Estudantes e professores da UFMG também na luta contra o sucateamento da educação!

DSCF0623

Mesmo a UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) sendo uma das últimas a se organizarem e deflagrarem greve dos docentes, professores desde o dia 12 de junho tem organizado assembleias semanais para decidir o rumo da greve na UFMG e discutir sobre os problemas da educação no Brasil.

Após a greve iniciada, em 19 de junho, temos visto várias assembleias estudantis, reuniões de professores! E tiramos que iniciaremos as mobilizações para que os estudantes tire suas proprias reivindicações para construirmos realmente uma grande e valorosa greve geral, juntando nossas forças com os professores e técnicos, que já se encontram em greve.

 

Há várias coisas acontecendo na UFMG, recebemos recentemente o comunicado que o preço do Restaurante Universitário vai de RS2,50 para R$3,75, sem nenhuma discussão com o movimento estudantil (enquanto isso, valor de bolsa se mantém na casa dos R$300 apenas). Temos cursos do REUNI dispostos a serem fechados, por falta de organização, como é o caso de Ciências do Estado. A disposição da UFMG em reconhecer a Empresa Brasileira de Serviços  ospitalares (EBSERH) para administrar o Hospital das Clínicas., falta de laboratórios na Escola de Belas Artes. prédio da música sem o anexo prometido há anos, além da total falta de democracia, como Portaria 034 que proibe festas dentro do campus, portaria sendo fechada para estudantes bolsistas da FaE, com medo de roubarem equipamentos da universidade, além de que estudantes estão sendo expulsos da moradia universitária (com prazo de 1 mês!!) por não corresponderem mais ao perfil de aceite.

Estes são alguns dos vários problemas da UFMG, que após muita análise e muitos debates, chegamos ao que já era de se esperar : O que estamos passando por aqui é semelhante ao restante do Brasil, sofremos com um enorme sucateamento da educação, tendo seu ápice na aplicação do REUNI( Programa de Apoio a Planos de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais,em 2007). Aplicação esta que foi de forma desastrosa, pois em 2012, seu ultimo ano, apenas 46% das obras destinadas foram conclusas.

Além disso, o gerenciamento oportunista do PT, dá prova cabal de como não conseguiu e não tem interesse em solucionar os problemas no que tangem as condições de vida do povo e seu aprendizado. Exemplo disso é que, enquanto o pagamento da dívida pública brasileira passa dos 47% do PIB, a educação está em míseros 3%. Lembrando que nos últimos 2 anos, Dilma cortou mais de 5 BILHÕES da educação!

Isso que está traçado! Estudantes em assembleias tem dado resposta a altura, dizendo que APÓIAM a greve dos docentes e dos técnicos administrativos em educação! É a maior greve da educação, a nível federal dos últimos anos! É a demonstração de que todos aqueles que faziam oposição ao Governo, agora nele estão representando e reprimindo o povo pobre.

O MEPR, se coloca incondicionalmente solidário a luta dos professores e técnico administrativos, que estão em greve Brasil afora e afirmamos a justeza desta luta, que não é apenas por aumento de salário e reestruturação de carreira, mas também em defesa da educação pública, gratuita e de qualidade! E indicamos que, em todos os locais façamos greves de ocupação! Com muitos debates, palestras, cursos, atos, seminários, enfim! Ocupar é estar presente nas universidades que, mesmo em greve, sejam palco de revoltas e lutas políticas!

 

DERRUBAR OS MUROS DA UNIVERSIDADE, SERVIR AO POVO NO CAMPO E NA CIDADE!

É GREVE, É GREVE GERAL, CONTRA AS REFORMAS DO BANCO MUNDIAL!