gototopgototop

Genocida Estado Mexicano é responsável pelo bárbaro assassinato dos 43 estudantes normalistas!

Avaliação do Usuário: / 1
PiorMelhor 

  

O Procurador-geral da República, Jesús Murillo Karam, confirmou recentemente que os 43 estudantes normalistas desaparecidos no México desde o dia 26 de Setembro foram assassinados por membros do chamado cartel de narcotraficantes Guerreros Unidos. 

 

Depoimentos de membros tal grupo relatam que “dezenas de pessoas” foram mortas, algumas por asfixia dentro de um caminhão e outras executadas por armas de fogo, e tiveram seus corpos queimados e os restos mortais atirados a um rio. Entretanto, a análise dos sacos que conteriam os restos mortais das vítimas não pode confirmar serem dos estudantes normalistas desaparecidos. No curso das buscas, já foram encontradas nove valas comuns nas imediações da cidade, e retirados cerca de 30 corpos, alguns dos quais de mulheres.

  

 

 

Os estudantes se dirigiam à capital, Cidade do México, e passaram por Iguala para realizar uma atividade de protesto e recolher fundos para a viagem, porém foram atacados a tiros pela polícia local, seis estudantes morreram no ônibus e 25 ficaram feridos, e entregues a dito cartel do narcotráfico. O presidente da câmara, José Luis Abarca, foi identificado como tendo ordenado o ataque policial aos jovens. É sabido que sua esposa, María de los Ángeles Pineda, tem conhecida relação com os narcotraficantes.  

  

Os familiares, amigos e a juventude combatente mexicana exigem a solução das investigações, e a punição dos responsáveis. Uma verdadeira onda de indignação e protestos contra a violência extrema e a cultura de corrupção e impunidade que tomou conta do México. No dia 08/11 estudantes atearam fogo ao palácio do governo e em pelo menos 7 veículos e deixaram pixações com frases como “Queremos justiça!” e “Governo assassino!” por onde passaram, demonstrando sua justa revolta contra mais esse ataque do Estado Mexicano contra a juventude.

  

Sob pressão, o Presidente Peña Nieto convocou os partidos políticos e as organizações sociais do país para firmar um “pacto nacional contra a violência” que assegure que “crimes abomináveis” como aquele que aconteceu em Iguala jamais voltem a repetir-se. Porém, sua atitude demagógica não pode por amarras à revolta do povo do México, uma vez mais desmaracado o estágio avançado de putrefação a que chegou o Estado reacionário Mexicano, corrompido até fundo de sua estrutura e envolvido em todo tipo de barbáridade para garantir os interesses das classes dominantes que o controlam.

 

 

normalistas-palacio_de_gobierno_guerrero-quema_palacio_guerrero_milima20141108_0277_8  

Video mostra a revolta da juvente combatente no México:
http://www.youtube.com/watch?v=H5SpniMerJY

 

Nos solidarizamos mais uma vez ao povo mexicano exigindo a solução das investigações e a punição de todos os envolvidos na repressão contra a juventude combatente de Iguala, nos assassinatos, desaparecimentos forçados e ocultação de cadáveres. Responsabilizamos o Estado Mexicano e seu gerente, Henrique Peña Nieto, por mais este massacre sobre o povo mexicano.

 

 

Punição para os responsáveis pelo massacre dos 43 estudantes normalistas no México!

Viva a juventude combatente do México e de todo o mundo!

Abaixo o Estado fascista mexicano!

O povo vingará seus mártires!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Celebrações

Teses

Facebook

Jornal A Nova Democracia

FERP (Chile)