gototopgototop

LCP: Camponeses são ameaçados e DRONES sobrevoam a Área Revolucionária Cleomar Rodrigues em Pedras de Maria da Cruz

Avaliação do Usuário: / 2
PiorMelhor 

Reproduzimos nota enviada a nossa redação, assinada pela Liga dos Camponeses Pobres do Norte de Minas e Sul da Bahia,  denunciando invasões da Área Revolucionária Cleomar Rodrigues (município de Pedras de Maria da Cruz, norte de Minas) pela Polícia Civil e ameaças, incluindo o sobrevoo do acampamento com drones.


Nos dias 21 e 22 de janeiro foram vistos vários DRONES sobrevoando ostensivamente sobre as pessoas (moradores e visitantes que estavam presentes para prestigiar e festa do Corte Popular e a entrega dos Certificados de Posse, pelo CDRA – Comitê de Defesa da Revolução Agrária). Além disso, os aparelhos que estavam voando bem baixo percorreram a área sobre as casas, plantações e todo o perímetro da área, incluindo a mata.

 

Os companheiros da autodefesa, diante da flagrante invasão e ameaça, tentaram acertar com foguetes os objetos, mas não alcançaram. Alguns camponeses que nunca viram um DRONE ficaram apreensivos, pois pensaram que seriam alvejados pelos aparelhos. O clima foi de indignação e preocupação, pois na quinta-feira dia 19, a POLICIA CIVIL de Januária sem nenhuma comunicação formal às famílias, à Associação, nem aos advogados da LCP, invadiu a área revolucionária pela região de mata, entrando pela Fazenda Triunfo (vizinha) com apoio dos latifundiários Rodolfo Rabelo e Antônio Carlos Vinagre. Os policiais chegaram na dita fazenda em 3 caminhonetes com logomarca da PC, estacionaram por lá, depois adentraram a pé para dentro da área, deixaram fitas com o selo da policia civil por todo lado. As famílias não foram abordadas e portanto não se sabe ao certo o que os policias pretendiam com essa invasão.

Nessa mesma área foi assassinado numa tocaia, por pistoleiros e policiais civis, o dirigente camponês Cleomar Rodrigues de Almeida em 22 de outubro de 2014, nenhum assassino se encontra preso, os mandantes latifundiários sequer foram indiciados e o crime brutal e covarde continua sem punição.  No entanto foi amplamente denunciado na época, pelo próprio companheiro Cleomar, as constantes ameaças de morte que recebeu do policial civil Danilo, de Januária, que reconhecidamente “presta serviços de segurança” aos latifundiários da região, organizando e operando com bandos armados para saquear, ameaçar, perseguir e inclusive assassinar os camponeses e pescadores da região.

Consideramos muito grave estas duas invasões, primeiro porque é grave violação dos direitos do povo de viver e lutar sobre estas terras onde jorrou o sangue de seu dirigente, do direito de não ser fotografado ou filmado e não ter seu quintal violado e sua família ameaçada.

Consideramos grave essa invasão pela PC da área, pela certeza de que estes agentes do Estado estão sob ordens dos latifundiários na perseguição aos camponeses pobres em luta e seus dirigentes.

Por fim, reafirmamos que as famílias estão dispostas a defender suas terras e suas famílias e que não arredarão pé da área, que não se intimidarão diante destas ameaças.

Exigimos esclarecimentos imediatos pelas autoridades de plantão sobre estes procedimentos ilegais e absurdos do uso de armas de guerra para coletar informações sobre as famílias de camponeses pobres e da invasão pela PC dentro da área.

Responsabilizamos o Estado pela cumplicidade no assassinato do companheiro Cleomar e nenhuma punição aos assassinos e mandantes de bárbaro crime, fato que encoraja e acoberta a ação dos latifundiários, inclusive com uso pelos mesmos, do aparato e agentes do Estado na repressão aos camponeses em sua luta pelo sagrado direito à uma sobrevivência digna sobre as terras que lhes foram usurpadas nestes séculos  de existência do sistema latifundiário!

Cleomar Vive! Morte ao Latifúndio!

Liga dos Camponeses Pobres do Norte de Minas e Sul da Bahia

 

Matança de pobres é política de Estado

Avaliação do Usuário: / 1
PiorMelhor 
Reproduzimos abaixo matérias publicadas na última edição do Jornal A Nova Democracia a respeito das recentes rebeliões nos presídios no norte e nordeste do país e a situação da população encarcerada no Brasil.

Matança de pobres é política de Estado

Ano XV, nº 183, 2ª quinzena de Jan. e 1ª quinzena de Fev. de 2017

Fausto Arruda

 

Charge_-_Pgina_3

Foi o assessor de Temer, Bruno Júlio, filho do policial cabo Júlio e secretário nacional da juventude, quem mais abriu o jogo no campo da reação quando afirmou que, se referindo ao massacre ocorrido em Manaus, que “tinha que matar mais, uma chacina toda semana”, confessando que a matança de pobres é política de Estado, deste apodrecido e genocida Estado brasileiro.

Também, o que poderíamos esperar depois deste “pavoroso acidente” que foi a ascensão de Temer ao gerenciamento desta república em franco processo de decomposição? Os horríveis massacres nos presídios é o retrato fiel das entranhas desta decomposição irreversível.

A matança do povo pobre, dentro e fora dos presídios, chegou a tal grau de vulgarização que já não causa a menor indignação dos gerentes de turno e seus asseclas, responsáveis por administrar os recursos arrecadados através dos impostos com que esfolam o povo. São burocratas sem alma que em momentos de crise, tiram da gaveta os surrados “planos de emergência” e passam ao interminável cacarejo, até que a imprensa dos monopólios arrefeça o seu sensacionalismo.

O narco-Estado brasileiro

A condição semicolonial e semifeudal de nossa sociedade desenvolvida sob a égide de oligarcas historicamente servis ao colonialismo e ao imperialismo é base para existência de uma velha e carcomida estrutura estatal, que em momentos de crise do imperialismo se desdobra em mesuras para com seus amos. É o que temos visto em nossa História e, principalmente, na prolongada crise do imperialismo que nos impôs a maior recessão da história, escancarando as portas da barbárie.

A fermentação pútrida da crise no setor da “segurança pública” possibilitou revelações do envolvimento do Estado brasileiro num grau superlativo de intimidade com o narcotráfico, o que permite, sem sombra de dúvida, sua caracterização como um narco-Estado, senão vejamos:

 

GRCP: Escolas a serviço do povo!

Divulgamos a seguir novo vídeo enviado por um companheiro, no qual retrata as mudanças no sistema de ensino chinês durante a Grande Revolução Cultural Proletária e as transformações que a antecederam durante o processo de Educação Socialista. Ao contrário do sistema de ensino brasileiro, que está a serviço do capitalismo burocrático e das podres classes dominantes que o dirigem a serviço do imperialismo, ao contrário de escolas que tratam estudantes como detentos e professores e funcionários como servos, na China Popular uma larga transformação ocorreu nas escolas para que estas se colocassem verdadeiramente a serviço do povo.

Como é retratado no vídeo, desde pequenas as crianças aprendem a importância do trabalho coletivo, enquanto nutrem valores socialistas de trabalhar em prol da sociedade e pelo desenvolvimento de todos, combatendo o individualismo e egoísmo, podres "valores morais" da velha sociedade capitalista. A prática de esportes, música, dança e artes em geral, bem como o aprendizado de ofícios que atendem as necessidades das comunidades em torno das escolas permitem aos estudantes uma vivência muito mais plena da sua juventude, sem a necessidade do uso de drogas "pra escapar da realidade" ou de outros vícios ou práticas que diminuem a condição dos jovens de membros ativos da sociedade, particularmente da construção socialista em curso na época. Com as transformações no sistema de ensino, a China Popular deu um passo importante, proporcionando mais cabalmente as condições reais para juventude cumprir o seu dever revolucionário de SERVIR AO POVO DE TODO CORAÇÃO.

OBSERVAÇÃO: É preciso ativar as legendas do Youtube e configurá-las para Portguês. Note-se que quando o vídeo se refere aos "pequenos soldados vermelhos", está na verdade fazendo referência aos Guardas Vermelhos, organização da juventude revolucionária que teve um papel importântíssimo no despertar das labaredas da Grande Revolução Cultural Proletária, por desmascarar, denunciar e combater o seguidores do caminho capitalista e demais revisionistas do seio do Estado Proletário e do próprio Partido Comunista Chinês, e levar adiante uma verdadeira revolução na alma da sociedade, extirpando-a de todas as expressões da atrasada ideologia burguesa, seja nas artes, na cultura, educação, em toda a superestrutura da sociedade.
CELEBRAR OS 50 ANOS DA GRANDE REVOLUÇÃO CULTURAL PROLETÁRIA


 

Vídeo: Imagens da Grande Revolução Cultural Proletária

Divulgamos abaixo vídeo encontrado na internet com diversas imagens da Grande Revolução Cultural Proletária na China. Logo nas primeiras imagens do vídeo, é possível ver o momento em que o Presidente Mao Tsetung recebe sua a braçadeira de Guarda Vermelho das mãos de um jovem revolucionário durante um comício para a juventude. Em outro momento, centenas de milhares de jovens, entre eles muitos dos Guardas Vermelhos exaltam e defendem a GRCP agitando seus exemplares do Livro de Citações do Presidente Mao Tsetung o  "Pequeno Livro Vemelho".


Essas imagens tem elevada importância no combate à todo o vômito reacionário anticomunista despejado por fascistóides de todas as extirpes, com a colaboração do monópolio de imprensa, e convergente com o oportunismo e o revisionismo, com seus expúrios ataques à GRCP e à grande experiência da Revolução Chinesa sob direção do PCCh e do Presidente Mao Tsetung. Vejam! Contemplem os milhares de jovens saudando as grandes tormentas que durante dez anos varreram os ventos restauracionistas na China! Esta foi a maior experiência do movimento de massas na história da Humandidade, a mais avançada de todas e é mais uma prova de que REBELAR-SE É JUSTO!

 

CELEBRAR OS 50 ANOS DA GRANDE REVOLUÇÃO CULTURAL PROLETÁRIA


 

FERP: A GRANDE REVOLUÇÃO CULTURAL PROLETARIA E A EMANCIPAÇÃO DA MULHER

Avaliação do Usuário: / 1
PiorMelhor 

Seguimos com a publicação de artigos do Boletim La Rebelión se Justifica Nº 3 publicado pela Frente de Estudantes Revolucionária e Popular - FERP (Chile) disponível no sítio de internet: https://ferp-larebelionsejustifica.blogspot.com


[50 anos da GRCP]

A GRANDE REVOLUÇÃO CULTURAL PROLETARIA E A EMANCIPAÇÃO DA MULHER

gr3

As mulheres do povo sofrem uma dupla opressão: a opressão de classe e de sexo. A origem disto é o surgimento da propriedade privada, que vai de mãos dadas com o surgimento das classes e do Estado. Portanto, a luta feminina é parte da revolução proletária, que tem como meta final a sociedade sem classes, e assim o demonstra a Grande Revolução Cultural Proletária (GRCP).

Durante a GRCP na China, a experiência mais avançada do proletariado internacional, se combatem as velhas ideias da burguesia que se mantinham na cultura, para assim conjurar a restauração capitalista. A mulher neste contexto toma um papel fundamental.

Na produção, a mulher tomou um papel importante, impulsionando métodos como as fábricas de bairro e a coletivização do campo, adequando-se às necessidades imediatas do povo chinês.

Esta integração (pionera no mundo, junto com a experiência soviética) foi de mãos dadas com a coletivização do trabalho doméstico e maternal, liberando-a da escravidão destas duas funções as quais está submetida no capitalismo. No âmbito sexual a mulher varre com seu papel passivo e submisso a que estava confinada na velha sociedade.

Todos estes avanços não teriam acontecido se não fosse pela participação política da mulher na revolução, o que não se contrapõe ao homem, se não que lutam em conjunto. Varrendo com a concepção reacionária da natureza deficitária da mulher, se aplicaram critérios dentro das organizações e do Partido Comunista da China em favor de que as companheiras tomassem cargos de direção.

Um grande exemplo para todas as mulheres revolucionárias é a companheira Chiang Ching, firme comunista que após a morte de seu companheiro, o Presidente Mao, brigou por manter a linha vermelha, sendo encarcerada pelo revisionismo até sua morte.

A luta feminina na GRCP contra as ideias da velha sociedade e do patriarcado é a maior experiência de emancipação feminina na história, demonstrando quão necessária é a participação das mulheres na revolução proletária e quão importante é a revolução para transformar sua condição.

"Trace as fronteiras entre os revolucionários e os reacionários, levante vossa moral, destruir o eventual prestígio do inimigo e depois poderás isolar os reacionários e lutar para vencer-los, derrubá-los ou eliminar-los."

"As mulheres carregam sobre seus ombros metade do céu e devem conquistá-la!

Se esta parte do céu permanece serena, as tempestades revolucionárias que devem varrer o velho mundo se reduzirão a trovoadas passageiras." 

GR2Chiang Ching

 

 

Liga Operária: QUE VENHA 2017!

mensagem-788x1024

Em 2017, avançar com a aliança operário-camponesa, avançar a organização popular e as lutas classistas e combativas! Barrar as medidas antipovo e vende-pátria de Temer e sua quadrilha e pôr abaixo esse gerenciamento de larápios e bandidos, serviçais do imperialismo, da grande burguesia e do latifúndio.

Enfrentar a dominação imperialista e derrotar as lesivas políticas ordenadas pelo FMI/Banco Mundial e executadas pelos corruptos de plantão. Mobilizar, politizar e organizar os trabalhadores; desenvolver a organização de base e a preparação da deflagração de uma poderosa Greve Geral! Lutar pelos direitos do Povo, pelos interesses das classes exploradas, dos operários, dos camponeses, Pela Independência Nacional e o Internacionalismo Proletário!

Engrossar a luta de resistência contra as medidas antipovo e vende-pátria em votação no podre e corrupto congresso e contra o golpe fascista em marcha. Repudiar ainda mais as ilusões eleitorais com o incremento do protesto popular através da preparação e deflagração da Greve Geral e ondas de tomadas de terras dos latifúndios.

Avançar com a propaganda e a luta pela Revolução Democrática, Agrária e Anti-imperialista!

 

Camarada Stalin e Presidente Mao Tsetung: titãs do proletariado internacional

stalin-mao 

Revolucionários celebram natalícios de Stalin e Mao Tsetung

Retirado da edição nº 182 do Jornal A Nova Democracia

Nos dias 18 e 26 de dezembro, partidos e organizações comunistas de diversos países celebram o nascimento de dois dos grandes dirigentes históricos do proletariado internacional, respectivamente, o camarada Josef Stalin e o Presidente Mao Tsetung. Como sabemos, todos os anos o monopólio mundial de comunicação (o mesmo que propaga aos quatro ventos a “derrota” do socialismo e do comunismo) é obrigado a desatar campanhas apócrifas contra as experiências socialistas na União Soviética e na China Popular, países que, durante décadas, foram bastiões da luta anti-imperialista e lograram edificar com êxito a ditadura do proletariado.

Em sua intenção de apresentar tais experiências como “ditaduras sanguinárias”, “tiranias”, “regimes de terror”, “totalitarismo” etc., a burguesia foi fartamente facilitada pelos revisionistas que assaltaram o poder, tanto na URSS como na China, restaurando o capitalismo e abrindo novamente uma época de exploração contra seus povos. Como apontava o grande dirigente comunista brasileiro Pedro Pomar: “Dirigindo a Revolução Chinesa e lutando pela construção do socialismo na China, o camarada Mao Tsetung estudava a experiência da ditadura do proletariado também nos países socialistas, sobretudo na União Soviética. Depois da Iugoslávia, foi no país da Revolução de Outubro que os revisionistas, mascarados de leninistas, ocupando postos na direção do Estado e do Partido, conseguiram usurpar o poder do proletariado e arrastar o glorioso país de Lenin e de Stalin de volta ao capitalismo”.

Stalin foi o maior dirigente e guia da construção da sociedade socialista soviética e principal liderança da luta dos povos soviéticos na Grande Guerra Patriótica, lendário combate que terminou com a vitória cabal da URSS contra o exército nazifascista de Hitler em 9 de maio de 1945. Devido a sua transcendental importância e prestígio no movimento comunista internacional, a burguesia o escolheu como alvo dos furiosos ataques anticomunistas. Em março de 1953, quando da morte de Stalin, Pedro Pomar escrevia: “Quando nos foi transmitida a estarrecedora notícia, parecia o inacreditável. A princípio, a enfermidade traiçoeira. Depois, a morte irremediável. Era a desgraça que não podíamos nem queríamos esperar. Apagara-se a estrela fulgurante que com sua luz iluminava o nosso caminho para o futuro de paz, de alegria e de fartura. A dor pungente, a lágrima incontida, o sofrimento que emudece e turva as mentes, tudo sentimos – ante a perda de nosso chefe e mestre, de nosso pai e amigo. Simultaneamente, mal contínhamos o ódio sagrado a todos os degenerados que em face de nossa dor revelavam sua hediondez tentando denegrir a memória de nosso grande dirigente. Esses monstros, engendrados pelo capitalismo moribundo, confessavam assim sua própria impotência, sua derrota inelutável”.

O Grande Timoneiro

 

FERP: ANTICOMUNISMO OU ANTIREVISIONISMO

Seguimos com a publicação de artigos do Boletim La Rebelión se Justifica Nº 3 publicado pela Frente de Estudantes Revolucionária e Popular - FERP (Chile) disponível no sítio de internet: https://ferp-larebelionsejustifica.blogspot.com

 


[Situação Nacional]

ANTICOMUNISMO OU ANTIREVISIONISMO

As recentes eleições no Colégio de Professores os fizeram "morder o polvo" da derrota da lista de Gajardo e Figueroa. Estes calejados revisionistas e oportunistas sustentaram que isto decorre de uma campanha anticomunista, contra sua pseudo-militancia no partido revisionista (predicam um marxismo adulterado).

Estes falsos dirigentes se postaram diante do velho Estado e do governo de turno para conter, desviar e fazer fracassar a luta dos professores. Gajardo e cia. se converteram em fiéis servidores dos planos imperialistas na educação, planos que se vem implementando no México, Colombia, Brasil e outros países. Nas últimas negociações pelo reajuste salarial do setor púlbico tiveram uma participação vergonhosa. Desde o começo a massa quis dar luta decididia e a desgastaram com carnavais, quando esta luta exigia sua radicalização desde o princípio.

Em quase dez anos a cabeça do Colégio de Professores, Gajardo pouco ou nada fez contra a precarização do trabalho docente. Bárbara Figueroa no tempo em que leva como presidente da CUT não poderia ter atuado melhor se fosse subsecretaria do ministério do trabalho. A derrota destes "plumíferos" obedece ao crescente descontentamento das massas que veem como sua situação piora dia a dia. O acontecido não poderia ser de outra maneira, a camarilha Tellier-Carmona, da qual fazem parte Garjardo e Figueroa, são a cabeça do que Lenin chamara de partido operário burguês.

Portanto, nada podemos esperar da nova lista; Mario Aguilar do Partido Humanista se descolou da Concertação anos atrás e não há nada que o impeça novamente de fazer frente com eles. É mais, formam parte com Boric, Sharp, Jackson e outros, das forças auxiliares do velho Estado. São forças oportunistas que igual ao falso PC (Partido Comunista) trabalham por corporativizar as massas; o povo nada de bom pode esperar deles a não ser traição.

É necessário avançar à conformação de uma frente classista que agrupe todos os trabalhadores da educação em um sindicato único nacional; frente que deve unir-se por uma firme luta classista e revolucionária, só assim se assegurará a independência e os interesses do proletariado. Só desta maneira se poderá organizar, mobilizar e politizar as massas em uma linha de classe independente e impulsionar a Revolução de Nova Democracia.

 

PE: Juventude Combatente toma as ruas contra pacotaços

Reproduzimos abaixo informe do Jornal A Nova Democracia sobre a combativa manifestação que ocorreu em Recife/PE no último dia 13 de Novembro contra as medidas antipovo do podre gerenciamento Temer e sua camarilha. Destacamos a participação da juventude combatente, onde ativistas do MEPR e da Unidade Vermelha conformaram junto aos estudantes da ocupação do campus Petrolina da Universidade de Pernambuco (ocUPE) o bloco mais combativo e vermelho da manifestação.

Viva a juventude combatente!


unnamed

Comitê de Apoio ao AND – Recife/PE

Neste 13 de dezembro uma grande manifestação percorreu as ruas de Recife contra os pacotaços de Temer/PMDB. Participaram do protesto centenas de estudantes e trabalhadores que repudiaram a aprovação da criminosa “PEC 55”, votada no mesmo dia no congresso.

O ato contou também com a presença de estudantes da região do Vale do São Francisco (Petrolina, Juazeiro e outras cidades), além de outras cidades do interior. Além da cobertura da manifestação, apoiadores de AND realizaram exitosa divulgação do jornal. Foram distribuídos 70 exemplares de edições antigas e vendidos 17 da edição 181.

 

Durante o protesto estudantes do Vale do São Francisco tomaram a palavra no carro de som e exaltaram a necessidade de abandonar as ilusões de transformações nos marcos dessa velha ordem, afirmaram que somente a luta popular combativa pode garantir vitórias, e que o Brasil precisa de uma Grande Revolução.

Barricadas foram erguidas nas ruas do Centro da capital e bancos tiveram vidraças estilhaçadas pela revolta popular.
Foram registrados confrontos com as forças de repressão, que atacaram covardemente o ato quando esta se encaminhava para o fim. A PM fascista disparou balas de borracha contra jovens e soldados do exercito realizaram detenções ilegais resultando na prisão de 40 jovens. Advogados democráticos e organizações dos direitos humanos denunciaram arbitrariedades e tortura dos jovens.

 

FERP: GRANDES LUTAS DA CLASSE OPERÁRIA E DO POVO

Seguimos com a publicação de artigos do Boletim La Rebelión se Justifica Nº 3 publicado pela Frente de Estudantes Revolucionária e Popular - FERP (Chile) disponível no sítio de internet: https://ferp-larebelionsejustifica.blogspot.com

 



Ch2

[Situação Nacional]

GRANDES LUTAS DA CLASSE OPERÁRIA E DO POVO

O mês de Novembro tem sido de ricas experiências de luta para a classe operária de nosso país.

Os funcionários públicos se mobilizaram por várias semanas por um reajuste salarial digno. Ainda que sua demanda inicial foi de um reajuste de 7%, frente a 3,2% proposto pelo gerenciamento de Bachelet, a ratazana revisionista de Figueroa e companhia se encarregaram de desviar e conter a raiva dos trabalhadores, contentando-se finalmente com os 3,2%.

Porém nem o mais calejado revisionista pode com a massa enfurecida. Já o 4 de Novembro demonstrou o ânimo das massas, e no momento que a direção da CUT selava o fim da greve, milhares de trabalhadores cercavam La Moneda [NT: palácio presidencial chileno] com enfrentamentos diretos às forças policiais. Com grande instinto de classe, as massas expulsaram da manifestação Figueroa e seu séquito.

Por outro lado, os trabalhadores da Homecenter iniciaram uma greve a nível nacional pela mesma demanda, sendo duramente golpeados pelo grupo Solari e seus serventes na gerência da empresa, os quais em um vídeo chamaram a encerrar a greve do modo mais baixo, despertando o ódio das massas.

 


JPAGE_CURRENT_OF_TOTAL

Celebrações

Teses

Facebook

Jornal A Nova Democracia

FERP (Chile)