gototopgototop

PROFESSORES EM MINAS MOSTRAM QUAL É O CAMINHO para derrotar os ataques contra o ensino!

Avaliação do Usuário: / 1
PiorMelhor 

Há quase 100 dias, os profissionais da educação da rede estadual de ensino de Minas Gerais mantém combativa greve em defesa da educação pública. Esta greve foi motivada, dentre outras questões, pelo descumprimento da lei 11.738, no que se refere ao pagamento do piso salarial,  por parte do governador Antonio Anastasia (PSDB) que tem se mostrado indiferente às reivindicações. Mostrando que pouco se importa com a real situação da educação em nosso Estado.

  Categoria_segue_firme_na_greve

O caminho trilhado pelos professores é justo e legítimo. Nestes mais de 3 meses em greve, toda semana vem acontecendo assembleia, onde se vota pela continuidade ou não e se decide o calendário das lutas. Até agora, em todas as assembleias, a adesão ao movimento é de 100% dos presentes, todos firmes e insatisfeitos com a real situação em que os professores estão passando. O MEPR, a UCMG (União Colegial de Minas Gerais) têm participado ativamente das atividades, junto com o D.A.FAE/UFMG entre outras dezenas de entidades, fora os milhares de estudantes que ao longo de todo o processo tem participado dessa luta.

Os estudantes têm desempenhado um importante papel neste processo, em cidades como Belo Horizonte, Lavras, Cambuí, Papagagaios, Pouso Alegre, não só ajudando, mas também construindo a greve.

Os companheiros estudantes de Cambuí (Sul de Minas), por exemplo, tem passado em várias escolas, de várias cidades na região, conversando com alunos e professores sobre a importância e a legitimidade desta greve.

 

No dia 12 de setembro agora, dezenas de professores se acorrentaram em volta de um monumento (Pirulito da Praça Sete) no centro de Belo Horizonte, mostrando para a população o que o Estado tem feito com os profissionais da educação. O MEPR participou da atividade, junto aos professores mais combativos!

 

Assim como os professores em Minas Gerais, outros estados do país também se encontram em greve, que não reivindicam somente um aumento de salário, mas também um ensino público, gratuito e de qualidade.

 

E que esta luta que está sendo travada em Minas, seja exemplo para todos os outros estados do país. E que onde há injustiça, opressão, repressão, que o povo se rebele, ocupe as ruas que são suas por direito! Não permitiremos que governante algum tire os direitos do povo e mostramos que é só a com luta organizada e com rebeliões populares que conquistaremos todos os nossos direitos.

 

 

AGORA UNIFICOU, É FUNCIONÁRIO, ESTUDANTE E PROFESSOR!

VIVA A JUSTA REIVINDICAÇÃO DOS PROFESSORES!

REBELAR- SE É JUSTO!

 

Celebrações

Facebook

Teses

Jornal A Nova Democracia

FERP (Chile)