gototopgototop

PRIMEIRO ENCONTRO DA UNIDADE VERMELHA EM BH

Avaliação do Usuário: / 2
PiorMelhor 
Publicamos matéria enviada pelos companheiros da Unidade Vermelha - Liga da Juventude Revolucionária de BH sobre o encontro realizado no penúltimo domingo. Aproveitamos para, na sequência, publicar algumas das intervenções feitas pelo MEPR e pela UV durante o encontro.


PRIMEIRO ENCONTRO DA UNIDADE VERMELHA EM BH
AVANÇAR NA ORGANIZAÇÃO DA JUVENTUDE COMBATENTE

 

IMG_0023

Do último domingo, dia 12, ocorreu na região o primeiro encontro da Unidade Vermelha – Liga da Juventude Revolucionária. O encontro teve como proposta apresentar a organização para a Juventude Combatente de BH e teve sede na Escola Estadual José Heilbuth, que esteve ocupada no ano passado e fica na zona norte da cidade.

O Primeiro Encontro da UV contou com a participação de diversas organizações, que mostraram para a Juventude Combatente ali presente o caminho revolucionário e apontaram a importância da organização da juventude revolucionária, que é "reserva e vanguarda de choque" da luta revolucionária para a conformação de uma nova sociedade. Juventude essa que no ano passado tomou a frente nas ocupações secundaristas e universitárias contra os ataques de Temer/PMDB e que expressa, no seu dia a dia, a revolta e disposição para lutar contra a situação de miséria do povo.

As paredes da escola foram tomadas por cartazes que traziam imagens da Grande Revolução Cultural Proletária; que exaltavam a resistência do povo palestino e que convocavam as jovens a despertar sua fúria revolucionária. Fotos de Lênin e Stalin, dirigentes da centenária Grande Revolução Bolchevique; de Helenira Rezende e Manoel Lisboa, patronos da Unidade Vermelha – LJR; dos heróis do povo brasileiro, que verteram seu sangue pela Revolução Agrária, Cleomar Rodrigues, Renato Nathan e Luiz Carlos; da companheira Sandra Lima, fundadora do MFP, apoiadora convicta da UV desde sua fundação e que sempre gostava de ressaltar a conformação dessa Unidade como um dos principais legados das Jornadas de Junho e Julho de 2013. Imagens de outros companheiros que doaram suas vidas para luta pela libertação do proletariado também estavam presentes. Além disso, havia um mural de jornais A Nova Democracia junto de um chamado de apoio à imprensa popular e democrática.

A importância de conformar a Unidade Vermelha – LJR é enorme nesse momento de crise do capitalismo burocrático em que vivemos. Após o fracasso dos 13 anos de gerenciamento do governo PT cresce a descrença das massas nas eleições burguesas, comprovadas mil vezes como farsa, e diante dos ataques diretos de Temer/PMDB e do sucateamento dos estados fica clara a necessidade imprescindível de organizações revolucionárias que elevem a consciência das massas, principalmente da juventude, para o único caminho que barrará de fato todos os desmandos contra o povo.

IMG_0024

A reunião começou com a entonação de A Internacional, hino do proletariado internacional, logo após cantou-se a canção A Jovem Guarda, hino da Univade Vermelha e a mesa foi composta. Estiveram presentes: representante do MOCLATE (Movimento Classista dos Trabalhadores em Educação) que, em sua fala, narrou um pouco da experiência de ser professor em um escola ocupada e ressaltou a importância da união entre alunos e professores nas lutas reivindicativas; do MFP (Movimento Feminino Popular) cuja fala teve foco no papel imprescindível da mulher na revolução e deu exemplos da combatividade feminina na história do movimento popular, marcado sempre pela companheira Sandra Lima como referência de dedicação à causa revolucionária; do Comitê de Apoio ao Jornal A Nova Democracia de BH, que explicou sobre a importância da existência de uma imprensa que divulgue e exalte as lutas do povo e que faça propaganda da Revolução, citou também a importância de promover e apoiar esse jornal relembrando que essa é uma das tarefas assumidas pela UV em seu programa; o MEPR (Movimento Estudantil Popular Revolucionário) interveio declarando amplo apoio à Unidade Vermelha e expressando com muito vigor o papel revolucionário do jovem e sua tarefa de servir ao povo de todo o coração e ser vanguarda das trincheiras de luta do nosso povo, destacando as ocupações e a luta por defender as escolas públicas e transformá-las em trincheiras da luta popular. A última fala dessa parte do Encontro coube à Frente Revolucionária de Defesa dos Direitos do Povo (FRDDP) que explicou questões mais de fundo sobre a nossa sociedade e elucidou a necessidade de uma Revolução de Nova Democracia Ininterrupta ao Socialismo. Depois da fala das organizações foram abertas inscrições para que os jovens pudessem tirar dúvidas sobre o que escutaram.

Durante o intervalo para o almoço ocorreram atividades recreativas na quadra da escola além de mais discussões políticas com foco no que foi exposto na primeira parte do encontro e no conteúdo dos livros presentes na banquinha da Edições Seara Vermelha e do AND.

No retorno do almoço cantou-se a canção Bella Ciao, foram projetados vídeos da atuação da Unidade Vermelha e de toda Juventude Combatente em diversas regiões, bem como um apanhado das lutas no Brasil e no mundo e por fim ocorreu também um breve relato sobre as lutas reivindicativas de 2016 com a participação ativa da Juventude Combatente presente na sala.

IMG_0014

O encerramento do evento aconteceu com o hino da Liga dos Camponeses Pobres, Conquistar a Terra e um pequeno balanço da atividade, considerada exitosa, vermelha e vibrante por todos. O encontro deixou clara a disposição e desejo da juventude por se organizar, animando os espíritos daqueles que dedicaram seus esforços às ocupações em defesa das escolas e os fez compreender qual a maneira efetiva de transformar a realidade. Palavras de ordem como “Viva a Unidade Vermelha” e “Viva a Juventude Combatente” foram entoadas na saída.


Viva a Juventude Combatente!

Viva a Unidade Vermelha - Liga da Juventude Revolucionária!

Companheira Sandra Lima: Presente na Luta!

Rebelar-se é Justo!

 

JEP 19

JEP 19

RVI

Celebrações

Teses

Facebook

Jornal A Nova Democracia

FERP (Chile)