Estado assassino comete mais crimes contra os filhos do povo pobre na periferia de São Paulo

washington
Na madrugada do último sábado (08/12) o jovem Washington Ramalho da Silva de 19 anos teve 60% de seu corpo queimado por um soldado da PM. O crime aconteceu no bairro Americanópolis, periferia da Zona Sul na capital paulista.
Washington junto com seu colega William da Silva passeava de moto pela região quando faltou combustível no veículo, um casal que passava pelo local prontificou – se á ajudar se ausentando para fazer a busca, foi nesse momento que os rapazes foram abordados por quatro policiais.
O casal retornou, deixou a entrega e logo se retirou nesse instante o soldado Marcelo Penny Ribeiro jogou gasolina e ateou fogo nos jovens, porém William conseguiu escapar, conforme afirma em seu relato. “…Quando eu estava sentado no chão, ele jogou gasolina na minha cabeça e na cabeça do outro rapaz. (…) Só vi na hora que o fogo subiu e o moleque estava queimando. Foi aí que eu saí correndo…”. ¹
William encontra – se internado em estado grave.

Tamanho foi o absurdo, que nem os monopólios dos meios de comunicação puderam se calar e nem justificar a ação, como costumeiramente fazem, e divulgaram na “imprensa” esse ato de terrorismo praticado pelo Estado assassino.
Demagogicamente a Polícia Militar do Estado de São Paulo divulgou nota, afirmando que “… A Polícia Militar esclarece ainda que não compactua com atos ilegais e apura com rigor desvios de conduta e crimes eventualmente cometidos por seus integrantes, de acordo com a Lei.”não compactua com atos ilegais e apura com rigor desvios de conduta e crimes eventualmente cometidos por seus integrantes, de acordo com a Lei…”²
Como se esse fato fosse exceção e não a regra do que vem ocorrendo nas periferias de São Paulo: extermínio da população pobre pelos “agentes” do Estado, amparados e legitimados pelo gerenciamento estadual de Geraldo Alckmin.
Mais um triste caso Engrossa as Estatisticas 
Na madrugada desse domingo (09/12) um jovem de 17 anos, Maicon Rodrigues de Moraes foi assassinado por diversos disparos quando estava dentro de um carro com outro amigo, eles foram abordados por seis policiais nas ruas do bairro Jaçanã, periferia da zona norte de SP. Maicon morreu no local e o amigo foi encaminhado para um pronto socorro da região, ferido pelos disparos.  O irmão do jovem assassinado foi até o local, assim que  soube da notícia, ao chegar  foi barbaramente espancado pelos mesmos PMs.  Encontra – se internado, em estado grave com traumatismo bucomaxilar. 
Os vizinhos e amigos protestaram e afirmam que o rapaz foi vítima de execução:
 
“ Tem cerca de três meses que eles (os PMs) chegam aqui batendo nas pessoas, ameaçando os moradores. Já vi garotos apanhando sem ter feito nada de errado”, disse Eliane Pereira, de 35 anos, que nasceu no bairro.
“Temos mais medo dos policiais do que dos bandidos. Os PMs chegam espancando, dando coronhada nos meninos. O Michael (Rodrigues ) foi executado”, reclamou Claudenice Ferreira, 43.³
O Estado a cada dia tem aumentado seu grau de facistização, derramando o sangue dos filhos do povo pobre com a cobertura direta dos monopólios de comunicação com a suja campanha de “combate ao crime organizado”, a fim de legitimar os seus crimes. Mais de trezentas pessoas morreram somente no mês de Novembro de 2012 em São Paulo, a maioria com características de execução. Tudo isso demonstra que o povo vive sobre uma brutal ditadura, já que nem os milicos atingiram um número tão elevado de assassinatos em 20 anos de gerenciamento no Brasil, mas o povo paulista não se cala: luta e exige punição para os assassinos do passado e do presente!
¹ http:// g1.globo.com/sao-paulo/noticia/2012/12/pms-suspeitos-de-matar-um-jovem-vao-para-presidio-militar-em-sp.html
² http://noticias.terra.com.br/brasil/noticias/0,,OI6366453-EI5030,00-SP+jovem+que+teve+do+corpo+queimado+por+PM+e+transferido+de+hospital.html
³ http://www.diariosp.com.br/noticia/detalhe/39663