Comunicado da Comissão Civil de Impulso a Busca dos 43 estudantes desaparecidos da Escola Normal Rural “Raul Isidro Burgos”, de Ayotzinapa, Guerrero.

México:

 

 

Traduzido de http://dazibaorojo08.blogspot.com.br/2014/10/mexico-comunicado-de-la-comision-civil.html da publicação de 26 de outubro de 2014.

 

Um mês de angustia, dor e indignação sem resposta do Estado

 

Neste domingo, 26 de outubro de 2014, se completa um mês da desaparição forçada de 43 estudantes da Escola Normal Rura “Raul Isidro Burgos”, de Ayotzinapa, Guerrero; a execução extrajudicial de outros três: Julio César Ramírez, Daniel Solís Gallardo, Julio César Mondragón e mais vinte estudantes feridos. Esta ação foi executada pelas Polícias Municipais de Iguala e Cocula, Estado de Guerrero, México.

Neste longo mês, as famílias e companheiros dos desaparecidos, em meio à enorme precariedade, começaram a busca com seus escassos recursos e iniciaram uma investigação que o Estado não tem sido capaz de coordenar. Em todo o território nacional, estudantes, cidadãos e cidadãs, mães e pais de família, tem saído de suas casas para exigir a apresentação com vida dos 43 normalistas desaparecidos.


Exigimos do governo federal a apresentação com vida dos 43 estudantes normalistas e a punição, conforme a lei, dos responsáveis materiais e intelectuais destas gravíssimas violações dos direitos humanos, que alcançam a proporção de um crime contra a humanidade. É agora sua responsabilidade encontrar e dizer a verdade, punir os responsáveis, reparar os danos e tomar medidas efetivas e radicais para que crimes de Estado como este não se repitam, em Guerrero ou em qualquer outro lugar da república.

Alertamos contra todo o intento, de qualquer origem, de criminalizar os estudantes particularmente a averiguação que é realiza pela Procuradoria Geral da República.

Nós, da Comissão Civil de Impulso a Busca dos 43 estudantes de Ayotzinapa, temos acompanhado durante este mês, por meio de diversas ações e o apoio dos familiares e estudantes em luta, buscando sempre escutar as demandas centrais e impulsionando suas exigências perante as autoridades, que até o momento segue tendo como foco principal a apresentação com vida dos estudantes. Seguiremos acompanhando os familiares e estudantes na busca da verdade e justiça.

Dizemos às famílias que esta Comissão seguirá empenhada na busca de seus filhos e expressamos novamente nossa solidariedade e respeito.

¡Vivos os levaram, vivos os queremos!

Estes são os nomes dos 43 estudantes desaparecidos: FELIPE ARNULFO ROSA; BENJAMIN ASCENCIO BAUTISTA; ISRAEL CABALLERO SANCHEZ;ABEL GARCIA HERNANDEZ; EMILIANO ALEN GASPAR DE LA CRUZ; DORIAM GONZALEZ PARRAL; JORGE LUIS GONZALEZ PARRAL; MAGDALENO RUBEN LAURO VILLEGAS; JOSE LUIS LUNA TORRES; MAURICIO ORTEGA VALERIO; JESUS JOVANY RODRIGUEZ TLATEMPA; ABELARDO VAZQUEZ PENITEN; ADAN ABRAJAN DE LA CRUZ; CHRISTIAN TOMAS COLON GARNICA; LUIS ANGEL FRANCISCO ARZOLA; CARLOS LORENZO HERNANDEZ MUÑOZ; ISRAEL JACINTO LUGARDO; JULIO CESAR LOPEZ PATOLZIN; JOSE ANGEL NAVARRETE GONZALEZ; MARCIAL PABLO BARANDA; MIGUEL ANGEL MENDOZA ZACARIAS; ALEXANDER MORA VENANCIO; LUIS ANGEL ABARCA CARRILLO; JORGE ALVAREZ NAVA; JOSE ANGEL CAMPOS CANTOR; JORGE ANIBAL CRUZ MENDOZA; GIOVANNI GALINDREZ GUERRERO; JHOSIVANI GUERRERO DE LA CRUZ; CUTBERTO ORTIZ RAMOS; EVERARDO RODRIGUEZ BELLO; CHRISTIAN ALFONSO RODRIGUEZ TELUMBRE; MARTIN GETSEMANY SANCHEZ GARCIA, JONAS TRUJILLO GONZALES; JOSE EDUARDO BARTOLO TLATEMPA, LEONEL CASTRO ABARCA; MIGUEL ANGEL HERNANDEZ MARTINEZ; CARLOS IVAN RAMIREZ VILLAREAL; JORGE ANTONIO TIZAPA LEGIDEÑO; ANTONIO SANTANA MAESTRO; MARCO ANTONIO GOMEZ MOLINA, CESAR MANUEL GONZALEZ HERNANDEZ, SAUL BRUNO GARCIA Y BERNARDO FLORES ALCARÁZ.

Comissão Civil de Impulso a Busca

Abel Barrera, Adolfo Gilly, Carlos Fazio, Gilberto López y Rivas, Javier Sicilia, Magda Gómez, Mario Patrón, Miguel Concha, Miguel Álvarez, Edgar Cortez

Amnistía Internacional sección Mexicana; Asociadas por lo Justo, JASS; Centro de Derechos Humanos de la Montaña “Tlachinollan”; Centro de Derechos Humanos Fray Francisco de Vitoria; Centro de Derechos Humanos Miguel Agustín Pro Juárez; Centro Diocesano de Derechos Humanos Fray Juan de Larios; Fundar, Centro de Análisis e Investigación; Instituto Mexicano de Derechos Humanos y Democracia; Red Nacional de Organismos Civiles Todos los Derechos para “todas y todos” y Servicios y Asesoría para la Paz.