, cursando até o 2º ano, quando, em 1969, por sua participação no movimento estudantil foi obrigada a viver na clandestinidade. Inicialmente militou na ALN e, posteriormente, ligou-se ao MR-8.

Foi presa e ferida no tiroteio em que tombou Mário de Souza Prata, no dia 2 de abril de 1971, à rua Niquelândia, 23, em Campo Grande, no Rio de Janeiro.

Marilene, mesmo ferida e sem receber cuidados médicos, foi conduzida às câmaras de tortura do DOI/CODI-RJ, tendo sido assassinada algumas horas após seu ingresso naquele departamento.

Como testemunho da morte de Marilene sob torturas, há o depoimento da presa política Inês Etienne Romeu, que foi informada da sua morte quando esteve no Hospital Geral do Exército do Rio de Janeiro para tratamento. Lá, Inês ouviu de um médico o relato da noite em que estava de plantão e Marilene chegou para atendimento médico, mas já estava morta.

Em seu atestado de óbito consta a morte em 03 de abril de 1971 no Hospital Central do Exército-HCE e foi firmado pelo Dr. Rubens Pedro Macuco Janini.

Sua família, após muitas procuras e intermediações, conseguiu resgatar o corpo do HCE e enterrá-lo, em 05 de abril de 1971, no Cemitério São Francisco Xavier (RJ). Seu caixão foi entregue à família lacrado e durante o enterro vários militares à paisana faziam provocações aos presentes.

Notícias de sua morte foram publicadas, no dia 04 de junho de 1971, no Jornal do Brasil, “O Globo” e em “O dia”, respectivamente sob os seguintes títulos: “Casal Terrorista Morto ao Resistir Ordem de Prisão”, “Terrorista assassino foi morto ao resistir à prisão” e “Mortos no Tiroteio Terrorista e a Amante”. Em realidade, todos publicavam na íntegra o comunicado da Secretaria Estadual de Segurança Pública do Rio de Janeiro que dizia: “... a morte de Mário ocorreu no dia 03 de abril próximo passado, durante tiroteio que travou com as autoridades ao reagir à prisão. Na ocasião, sua amante Marilene ficou gravemente ferida, vindo a falecer logo depois”.

HONRA E GLÓRIA AOS HERÓIS DO POVO!