Índia: Maoístas lançam ataques por todo o País

Combatentes_do_EGPLNo dia 3 de julho último o Birô de Informações do Comitê  Regional Norte do Partido Comunista da Índia (Maoísta) noticiou o pérfido assassinato, por forças paramilitares reacionárias, do histórico dirigente, membro do birô  político e porta-voz do PCI (Maoísta) Cherukuri Rajkumar, conhecido por seus camaradas e massas populares indianas como Azad.

Azad foi seqüestrado no dia 2 de julho, juntamente com outro militante do PCI (Maoísta) –camarada Pandey- quando se dirigiam a uma reunião do Comitê Central do Partido. Ambos foram assassinados a sangue frio.

No dia 5 de julho centenas de pessoas entre seus camaradas, simpatizantes da causa e massas populares renderam-lhe profundas homenagens durante seu funeral. O PCI (Maoísta) convocou uma Greve Geral para o dia 8 de julho, em protesto pelo repugnante crime cometido pelas forças reacionárias indianas.

Camarada_AzadNa verdade o covarde assassinato de Azad, e todos os atos de terror cometidos pelo genocida Estado indiano, são indicativos do desespero das classes dominantes daquele país e do imperialismo –principalmente ianque- diante do poderoso processo revolucionário que se desenvolve na Índia, por meio da Guerra Popular Prolongada. Na realidade, todos os atos de terror perpetrados pela reação e pelo imperialismo, no momento em que se encontram em seu estertor, longe de intimidar e aplastar a sanha revolucionária das massas, só a torna mais consciente e decidida.

Isso ficou provado com os acontecimentos que se seguiram à convocação da greve geral pelo PCI (Maoísta). Novamente, as poderosas ações do EGPL fizeram estremecer o velho Estado reacionário indiano desde as suas estruturas.

 


Índia: Maoístas lançam ataques por todo o País:

Extraído e traduzido de http://revolucionnaxalita.blogspot.com

Os maoístas lançaram ataques em todoo país durante a greve de dois dias convocada pelo Partido Comunista da Índia –Maoísta (PCI-Maoísta) para protestar pelo assassinato de seu porta-voz Cherukuri Rajkumar, conhecido como Azad (seu nome de guerra), pela polícia em Andhra Pradesh.

Maostas_aps_mais_uma_aoNo dia 8 de julho os maoístas atacaram uma estação de polícia e a casa de um líder do Congresso em Chattisgarh no distrito de Dantewada, matando a dois de seus familiares e a dois agentes de segurança e deixando dois feridos, inclusive seu filho.

Os naxalitas explodiram a estação de polícia de Kaukonda em Dantewada na quinta-feira (8 de julho) pela manhã. Ao menos dois policiais morreram.

Em Jharkhand, um guarda de segurança foi morto em um encontro após os maoístas terem estourado parte da estação de trens e pistas de Hehegarha no distrito de Latehar, no segundo dia de sua Greve Geral de dois dias. O tiroteio começou em torno das duas horas da manhã, após um grupo de 100 maoístas armados bombardearem uma parte da estação de trem, matando o agente de segurança Indra Dev Singh da Força de Jharkhand Jaguar. A explosão danificou a sala de sinalização, e cabine e meia do edifício principal da estação de trem. Os maoístas também sabotaram as vias entre Lichitpur e Tetulmari, estações de trem em Tetulmari Dhanband.

A explosão destroçou umas três seções da pista, o que paralisou trens importantes, incluindo o Expresso Rajdhani.

Os motoristas de ônibus de larga distância e os caminhões se mantiveram fora de serviço no transporte de minerais em vários distritos.

Os maoístas e a polícia mantiveram um enfrentamento em Hehegarha. Ao menos um policial morreu na troca de tiros.

Ataque maoísta contra o Comissariado de Polícia em Orissa:

Em Orissa, os maoístas fortemente armados atacaram à noite do dia 8 de julho uma delegacia e uma casa florestal, incendiaram-nas e sequestraram um policial em Keonjhar.

Em torno de 80 maoístas, portando armas automáticas, irromperam na cidade de Daitari e se dirigiram contra a delegacia de polícia e a oficina florestal abrindo fogo indiscriminado, produzindo breve troca de fogo com os policiais.

O assistente do Sub Inspetor Umesh Chandra Marandi tem desaparecido depois do incidente e acredita-se que tenha sido capturado pelos maoístas.

Os maoístas saqueram a delegacia e a oficina florestal, aonde só estavam presentes dois funcionários no momento do ataque, antes de incendia-las.

Uma massiva operação pente-fino se pôs em marcha para rastrear o paradeiro do oficial de polícia supostamente seqüestrado pelos maoístas. Marandi mantém-se desaparecido.

Maoístas incendeiam acampamento policial das CRPF em Chattisgarh:

Em Chattisgarh, maoístas dispararam simultaneamente contra três acampamentos CRPF esta noite, o que levou as tropas a responder, porém não há  releto de feridos.

O fogo que começou em torno das 21:30 hs contra os acampamentos da CRPF em Narayanpur, Dantewada e Bijapur, se prolongou durante uma hora.

Em Narayanpur naxalitas dispararam contra o acampamento do batalhão 39 da força policial próximo à aldeia Edka.

Os outros dois incidentes de disparos tiveram lugar em Polampalli em Dantewada e Basaguda em Bijapur.

Greve interrompe estrada; serviços de trem; fortes medidas de segurança:

A greve convocada pelo PCI (Maoísta) paralisou a comunicação por estradas e atividades comerciais em algumas áreas. O serviço de ônibus do governo ficou suspenso nos distritos afetados como Koraput, Gajapati, Malkangiri, Rayagada Kandhamal. Os maoístas também bloquearam com árvores algumas estradas em Malkangiri, Kandhamal e Koraput.

Um trem de passageiros e alguns trens de mercadorias foram suspensos no distrito de Sundargarh, enquanto que também ônibus privados foram paralisados em várias regiões com forte implantação dos maoístas.

A greve tem tido também impacto nas zonas urbanas permanecendo as tendas e estabelecimentos comerciais fechados nas zonas de Malkangiri, Gajapat, Koraput, Rayagada, Keonjhar e Sundargarh.

Guerrilheiros maoístas atacaram a zona mineira de Daitari:

East Coast Railway (EcoR) tem regulado alguns dos trens que circulam através de distritos maoístas afetados da Koraput e Rayagada em um intento de evitar qualquer problema, disseram.

Alguns trens de mercadorias que vão desde Rourkela a Bimlagarh para o transporte do minério de ferro e outras matérias primas da usina siderúrgica de Rourkela foram suspensos dois dias em vista da greve (chamada pelos indianos bandh).

Os serviços de ônibus de passageiros e de transporte se viram particularmente afetados na NH –215 que passa pelas zonas maoístas em Sundargarh e no distrito Keonjhar.