gototopgototop

SP: Estudantes secundaristas prosseguem em luta, repressão aumenta

consolaf

 

 

Comitê de Apoio ao jornal A Nova Democracia – São Paulo (SP)

No dia 11 de agosto, às 14h iniciava-se na Praça Roosevelt a concentração do ato dos secundaristas em defesa da educação pública e contra os cortes de verbas na saúde e educação.

Durante a concentração houve ação truculenta da Polícia Militar de São Paulo que prendeu dois estudantes acusados de serem “os líderes do ato” e uma adolescente acusada de “desacatado à autoridade”. No vídeo feito por um cinegrafista da TV Gazeta, os policiais arrastam a garota até a base da PM e os dois jovens são levados de forma agressiva pra dentro da mesma.

A polícia usou gás de pimenta e bombas de gás lacrimogêneo para dispersar os estudantes que entoavam energicamente a palavra de ordem: “Não acabou, tem que acabar, eu quero o fim da Polícia Militar”.

A despeito da repressão, o ato saiu mesmo assim. Percorreu a Rua da Consolação, deu a volta na Praça da Republica e subiu novamente a Consolação. Uma nova assembléia foi realizada e os estudantes decidiram prosseguir até a Av. Paulista.

 

A exemplo do que ocorreu no Ato contra o Massacre Olímpico em São Paulo no dia 05/08, conforme noticiado no blog de AND, novamente as forças de repressão do velho Estado usaram a tática militar denominada “Caldeirão de Hamburgo”. Os estudantes resistiram ao ataque da PM com barricadas e fizeram denúncias com pichações pela Av. Paulista. Cinco estudantes foram detidos em diferentes pontos do centro e levados até o 4°DP (localizado na Consolação) e logo após encaminhados até ao 78°DP.

Pelos relatos dos estudantes detidos, houveram agressões por parte dos policiais dentro das DPs.

Este é o segundo ato dos secundaristas que vem cercado de repressão e prisões de estudantes, no que a juventude combatente responde com mais vigor e mais luta, demonstrando que novos tempos se aproximam e que o velho Estado nada pode fazer para suprir as necessidades das massas, apenas responder com mais repressão. Os estudantes afirmam que a luta não para e novas manifestações estão marcadas.

 

CAMPONESES, PROFESSORES E ESTUDANTES NA LUTA CONTRA O LATIFÚNDIO!

Retirado de Resistenciamponesa.com

No dia 10 de agosto, os camponeses da área revolucionária Renato Nathan (Messias-AL) e os acampados na fazenda Canoé (Rio Largo-AL), interditaram as rodovias federais BR-104 e BR-101, enquanto estudantes e professores da Universidade Federal de Alagoas (UFAL) protestavam na porta da Vara Agrária, em Maceió, exigindo que o juiz Claudemiro Avelino de Souza revogasse a “reintegração de posse” contra os camponeses.

Após a entrega do mandato de “reintegração de posse”, no dia 27 de julho, os funcionários da Usina se prestaram ao serviço de tentar provocar e intimidar as famílias, ameaçando estacionar tratores pelos arredores das áreas e assediando uma companheira que caminhava por uma estrada. Contudo, o tiro saiu pela culatra e este serviço sujo serviu apenas para criar mais ódio entre camponeses contra os latifundiários e seus capangas.

Enquanto isso, o numero de apoiadores à luta dos camponeses cresceu tanto na cidade, principalmente entre estudantes e professores, organizados em sindicatos, centros acadêmicos, coletivos e ativistas independentes, que conformaram um Comitê de Apoio. Este redigiu uma Carta Aberta, que foi usada para recolher centenas de assinaturas, solicitando a revogação da decisão injusta contra os camponeses.

Ao tempo que os camponeses erguiam suas barricadas para interromper o transito nas principais rodovias federais da região, seus apoiadores da cidade marchavam para Vara Agrária. Os policiais tentaram provocar os camponeses para tentar desmobilizar sua manifestação, os funcionários passaram correntes nas portas da Vara Agrária para impedir a entrada dos apoiadores, mas nada disso adiantou. As 10h30, o Comitê de Apoio conseguiu entrar, protocolar a Carta Aberta e marcar uma audiência para revogar o despejo, ao serem informados deste fato os camponeses encerraram o fechamento, organizaram suas fileiras e saíram em retirada.

Por hora, os camponeses conseguiram impedir mais uma tentativa de despejo e abriram novas etapas no processo de luta combativa pelo justo direito a terra. Percebem que a luta pela terra está cada vez mais acirrada e mesmo assim não desistem e não admitem nenhum tipo de conciliação os usineiros ladrões de terra!

TERRA PARA QUEM NELA VIVE E TRABALHA!

VIVA A ALIANÇA OPERÁRIO-CAMPONESA!

CONTRA A CRISE: TOMAR TODAS AS TERRAS DO LATIFÚNDIO!

VIVA A REVOLUÇÃO AGRÁRIA!

 

CONVITE: ATO POLÍTICO-CULTURAL - 50 ANOS DA GRCP - 14/10 NO RIO DE JANEIRO

Avaliação do Usuário: / 1
PiorMelhor 

Compartilhamos o convite ao Ato Político-Cultural por ocasião dos 50 anos da Grande Revolução Cultural Proletária, a ser realizado no dia 14 de outubro de 2016 a partir das 13h Teatro Mário Lago no Colégio Pedro II em São Cristóvão - Rio de Janeiro. Devido a grandeza deste que foi o maior movimento de massas já existente na face da Terra esperamos que não apenas seja confirmada a presença de todos estudantes ativistas revolucionários, mas também que seja feita outras celebrações e estudos das lições históricas que a Grande Revolução Cultural Proletária, dirigida pessoalmente por Mao Tsetung a partir de 1966, deixou à todo proletariado internacional, bem como aos povos em luta.

Seguem alguns cartazes de convite do Ato Político-Cultural e de celebração aos 50 anos da GRCP:

 

grcp5

 

grcp4

 

grcp3

 

grcp2

 

grcp1

 

Companheira Sandra Lima: Presente na Luta!

Com bastante pesar recebemos a notícia do falecimento da Companheira Sandra Lima, fundadora e dirigente do Movimento Feminino Popular - MFP. Militante revolucionária, Sandra dedicou sua vida à causa da libertação das mulheres do povo, bem como à Revolução Brasileira, prestando enorme serviço à causa do proletariado, e de sua ideologia científica, o marxismo-leninismo-maoísmo. É mirando no exemplo de Sandra, encarnando sua vontade e firmeza revolucionária que o MEPR vêm prestar homenagens e relembrar toda sua experiência de luta. Os que se foram, longe de serem esquecidos, servem de exemplo para todos os que continuam na luta possam continuar a carregar a bandeira revolucionária, com ainda mais firmeza e dedicação.

COMPANHEIRA SANDRA LIMA: PRESENTE NA LUTA!

DESPERTAR A FÚRIA REVOLUCIONÁRIA DA MULHER!!!

sandra-convite-homenagem-final

Compartilhamos a seguir nota retirada do blog da redação do Jornal A Nova Democracia:

 

Estudantes do Méier realizam combativo protesto contra o Massacre Olímpico e sofrem repressão do velho Estado

Avaliação do Usuário: / 2
PiorMelhor 

Na tarde do dia 12/08, estudantes secundaristas realizaram um combativo ato na região do Méier, subúrbio do Rio de Janeiro. O ato se concentrou numa movimentada praça da região e tinha como objetivo do percurso seguir até o “estádio olímpico” Engenhão. Diversas faixas e a disposição de luta da Juventude Combatente deram o recado para as classes dominantes e para todo mundo de que os estudantes não aceitarão a farra da Olimpíada.

Ao ter início, a manifestação logo encontrou a PM fascista que tentou reprimir os estudantes com bombas de gás e balas de borracha. Os estudantes resistiram como puderam e não deixaram o ato terminar. Reagruparam-se e deram continuidade ao ato, ao passo que foram novamente atacados pelas forças de repressão. Cerca de 50 estudantes que estavam dispersos em lojas e prédios residenciais foram detidos pela PM, que o colocaram em um ônibus e o levaram até a Cidade da Polícia, aonde, segundo advogados, foram acusados de “provocar tumultos em região próxima à estádios”. Aí, novamente, a legislação deste velho Estado serviu ao intuito de reprimir o povo em luta.

Juventude Combatente Resiste A Prisão! 1A

 

Combater o Estado Policial! Terrorista é o velho Estado burguês-latifundiário!

Avaliação do Usuário: / 3
PiorMelhor 

Logo após a queda do gerenciamento oportunista de PT/pecedobê, e a consequente mudança de ministros e outros altos funcionários do velho Estado, o jornalista Carlos Amorim (um dos mais antigos "jornalistas" do monopólio de imprensa e um dos fundadores de seu carro chefe da Globo) informou em seu blog que, a pedido do ex-Ministro de Defesa durante o gerenciamento de Luís Inácio, Nelson Jobim e do comandante do exército general Eduardo Villas Bôas, será reestruturado parte da área de inteligência, recriando o Gabinete de Segurança Institucional. Nas palavras de Carlos Amorim "que caberá a ele [GSI] o monitoramento dos movimentos sociais no campo, a Liga dos Camponeses Pobres e, na cidade, o MEPR (Movimento Estudantil Popular Revolucionário)". Estariam, no momento da Olimpíada, sob vigilância excepcional.

É necessário fazer a denúncia e o repúdio dessa espúria prática de perseguição política para com a nossa Corrente, apesar de não ser surpreendente. Já sabíamos que esse tipo de constatação estaria a caminho sobretudo neste período dado o caráter antipovo e vende-pátria tanto do gerenciamento do velho Estado (o "governo" tampão de Michel Temer), como também deste evento que, travestido de celebração esportiva mundial, contribui para a pilhagem imperialista de nossa nação pela infiltrição excepcional dos órgãos de inteligência das grandes potências imperialistas (principalmente a FBI e CIA) ou através da propaganda de "combate ao terrorismo" para criar opinião pública favorável a novos instrumentos de combate e controle ao povo. Tudo sob total complacência de turismo sexual e demais crimes por parte destes imperialistas.

 

Viva o vitorioso 36º Encontro Nacional dos Estudantes de Pedagogia (ENEPe)!

Ato_36_ENEPe

 

Saudamos as(os) estudantes que construíram e participaram do 36º ENEPe que foi realizado de 17 a 24 de julho em Porto Velho na Universidade Federal de Rondônia (UNIR) e foi completamente vitorioso em seus objetivos. Desde sua preparação até sua realização, o Encontro foi marcado por um elevado espírito de decisão por parte das(dos) estudantes em construir esse evento importantíssimo, mesmo diante de todos os ataques à educação e ao direito de organização dos estudantes por parte da gerência Temer (PMDB) e diante de boicotes e sabotagens por parte dos oportunistas, que tentaram desmobilizar o Encontro e atuaram como linha auxiliar de Temer. Todos os debates e grupos de discussão foram altamente politizados e expressaram a consciência das(dos) estudantes de que diante do desmonte da educação pública e da privatização temos que lutar com vigor redobrado para barrar tais medidas e vislumbrar uma transformação profunda e radical na base econômica, na política e na cultura de nosso país, uma verdadeira Revolução! Essa combatividade materializou-se no Ato realizado na sexta-feira (22/07) no centro de Porto Velho e que marchou até a sede do “governo” estadual (foto). Na plenária final foi votado um importante Plano de Lutas para o próximo ano, fruto dos debates das mesas e grupos de discussões e que conta com um Dia Nacional de Lutas em Defesa da Educação, encabeçado pelo MEPe e a ser realizado no próximo dia 23 de novembro, histórica data em que as(os) estudantes da UNIR em greve de ocupação derrubaram o REItor fascista Januário Amaral em 2011.

 

VIVA O ACAMPAMENTO ENILSON RIBEIRO EM SERINGUEIRAS-RO!

Avaliação do Usuário: / 3
PiorMelhor 

Temos acompanhado ao longo dos últimos meses a agudização da luta pela terra em todo país e, particularmente, em Rondônia. Neste estado existe uma movimentação de todo aparato repressivo, comandado pelo chefe da Polícia Militar, comandante Enedy, no sentido de fornecer todo apoio aos bandos paramilitares e de pistoleiros que atuam há tempos na região. E tudo sob apoio do governador Confúcio Moura (PMDB), bem como com o aval do atual gerênciamento de turno de Temer (PMDB). Esta grave situação já deixou 8 camponeses mortos somente este ano em Rondônia. Se trata de uma perseguição brutal ao povo em luta pelo sagrado direito à terra, que tem se levantado cada vez mais por todo país, levantando a bandeira da Revolução Agrária, sob a consigna de "Tomar todas as terras do latifúndio!". Mesmo sob as duras condições impostas pelos sucessivos gerenciamentos de turno, o bravo campesinato, os indígenas, os quilombolas e os ribeirinhos, enfim, todo povo do campo, têm elevado sua consciência, se organizando mais e mais para pôr fim ao latifúndio e entregar a terra a quem nela vive e trabalha.

Desde a última semana, quando ocorreu uma tentativa de reintegração de posse no Acampamento Enilson Ribeiro, no município de Seringueiras-RO, este acampamento vêm resistido bravamento aos sucessivos ataques do velho Estado. Diversas notas, notícias foram noticiadas por diversas organizações. Divulgamos, aqui, a mais recente nota da Liga dos Camponeses Pobres (LCP) de Rondônia e Amazônia Ocidental.

É dever de todos estudantes, trabalhadores, democráticos, revolucionários, todo movimento popular repercutir e apoiar a luta do Acampamento Enilson Ribeiro, em Seringueiras-RO bem como impulsionar a denúncia a todo este aparato repressivo que é mantido e reforçado pela atual gerência de Temer (PMDB) para assegurar a manutenção deste velho Estado burguês-latifundiário serviçal do imperialismo, ora afundado em profunda crise, no qual a única saída é a repressão brutal ao nosso povo.

 

Nota da LCP de Rondônia e Amazônia Ocidental:

http://www.resistenciacamponesa.com/

Latifundiários grileiros ladrões de terras públicas não passarão!

Eis a verdade:

O Ouvidor Agrário de Rondônia, Erasmo Tenório da Silva confirmou: o latifúndio Bom Futuro em Seringueiras, É TERRA DA UNIÃO!

O latifúndio Bom Futuro é terra pública, roubada da União, roubada da nação, roubada do povo. São 11.500 campos de futebol (não é assim que compara o monopólio da imprensa quando quer falar de desmatamento, para assustar as pessoas com a dimensão do crime?)

Por isso toda essa criminosa campanha de mentiras e ataques contra as honradas famílias do Acampamento Enilson Ribeiro e a LCP!

 

 

RJ: Histórico recente das ocupações em niterói

Avaliação do Usuário: / 8
PiorMelhor 

A onda de ocupações vem sacudindo todo o país levando a ousadia e rebeldia principalmente dos estudantes secundaristas para o meio de um cenário de profunda crise social, econômica, política e moral de todo velho Estado e as diferentes siglas do Partido Único das classes dominantes. Em pouco mais de quatro meses, os estudantes da primeira cidade a ter ocupações de escolas em 2016, Rio de Janeiro, deram sucessivos saltos em sua luta: primeiro ocupando suas escolas, depois indo para as ruas e radicalizando a luta em defesa de escolas que sirvam ao povo e, finalmente, expulsando todas as diferentes entidades e movimentos oportunistas-eleitoreiros, desmoralizadas para as massas junto com seu pacifismo, eleitoralismo e peleguismo.

Publicamos a seguir o histórico recente desta luta em Niterói, município vizinho do Rio de Janeiro, que desenvolveu uma importante experiência para o movimento estudantil não apenas do estado do RJ, mas de todo país. Saudamos a Juventude Combatente de todo país e esperamos que possam seguir trilhando o mesmo caminho dos estudantes cariocas, levantando alto a nova bandeira do Novo Movimento Estudantil independente e combativo!

Manifestação Manifestação

 

RJ: Estudantes do C.E. Herbert de Souza seguem na luta!

Avaliação do Usuário: / 3
PiorMelhor 

Na "cidade olímpica", a quase um mês das "olímpiadas" serem realizadas sob estado de sítio (com operação semelhante a que fora organizada pelo velho Estado na Copa de 2014, mobilizando até a Força Nacional de Segurança), a Juvente Combatente segue firme na luta por escolas de qualidade e em defesa do direito de estudar e aprender!

Nesta altura, alguns colégios foram já desocupados, principalmente pela ação fascista e autoritária do Judiciário do RJ - que determinou que "as ocupações não poderiam ocorrer nas salas de aula", abrindo brecha para criminalização ainda maior da luta estudantil -, mas também pelo desgaste que é natural em um movimento de ocupação de escolas.

Porém apesar de tudo, os estudantes seguem mobilizados em suas escolas. Aproveitando a "volta às aulas" (leia-se: volta a situação precária que encontra-se todo ensino público), os estudantes têm se lançado na tarefa de seguir mobilizando e politizando os estudantes em cada colégio!

Repercutimos a seguir o conteúdo de um panfleto distribuido por estudantes do C.E. Herbert de Souza, colégio que foi ocupado, fazendo um balanço da experiência da ocupação e convocando os estudantes a seguirem na luta:

"

VIVA AS OCUPAÇÕES DE ESCOLAS! ABAIXO O MOVIMENTO ESTUDANTIL OPORTUNISTA E ELEITOREIRO!

REBELAR-SE É JUSTO!

As ocupações das escolas têm início em São Paulo, onde centenas de escolas são ocupadas contra a decisão do Governo de SP de fechar escolas. Desde então, o exemplo de luta têm sido repercutido por todo país!

 

 


JPAGE_CURRENT_OF_TOTAL

Celebrações

Teses

Facebook

Jornal A Nova Democracia

FERP (Chile)