Urgente do Rio! Prisões e fascismo a caminho do 7 de setembro

ato_FIP

Na manhã dessa quarta-feira 04/09 a Polícia Civil do Rio de Janeiro desencadeou uma operação para prender pessoas que teriam sido identificadas como administradoras da página Black Bloc RJ. Ao todo 5 companheiros foram presos, sendo dois menores de idade. Serão autuados por formação de quadrilha armada e incitação à violência, crimes inafiançáveis, e enviados para o complexo de presídios de segurança máxima de Bangu. A polícia alega também ter encontrado material de pedofilia no computador de um dos presos, que também responderá por esse crime. Até o presente momento o nome dos presos na operação de hoje não foi divulgado. Essa operação ocorre um dia após a votação da lei inconstitucional aprovada pela Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro autorizando a Polícia Militar a levar detidos manifestantes que estiverem mascarados. Ontem à noite mesmo, horas após a votação da lei infame, durante realização de um baile de máscaras na ocupação da Câmara do Rio, 4 pessoas foram detidas.

Resumo: cinco pessoas estão presas e serão encaminhadas para presídio de segurança máxima por supostamente serem administradoras de uma página na internet!

 

Essa ação ocorre no esteio da Comissão Especial para Investigação de Atos de Vandalismo em manifestações públicas (CEIV) criada pelo fascista governador Sérgio Cabral no mês de julho último. Essa CEIV, apelidada AI-5 do Cabral, é a mesma que no seu decreto de constituição previa a quebra de sigilo telefônico de “suspeitos” sem a prévia autorização judicial, causando o protesto dos movimentos populares organizados e juristas.

Não se trata de nenhuma coincidência essas ações ocorrerem na semana do 7 de setembro. Como na época do regime militar, os fascistas de hoje buscam no terrorismo de Estado a saída para intimidar o povo rebelado. Em vão! Mergulhar a cidade num clima de completa ilegalidade, arbítrio, fascismo e terror só aumentará o abismo que separa a população desse Estado fascista e sanguinário. Como pode o governo e a polícia que assassinaram o Amarildo e realizaram novas chacinas em favelas, como no complexo da Maré, pretender acusar manifestantes de serem “criminosos perigosos”? Como pode Cabral e sua quadrilha, que meteram a mão no dinheiro do povo na obra do Maracanã, para logo entrega-lo de graça ao “parceiro” Eike Batista, acusar jovens militantes de formação de quadrilha armada? Não seria quadrilha a turma de milicianos que na sessão da CPI dos ônibus ameaçou os companheiros da ocupação da câmara RJ, e que depois foram desmascarados como funcionários de secretarias do governo estadual? E que dizer dos crimes cometidos pela polícia, que agrediu indistintamente jornalistas, advogados, escondeu identificação e vandalizou hospitais e até mesmo delegacias?

Cada militante, lutador, democrata, cada jovem que foi em manifestações em junho tem o dever de conosco deter essa escalada fascista. Enviaremos novas informações. Haja o que houver: não nos deterão! Contra o terrorismo de Estado de ontem e de hoje, 7 de setembro revolucionário no Rio!