gototopgototop
Movimento Estudantil
Sex, 27 de Fevereiro de 2015 Movimento Estudantil

gabriel vilella Ontem pela manhã, dia 26/02, o estudante e jornalista independente Gabriel Vilela, do coletivo Desneuralizador, foi arbitrariamente preso pela Polícia Militar durante uma manifestação espontânea  realizada pela população revoltada com o absurdo preço das passagens e as péssimas condições do transporte, em um terminal rodoviário em Goiânia.

 

Acusações infundadas são imputadas ao jovem e lhe foi negado o direito à fiança e o mesmo permanece preso mesmo sem quaisquer provas a respeito das acusações. Outros manifestantes também foram presos no mesmo ato.

 

Esta é mais uma ação no objetivo de barrar a luta contra o aumento de passagens, impedir que imagens veiculadas pela imprensa popular fure o bloqueio imposto pelo monopólio da imprensa,  se configurando clara e abertamente como mais um ataque ao direito democrático à livre manifestação e expressão.

 

Liberdade imediata para Gabriel Vilela e todos os presos políticos!

Pela extinção de todos os processos contra manifestantes!

Exigimos nosso direito à liberdade de manifestação e expressão!

 

Movimento Estudantil Popular Revolucionário - Brasil

 
Sex, 27 de Fevereiro de 2015 Movimento Estudantil

 

A Universidade Federal de Goiás é um órgão público e como tal deve estar aberto a população e seus interesses. Contudo, não é o que se vem acontecendo. A Frente de Lutas Pelo Transporte Coletivo existe desde 2013 e desde então lutamos para barrar aumentos tarifários que prejudicam milhões de trabalhadoras e trabalhadores da região metropolitana de Goiânia enquanto enchem com lucros milionários os bolsos dos empresários do transporte coletivo e reivindicamos um transporte coletivo de qualidade.

 

Para a efetivação de nossas reuniões, que são abertas e públicas, necessitamos de espaços amplos e públicos e sempre usamos os espaços da UFG para este fim, notadamente a Faculdade de Educação e o Museu Antropológico. Além disto, nas diversas manifestações que promovemos são constantes a truculência da polícia, dispersando o ato no meio e obrigando os manifestantes a se refugiarem em local seguro, para isto, a Faculdade de Direito foi ao longo desta jornada, um local constante de refúgio dos manifestantes. Contudo, nesta última semana fomos surpreendidos, encontrando as portas da universidade fechada para nós.

 

 
Avaliação do Usuário: / 3
PiorMelhor 
Qui, 26 de Fevereiro de 2015 Movimento Estudantil

 

d                     

 

Igor Mendes da Silva, estudante de Geografia da UERJ, ativista do Movimento Estudantil Popular Revolucionário – MEPR e da Frente Independente Popular – FIP é mais um preso político dos gerenciamentos de Cabral/Pezão (PMDB) e Dilma Rousseff (PT). Igor Mendes está há mais de dois meses preso no Complexo Penitenciário do Bangu no Rio de Janeiro/RJ pelo “crime” de ousar lutar contra a farra com o dinheiro público durante a Copa do Mundo da Fifa.

Igor Mendes está preso por lutar em defesa de saúde, ensino e transporte públicos, por participar de manifestações contra o genocídio cometido diariamente pelas UPP`s (Unidades de Polícias Pacificadoras) e a ocupação do Exército nas comunidades pobres da “cidade maravilhosa”. Igor Mendes está preso por ter se colocado ao lado dos professores durante a grande greve de 2013 quando a polícia atacou com violência uma manifestação com mais de cem mil pessoas e por ter se posicionado ombro a ombro com os garis que se rebelaram contra seus aviltantes salários e as péssimas condições de trabalho.

A absurda e descabida alegação para a prisão do ativista é sua participação em um festival de cultura popular ocorrido no dia 15 de outubro de 2014 (dia do professor) em frente à Câmara dos Vereadores, na Cinelândia. Na interpretação do juiz fascista Flávio Itabaiana, a participação do jovem no evento significaria o descumprimento das "medidas cautelares" impostas pelo judiciário que proíbem a participação do ativista em "reuniões públicas" sob a justificativa de que sua presença representaria um "risco a ordem pública".

 
Avaliação do Usuário: / 3
PiorMelhor 
Qua, 25 de Fevereiro de 2015 Movimento Estudantil

 goiania manifestaoNa última sexta-feira, dia 20/02, aconteceu a primeira manifestação contra mais um absurdo aumento das passagens de ônibus em Goiânia, que no último dia 16 foi para R$3,30, passando a ser a 3ª mais cara do país, junto de Curitiba. Cerca de 600 pessoas foram à manifestação chamada pela Frente de luta, e caminharam até o Terminal Pç. da Bíblia. Além da faixa principal da manifestação, “R$3,30 é roubo!”, os manifestantes carregavam faixas como “Protestar não Crime!” e “Pelo livre direito de Manifestação!”, dos dias das grandes manifestações contra a “Operação R$2,80” da Polícia Civil, que prendeu 3 estudantes em maio de 2014, acusados de depredarem 104 ônibus, e pretendeu criminalizar o MEPR utilizando-o para enquadrar os estudantes nos crimes de associação criminosa e incitação à violência. Veja ao vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=s9juZU3OcaI Uma nova manifestação está marcada para a próxima quinta, dia 26, às 17h na Pç. Universitária.

 
Sex, 20 de Fevereiro de 2015 Movimento Estudantil

Com informações de http://www.andes.org.br

federal de alagoas 

Um grupo de estudantes da Universidade Federal de Alagoas (Ufal) realizou manifestação na manhã de quarta-feira (11) para exigir o pagamento das bolsas do mês de janeiro. Segundo a Pró-Reitoria de Estudantil (Proest) da universidade, cerca de 1300 estudantes não receberam seus benefícios e não há previsão de regularização dos pagamentos, que dependem de repasse do Ministério da Educação (MEC). Na Ufal, o valor das bolsas é R$ 400,00.

Tiago Leandro da Cruz Neto, 2º vice-presidente da Regional Nordeste III do ANDES-SN, afirma que a situação dos estudantes bolsistas da Ufal é problemática. “Não há recursos do governo. Houve o corte de orçamento, foi dito que ele não afetaria a educação, mas já está afetando”, ressalta o docente.

O professor cita ainda outro problema dos bolsistas da Ufal. “É exigida a contrapartida de parte desses estudantes para que recebam as bolsas. Mas não é contrapartida em pesquisa e extensão nas áreas estudadas, e sim a realização de trabalho administrativo e burocrático da universidade”, critica Tiago. Segundo o docente, a substituição de servidores técnico-administrativos por bolsistas é uma clara demonstração da precarização do trabalho nas universidades.

A pedido dos bolsistas, a Ufal suspendeu as atividades de contrapartida deles até a regularização dos pagamentos

 
Avaliação do Usuário: / 4
PiorMelhor 
Qua, 04 de Fevereiro de 2015 Movimento Estudantil

Durante o III Encontro da Juventude Camponesa, jovens vindos de diversas comunidades do Norte de Minas e Sul da Bahia, manifestaram seu apoio à campanha pela libertação de Igor Mendes da Silva, ativista do MEPR e da FIP/RJ, preso político dos gerenciamentos de Dilma Rousseff (PT) / Cabral-Pezão (PMDB) e um dos vinte e três ativistas perseguidos políticos na capital fluminense. Igor Mendes se encontra a dois meses encarcerado pela sua participação em protestos populares contra a farra da Fifa e em defesa dos direitos do povo na cidade do Rio de Janeiro. A mesma frente oportunista e eleitoreira encabeçada por Dilma Rousseff (PT) que persegue a juventude combatente na cidade é responsável pela mais cruenta repressão e criminalização da luta pela terra, em ações orquestradas por meio da Ouvidoria Agrária Nacional, INCRA e outras instituições do velho Estado. Os mandantes do assassinato do dirigente camponês, Cleomar Rodrigues de Almeida, coordenador político da Liga dos Camponeses Pobres do Norte de Minas e Sul da Bahia assassinato por pistoleiros a mando do latifúndio no dia 22/10/2014 continuam impunes e o latifúndio segue matando aqueles que lutam pelo sagrado direito à terra para quem nela trabalha, como fica evidente com o assassinato de José Antônio dos Santos, executado por bando armado comandado por ex-policiais em Rondônia no dia 27/01/2015.

Liberdade imediata para Igor Mendes e todos os presos políticos da cidade e do campo!

Cleomar Vive! Morte ao latifúndio! 

 

novo 2
 
Avaliação do Usuário: / 2
PiorMelhor 
Sex, 30 de Janeiro de 2015 Movimento Estudantil

corte educao dilma

No primeiro dia de 2015, durante o seu discurso de posse, Dilma Rousseff (PT) lançou o demagógico lema de seu segundo mandato: “Brasil, Pátria Educadora”.  Vindo da principal representante de um partido que aprofundou a política de sucateamento e privatização do ensino público no país, não é de se estranhar que, passada apenas uma semana, o gerenciamento federal anunciasse o  corte R$ 7,042 bilhões do orçamento do Ministério da Educação. É importante lembrar que os cortes no investimento na educação não são a exceção para o gerenciamento petista, mas sim a regra. Entre os anos de 2010 e 2011 o gerenciamento petista realizou três cortes no orçamento para o ensino público, perfazendo um total de 5 bilhões de reais, dinheiro entregue aos seus companheiros banqueiros e do agronegócio e, é claro, aos magnatas e construtoras durante a farra da Fifa no ano passado.

 

  A vaca tossiu e Dilma Rousseff corta direitos trabalhistas

 
Avaliação do Usuário: / 1
PiorMelhor 
Ter, 27 de Janeiro de 2015 Movimento Estudantil

Dezenas de manifestações são realizadas, desde o início do ano, contra o aumento das passagens e pelo passe-livre em várias capitais e cidades médias por todo o país. Em São Paulo e no Rio de Janeiro, as manifestações levantam a bandeira da libertação de todos os presos políticos da cidade e do campo. Já são dezenas de manifestantes presos por todo o país neste mês de janeiro, particularmente em São Paulo, onde a repressão policial às justas manifestações populares contra o aumento das passagens foi o estopim para o início das grandes jornadas de luta de junho/julho de 2013. 

 
Sex, 09 de Janeiro de 2015 Movimento Estudantil

 

 

00igor

 

At the January 3rd completed a month of the arrest of Igor Mendes, activist from Student Revolutionary People’s Movement – MEPR and from People’s Independent Front of Rio de Janeiro – FIP/RJ. Igor Mendes was arrested for his participation in popular protests against Fifa’s spree and he’s one of twenty-three activists politically persecuted at Rio de Janeiro, accused of armed gang formation for exercising their right of free of speech and manifestation. Igor Mendes and other political prisoners and persecuted from management Cabral/Pezão/Paes (PMDB) and Dilma Rousseff (PT). Recently, documents published by the monopolies of communication means exposes the existence of thousands of messages send between Military Police (PM) officers in a group on WhatsApp in between December of 2013 and January of 2014. In these messages the practice of physical aggression of demonstrators is assumed and defended. Fabio Almeida de Souza, then lieutenant colonel, who commanded police repression of demonstrations during struggle journeys of June/July of 2013 at Rio de Janeiro, is the author of unnumbered of these messages, many of which making apology of nazism. Was Fabio Almeida punished? On the contrary. He was promoted “by earning” last December 25th to colonel, the biggest post of Military Police.

 
Avaliação do Usuário: / 3
PiorMelhor 
Qui, 08 de Janeiro de 2015 Movimento Estudantil

00igor  


No dia 03 de janeiro completou-se um mês da prisão de Igor Mendes, ativista do Movimento Estudantil Popular Revolucionário – MEPR e da Frente Independente Popular do Rio de Janeiro – FIP/RJ. Igor Mendes foi preso pela sua participação em protestos populares contra a farra da Fifa e é um dos vinte e três ativistas perseguidos políticos na cidade do Rio de Janeiro, acusados de formação de quadrilha armada por exercerem seu direito à livre expressão e manifestação. Igor Mendes e os demais ativistas são perseguidos e presos políticos dos gerenciamentos de Cabral/Pezão/Paes (PMDB) e Dilma Rousseff (PT). Recentemente, documentos divulgados pelos monopólios dos meios de comunicação expõem a existência de milhares de mensagens trocadas entre oficiais da PM num grupo que se comunicava via WhatsApp entre dezembro de 2013 e janeiro de 2014, nas mensagens a pratica de agressão física aos manifestantes é assumida e defendida. O então tenen­te­-coronel Fábio Almeida de Souza, que comandava a repressão policial as manifestações durante as jornadas de luta de junho/julho de 2013 no Rio de Janeiro, é o autor de inúmeras destas mensagens, muitas das quais fazendo apologia ao nazismo. Fábio Almeida foi punido? Pelo contrário. Foi promovido “por merecimento” no último dia 25 de dezembro ao posto de coronel, o maior da Polícia Militar.