ExNEPe: Convocatória Nacional para o dia 23 de Novembro

Reproduzido de Executiva Nacional de Estudantes de Pedagogia


Convocatória Nacional para o dia 23 de Novembro

Dia Nacional de Luta em Defesa do Ensino Público, Gratuito e Democrático

Executiva Nacional de Estudantes de Pedagogia
exnepe.org

A situação política atual nos mostra claramente que a apresentação da faceta mais covarde do velho estado brasileiro é a única solução que as classes dominantes hegemonicamente escolheram para tentar superar a profunda crise política, econômica e militar que atinge o nosso país. A eleição do capitão reformado Jair Bolsonaro (PSL) – marajá escolado por décadas em um moralmente falido Congresso Nacional -, que teve como base impulsionadora a intervenção militar no Rio de Janeiro, é expressão desse desdobramento.

A realização desse intento das classes dominantes abriu um novo ciclo da luta de classes no Brasil. Diferentemente do que tentam apresentar neste cenário, as eleições burguesas e o novo candidato não poderá solucionar a grave situação econômica do país. Por isto, se pôs em marcha um golpe contrarrevolucionário preventivo a inevitável rebelião das massas diretamente dirigido pelas FFAA.

Esta tendência não surge de agora com a eleição de um fascista convicto. A perseguição ao nosso povo nunca deixou de acontecer, inclusive durante os gerenciamentos petistas (Lula/Dilma Roussef) e do arquirreacionário Michel Temer (MDB). A criação das FNS (Força Nacional de Segurança), das UPP’s (Unidade de Polícia Pacificadora), da Lei Anti-terrorismo e da intervenção militar no Rio de Janeiro são apenas exemplos concretos de que todos os gerentes de turno aplicaram sistematicamente a repressão sobre o nosso povo, dando cobertura legal à criminalização da luta popular.

Portanto, o que podemos esperar desse velho Estado a partir de então, são maiores ataques aos direitos democráticos do nosso povo, especialmente ao direito de lutar. A resposta que nosso povo dará, frente a tamanha miséria, exploração e repressão, será a elevação das labaredas da luta popular a patamares altíssimos – coisa que já tem sido demonstrada nas revoltas de junho e julho de 2013 e na recente greve dos caminhoneiros que sacudiu o país.

A juventude combatente, em 2013, se levantou contra a exploração e a miséria e foram as ruas enfrentar frente a frente a força repressiva do velho Estado por uma verdadeira mudança no país. Foi uma contundente resposta aos 11 anos de enganações, chantagens e mentiras do oportunismo eleitoreiro, que no afã de conter a explosão de manifestações radicalizadas por todo o país, abriu suas garras de forma ainda mais perversa e presidiu a repressão e perseguição ao nosso povo e aos movimentos populares.

A reação (gerentões estaduais e nacionais em conluio com o judiciário fascista) em resposta a justa rebelião das massas colocou em prática um dos maiores absurdos para um suposto “Estado Democrático de Direito”: a perseguição política contra ativistas de 2013. Um processo completamente arbitrário contra 23 ativistas políticos, que simplesmente exerceram seu livre direito a manifestação e à organização.

O processo segue em andamento e logo após a realização do último 38º Encontro Nacional de Estudantes de Pedagogia que contou com a participação de Igor Mendes (um dos 23 processados políticos) saiu a condenação desses militantes. É nosso dever nos posicionar e mobilizar contra. A sentença a esses companheiros é tentativa de condenar e criminalizar toda uma geração que se rebela e luta contra as injustiças efetivadas diariamente contra o povo brasileiro.

Temos toda clareza que isso não representa outra coisa, se não o medo que as classes dominantes tem de que os ares junho de 2013 continuem soprando. Quanto a isso, afirmamos: outros junhos virão! A juventude de 2013 demonstrou que onde há opressão há resistência! E, nossa certeza é que mais cedo ou mais tarde o povo responderá a altura.

Estudantes de pedagogia, licenciatura e outros cursos, professores, servidores públicos da educação e trabalhadores terceirizados:

Os recentes ataques à autonomia universitária com a invasão de universidades e a perseguição de reitores e diretores, comprova que as universidades e escolas não são uma bolha fora deste cenário no Brasil. A BNCC (Base Nacional Comum Curricular), o próprio Escola sem Partido e Lei da Mordaça são claros instrumentos criados para controlar e fiscalizar político e ideologicamente trabalhadores em educação e estudantes que contestam a ordem instaurada.

O discurso reacionário que dá bojo ao conteúdo desses projetos não passa de um engodo. O combate a doutrinação ideológica é uma verdadeira farsa usada como justificativa para implementar essas políticas. Se por um lado, a condenação dos 23 representa a criminalização da juventude que tomaram as ruas de norte a sul do país; Por outro, a BNCC, o Escola Sem Partido e A Lei da Mordaça é a forma de se prevenir que novos levantamentos da juventude secundarista e universitária de 2015, 2016 aconteçam.

Companheiros e companheiras,

Esse momento não nos gera outro sentimento, senão otimismo. A fascistização do estado brasileiro é senão a demonstração de grande fraqueza e a revelação da sua verdadeira faceta de ditadura burguesa-latifundiária a serviço das grandes potências, principalmente, o USA, contra as classes populares. É o desnudar de uma grande mentira de que é possível conciliar projetos de classes antagônicas tão difundida dentro das próprias Universidades Brasileiras.

Devemos elevar nosso espírito de combate e resistência frente a qualquer ataque e seguir a luta unificando nossa classe! Nós, universitários, estudantes de Pedagogia e Licenciaturas; trabalhadores em educação, estudantes secundaristas, familiares temos um grande dever a cumprir!

Por isto, a Executiva Nacional de Estudantes de Pedagogia convoca todos para a realização de mais um dia 23/11, o Dia Nacional de Luta em Defesa do Ensino Público, Gratuito e Democrático e a serviço do povo. Neste dia, realizaremos manifestações, atos públicos e discussões com os estudantes por todo o país “Contra a fascistização do estado brasileiro: Abaixo a condenação dos 23! Contra a BNCC e o Escola Sem Partido!” Participe, organize sua sala de aula, escola, bairro e colegas de trabalho. Vamos mostrar para esses canalhas que os estudantes estão dispostos a responder de forma contundente a todos esses ataques fascistas.

CONTRA A FASCISTIZAÇÃO DO ESTADO BRASILEIRO!

EM DEFESA DOS 23 ATIVISTAS!

CONTRA A BNCC E O ESCOLA SEM PARTIDO!

POR UM ENSINO PÚBLICO, GRATUITO E DEMOCRÁTICO!