gototopgototop
Educação
Avaliação do Usuário: / 10
PiorMelhor 
Seg, 22 de Agosto de 2016 Noticias - Educação

É errada a noção de que o projeto “Escola Sem Partido” vai livrar nossas escolas da influência nefasta das diversas frações do Partido Único das classes dominantes. Sob o manto de combate ao PT, o despotismo desta proposição é um ataque ao pensamento livre, ao exercício da profissão docente e à liberdade de crítica. É preciso, pois, compreender o que está por trás de toda esta campanha falsa de “limpeza do país”.

Três meses após a queda do gerenciamento oportunista de PT/Pecedobê, quando as classes dominantes de nosso país depositaram sua esperanças no novo governo interino de Temer/PMDB, este acelera a política do ajuste fiscal e corte nos direitos básicos que já vinha sendo implementada nas gerências anteriores. Porém, mesmo fora da administração central do Estado fascista brasileiro, PT e seus congêneres seguem prestando valioso serviço às grande burguesia e ao latifúndio, serviçais do imperialismo, se esforçando por utilizar mais uma vez sua capa de “esquerda radical”, porém sem jamais cogitar ultrapassar aos limites da velha e decrépita ordem vigente.

O PT (que nunca teve nada de revolucionário, socialista ou comunista) desde sua fundação vem prestando à reação o importante papel de manchar a honrada bandeira vermelha dos revolucionários de todo o mundo, principalmente quando ocupam seus lugarzinhos rendosos na burocracia estatal para implementar a mesma política nefasta das outras siglas do Partido Único das classes dominantes, política de demagogia, corrrupção e subjugação nacional, só que disfarçada de esquerda.

Após enganar os desavisados durante vários anos (hoje engana cada dia menos) esta agremiação oportunista e eleitoreira segue servindo como lenha na fogueira da reação, do anticomunismo ferrenho e do fascismo mais descarado. Estes tem conquistado posições entre setores populares, principalmente na pequena e média burguesias, com um falso discurso anticorrupção, de limpeza do país e para limpar “os estragos que o PT deixou”. Mal sabem eles que esta legenda oportunista nada aplicou a não ser as medidas ditadas diretamente pelo Banco Mundial, FMI e demais organismos de transmissão dos ditames do imperialismo, principalmente ianque.

O depotismo do “Escola sem Partido”

Dentre as principais conquistas da reação mais infame, está a popularidade do famigerado projeto "Escola Sem Partido", liderado pelo advogado Miguel Nagib, famoso falastrão anticomunista. Em torno deste projeto fascista, diversas forças reacionárias se juntaram numa campanha alardeando a necessidade de fazer uma limpeza ideológica nas escolas brasileiras, combatendo o que chamam de “doutrinação ideológica”, mas que visa principalmente remover qualquer conteúdo minimamente relacionado com o marxismo, o qual, erroneamente, seus elaboradores associam ao PT e acreditam estar vivamente presente nas escolas.

 
Avaliação do Usuário: / 4
PiorMelhor 
Qua, 08 de Junho de 2016 Noticias - Educação

ato_1

 

Na tarde desta última quarta-feira, 08/06/16, estudantes, professores grevistas realizaram mais um combativo ato no Centro do Rio, após o término da assembleia do Sepe (Sindicato Estadual dos Profissionais da Educação). Na assembleia, os trabalhadores decidiram pela manutenção da greve e na saída a Polícia Militar já começava suas provocações, revistando arbitrariamente alguns estudantes. Na concentração do ato, na Candelária, as provocações da PM continuaram e estes fascistas revistaram diversos estudantes e professores, tiraram fotos e tentaram realizar prisões, mas foram impedidos pela grande mobilização e disposição de luta da juventude combatente. Pouco tempo depois, a PM tentou usar a tática fascista do “envelopamento” para impedir o ato de sair, porém, mais uma vez os estudantes não aceitaram a provocação e seguiram entoando palavras de ordem de resistência e denunciando esse aparato genocida do velho Estado.

 
Avaliação do Usuário: / 6
PiorMelhor 
Qui, 26 de Maio de 2016 Noticias - Educação

No dia 24 de maio, terça feira, o MEPR organizou, na Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro - UNIRIO, o debate com o tema: "O desmonte do ensino público e o fechamento de escolas na cidade e no campo: o papel do movimento estudantil de pedagogia" como parte da mobilização estudantil para o 36º Encontro Nacional de Estudantes de Pedagogia - ENEPe.

Moclate, MEPR e LCP no Debate.

 
Seg, 29 de Fevereiro de 2016 Noticias - Educação

OCUPA

Na manifestação da última quinta-feira (25), que se encerrou no Ministério Público Estadual de Goiás, o promotor Fernando Krebs fez uma declaração na porta do prédio da instituição que foi acompanhada por cerca de duzentos estudantes e trabalhadores - além da imprensa - de que os Ministérios Públicos Estadual, Federal e do Tribunal de Contas do Estado, estão mobilizados para enfrentar o governo estadual no projeto das Organizações Sociais na educação.

Basicamente, o MP, assumiu a série de denúncias que o movimento contra a terceirização e as ocupações de escolas no estado já haviam elencado, isto é, as OS's são inconstitucionais por não respeitarem a Gestão Democrática da educação estabelecida pela Constituição Federal e pela Lei de Diretrizes e Bases da Educação. Além disso, se em todo país, as OS's na saúde são sinônimo de corrupção, na educação em Goiás a situação era gravíssima. As empresas foram criadas semanas antes do edital de chamamento, não contando com qualquer experiência em educação e a maioria dos donos estão envolvidos em escândalos de corrupção.

 
Avaliação do Usuário: / 1
PiorMelhor 
Ter, 16 de Fevereiro de 2016 Noticias - Educação

n-OCUPA-GO-large570

Marconi Perillo, o governador de Goiás, nacionalmente conhecido e reconhecido pelos seus crimes contra o povo (para ficar em alguns exemplos, Massacre do Parque Oeste Industrial; invasão por duas vezes da UFG, uma vez para reprimir a manifestação de motoristas do transporte alternativo assassinando um trabalhador, na outra vez destruíram vários computadores da Faculdade de Letras em que estavam arquivados o famigerado “Dossiê K”), depois de já ter entregado a saúde pública para a iniciativa privada via Organizações Sociais, anunciou que pretende privatizar as empresas urbanitárias SANEAGO e CELG, a empresa estatal de transporte público METROBUS e, via Organizações Sociais (OS's), também mais de 1/3 das escolas públicas de Goiás.

Há alguns meses fizemos uma matéria explicando como se deu a discussão final na Suprema Corte do país para a consolidação jurídica acerca das Organizações Sociais no arcabouço legal brasileiro. Na época tratamos de como essa votação foi feita a partir de um acordo entre os três poderes da República e das várias frações do seu partido único da burguesia e, sobremaneira, entre as duas frações mais proeminentes, o PT e PSDB. Afirmamos, outrossim, que esta seria uma nova maneira de destruição e entrega de serviços públicos como educação, saúde e outros.[1]

 
Avaliação do Usuário: / 5
PiorMelhor 
Qua, 25 de Novembro de 2015 Noticias - Educação

escola_privada

 

Privatizaram sua vida, seu trabalho, sua hora de amar e seu direito de pensar. É da empresa privada o seu passo em frente, seu pão e seu salário. E agora não contente querem privatizar o conhecimento, a sabedoria, o pensamento, que só à humanidade pertence. Bertold Brecht

 

O ano de 2015 tem sido marcado por duros golpes na educação pública desferido pela gerência federal oportunista de Dilma/PT/pecedobê/PMDB, que retirou R$ 9,4 bilhões no orçamento do Ministério da Educação, com seu projeto de “Pátria Educadora”. O novo ataque ocorreu no dia 21 de outubro, quando a Câmara dos Deputados aprovou, em caráter de urgência e em primeiro turno, o texto-base da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 395/14, de Alex Canziani (PTB-PR), com um substitutivo de Cléber Verde (PRB-MA), que permite às universidades públicas cobrarem mensalidades na Pós-Graduação latu sensu (especialização), em Cursos de Extensão e Mestrado Profissional. A aprovação dessa PEC abre um perigoso precedente na privatização das universidades públicas, processo que pode ser expandido para a Pós-Graduação stricto sensu (mestrado e doutorado) e, principalmente na Graduação.

 
Avaliação do Usuário: / 2
PiorMelhor 
Qua, 18 de Novembro de 2015 Noticias - Educação

Contra_terceirizao

Marconi Perilo, governador de Goiás, apresenta mais uma de suas propostas para dilapidação da educação pública e precarização dos direitos trabalhistas. A par da aprovação de leis que autorizam a privatização da educação o estado de Goiás seria a cobaia da gestão da educação por Organização Sociais (Oss), que não mais são que empresas. É a privatização da educação pública.

Contrários a estas medidas, professores da rede estadual, junto com estudantes secundaristas e universitários se organizam para enfrentar a perversidade do governador e de sua secretária, Raquel Teixeira.

 
Avaliação do Usuário: / 4
PiorMelhor 
Ter, 28 de Julho de 2015 Noticias - Educação

                                                                                                                              corte-verbas-educacao-dilma

A demagógica “Pátria Educadora” anunciada por DilmaRousseff–PT logo no início de seu segundo mandato é, além de demagógico, um slogan fascista. De um nacionalismo embusteiro, digno do gerenciamento vende-pátria da frente oportunista e eleitoreira de PT/PMDB/PSB/pecedobê que, há mais de 12 anos dá prosseguimento e aprofunda a política, outrora tão criticada em FHC (PSDB), de entreguismo nacional e subserviência ao imperialismo, principalmente ianque.

Projeto que na aparência busca aparentar ser nacionalista e até defende, em suas próprias palavras, a “libertação nacional”, mas na essência, é a continuidade e aprofundamento da lógica de privatização do ensino público em nosso país, assim como do aprofundamento do controle dos monopólios internacionais sobre a produção e difusão dos conhecimentos técnicos e científicos em nosso país, via controle dos chamados “organismos internacionais” (FMI, Banco Mundial, etc.).

 
Ter, 16 de Junho de 2015 Noticias - Educação

UFF: professores mantém greve

 Os professores da Universidade Federal Fluminense (UFF), decidiram em assembleia realizada na última terça-feira dia 09/06,  continuar em greve por tempo indeterminado. Entre os principais pontos de reinvidicação da categoria estão os cortes na educação pública que inviabiliza o plano de obras da expansão da universidade, regularização dos pagamentos de funcionários terceirizados e apresentação de uma proposta para reposição de perdas salariais, que, segundo cálculos dos grevistas, chega a 21,3% nos últimos três anos, período em que receberam 15% de reajuste. “Essencialmente, são essas as questões prioritárias para nós. Queremos que o governo retome as discussões em uma mesa de negociações”, explica  Gustavo Gomes vice-presidente da Associação de Docentes da UFF (Aduff). A próxima assembleia da categoria está confirmada para quarta-feira (17/06).

UEL-_Universidade_Estadual_de_Londrina

 
Ter, 16 de Junho de 2015 Noticias - Educação

 

Os professores seguem mantendo uma combativa ocupação no plenário da Câmara Municipal da cidade. No dia 10/06, quarta-feira,  rechaçaram um mandado de reintegração de posse movido pelo presidente da Câmara e prometem seguir com a ocupação até que o prefeito Maguito Vilela (PMDB) abra pras negociações com a categoria, atendendo a principal pauta da categoria, que é o pagamento do piso salarial.

Ocupao_do_plenrio

 
Mais Artigos...

Celebrações

Facebook

Teses

Jornal A Nova Democracia

FERP (Chile)