gototopgototop

Direção da CUT tenta censurar panfleto do MOCLATE durante Conferência do Sind-UTE no Norte de Minas

Avaliação do Usuário: / 0
PiorMelhor 

Reproduzimos a nota Movimento Classista dos Trabalhadores em Educação (MOCLATE) denunciando e repudiando a tentativa de censura a um panfleto do MOCLATE por parte da direção da CUT, durante a Conferência Regional de Educação do Norte de Minas. Repudiamos essa atitude policialesca e fascista e reafirmamos nada será capaz de deter a luta independente e combativa das massas! Todos aqueles que tentarem se opor à grande torrente revolucionária que se aproxima não terão outro destino que não a lata de lixo da História! Ao final da nota anexamos o panfleto distribuído pelos companheiros do MOCLATE.

 


 

 

censura

 

 

Direção da CUT tenta censurar panfleto do MOCLATE

durante Conferência do Sind-UTE no Norte de Minas

 

Durante a Conferência Regional de Educação do Norte de Minas, realizada no dia 19 de novembro em Montes Claros, militantes e dirigentes da CUT/PT tentaram impedir que uma companheira do MOCLATE distribuísse panfletos do movimento. Primeiro, cerca de 10 pelegos a cercaram e, não atingindo o seu escuso objetivo, um militante da CUT foi até a mesa do evento afirmando no microfone que aquele material “não era da organização do encontro e pedindo para que as pessoas o jogassem fora”. Eis o trecho do panfleto que provocou a desesperada reação fascista por parte da pelegada cutista e a sua tentativa frustrada de censura:

Chega de greves intermináveis usadas como moeda de troca nas barganhas entre o velho movimento sindical da CUT e Cia e os gerenciamentos de turno do velho Estado. O gerenciamento de Temer e sua quadrilha (PMDB, PSDB,DEM, etc.) dá continuidade a mesma política de sucateamento e privatização do ensino público aplicada por Dilma/Lula (PT/Pecedobê). Por acaso não foi o governo Dilma (PT/Pecedobê) que cortou 9 bilhões da educação somente em 2015? SÃO TODOS FARINHA DO MESMO SACO!  Agora, estão fechando um acordão com o PMDB para barrar a “Operação Lava Jato”, salvando as suas peles para as eleições de 2018 e, por isso, já começam a jogar água fria no seu hipócrita Fora Temer”.

 

            Claro, nossa companheira não se intimidou, pelo contrário, foi até o meio do plenário e denunciou com veemência a atitude antidemocrática da CUT/PT, ao que uma dirigente petista empedernida começou a vaiá-la. Como não poderia deixar de ser, a imensa maioria dos cerca de 300 professores presentes no evento aplaudiram, muitos de pé, a combativa atitude de nossa companheira e o nosso singelo panfleto passou a ser procurado e lido por todos. Um verdadeiro tiro no pé! Muitos professores procuraram nossa companheira, saudando a sua coragem e indignados com a falta de democracia dentro do sindicato, que deveria ser um espaço para a livre expressão de ideias e posicionamentos políticos pelos professores.

            Mais uma vez, a CUT/PT escancara o seu caráter fascista. Mas, o que esperar de uma central sindical que, até ontem mesmo e durante os últimos 13 anos, serviu como correia de transmissão das políticas corporativistas e anti-povo do gerenciamento petista de Lula/Dilma (PT)? O que esperar deste partido cuja direção é composta por uma verdadeira máfia de ex-sindicalistas milionários atolados até o pescoço no lamaçal da corrupção palaciana? Não esqueçamos que esta mesma gente, quando alçam o posto de gerentes do velho Estado não titubeiam em reprimir violentamente as justas lutas do povo, como fizeram contra estudantes e professores na portaria da UFMG nos últimos dias e o fazem por todo o país. Sobre as espúrias declarações da eterna candidata petista Beatriz Cerqueira, presidente do SindUTE/MG e da CUT/MG, feitas por meio de sua página pessoal no facebook ainda no dia 19/11, a desafiamos se teria a dignidade e coragem de publicar o panfleto que tentaram censurar durante a Conferencia em Montes Claros. #publicaopanfletobeatriz!   

            Desesperados pela humilhante derrota sofrida, por todo o país, nas últimas eleições e pela acachapante vitória do boicote com as abstenções, votos nulos e brancos o PT dá rédeas soltas ao seu fascismo. Mas, estão redondamente enganados se pensam que, por meio de atitudes burocráticas e mafiosas típicas do velho movimento sindical oportunista, serão capazes de deter a justa rebelião de nossa combativa categoria. Repetimos, ainda mais convictos, a conclusão do panfleto que não pode ser censurado pela canalha eleitoreira: “Sigamos o exemplo de nossa brava juventude combatente! É urgente construir o movimento classista, independente e combativo dos professores! Fora Temer, PMDB, PT, PSDB, Pecedobê, DEM, etc.! Eleição, Não! Revolução, Sim!”.   

Montes Claros, Minas Gerais, 20 de novembro de 2016

 

 

Movimento Classista dos Trabalhadores em Educação - MOCLATE

 


Reproduzimos abaixo o conteúdo integral do panfleto do MOCLATE.

 

Contra a PEC 55/241 e todos os ataques contra a educação e o povo:


GREVE GERAL UNIFICADA E DE OCUPAÇÃO!


Nossas mais calorosas saudações a todas e todos os estudantes que ocupam escolas e universidades por todo o país e no Norte de Minas! Saudações especiais aos estudantes dos Institutos Federais de Educação que ocuparam praticamente todos os campus da instituição e a reitoria nos últimos dias.

Os jovens combatentes são, mais uma vez, nossos professores! Nos ensinam, pela prática, o único caminho a seguir na defesa de nossos direitos tão pisoteados e contra a destruição do que ainda resta de ensino público no país: preparar a greve geral unificada entre professores, estudantes, funcionários, pais e comunidades por meio da ocupação combativa das escolas e universidades!

É nosso dever não apenas “apoiar” as ocupações, devemos participar ativamente de todo este grandioso e vigoroso movimento. Deflagrar greves em unidade com os estudantes, ir para dentro das escolas e fortalecer o movimento. Podemos e devemos, desde já, cumprir muitas tarefas: realizar panfletagens e reuniões com os pais e todo o entorno da escola; fazer muita propaganda em defesa da luta combativa dos estudantes; denunciar as arbitrariedades do velho Estado e de seu aparato jurídico-policial; organizar junto aos pais e comunidades uma rede de apoio material ao movimento, etc.

E o mais importante de tudo. Podemos e devemos construir Assembleias Populares entre professores, pais, comunidades e estudantes nas escolas e universidades ocupadas, instrumento fundamental para nossa encarniçada luta contra o velho Estado e os seus gerenciamentos de turno.

Chega de greves intermináveis usadas como moeda de troca nas barganhas entre o velho movimento sindical da CUT e Cia e os gerenciamentos de turno do velho Estado. O gerenciamento de Temer e sua quadrilha (PMDB, PSDB,DEM, etc.) dá continuidade a mesma política de sucateamento e privatização do ensino público aplicada por Dilma/Lula (PT/Pecedobê). Por acaso não foi o governo Dilma (PT/Pecedobê) que cortou 9 bilhões da educação somente em 2015? SÃO TODOS FARINHA DO MESMO SACO! Agora, estão fechando um acordão com o PMDB para barrar a “Operação Lava Jato”, salvando as suas peles para as eleições de 2018 e, por isso, já começam a jogar água fria no seu hipócrita Fora Temer. Sigamos o exemplo de nossa brava juventude combatente! É urgente construir o movimento classista, independente e combativo dos professores!


Fora Temer, PMDB, PT, PSDB, Pecedobê, DEM, etc.

Eleição, Não! Revolução, Sim!


Movimento Classista dos Trabalhadores em Educação - MOCLATE

 

Celebrações

Teses

Facebook

Jornal A Nova Democracia

FERP (Chile)