gototopgototop
Movimento Estudantil
Ter, 30 de Junho de 2015 Movimento Estudantil

 com informações de http://www.andes.org.br/ 

Na Ufpa, Universidade Federal do Pará, os cortes chegarão a quase R$50 milhões no ano de 2015. Segundo o próprio reitor, com os cortes no orçamento de capital, não será construído nenhum prédio novo na instituição, o reitor afirmou ainda que os cortes comprometeram os gastos com segurança, energia elétrica, limpeza e combustível.

Na Unifesp, Universidade Federal de São Paulo, segundo nota da reitora, o corte representa uma redução de R$ 25 milhões em investimentos em projetos, obras, acervos, equipamentos e mobiliário, entre outros bens de capital da universidade. A instituição ressalta que o orçamento, sem cortes, já era insuficiente para a manutenção da instituição.A reitoria diz que as universidades federais, entre elas a Unifesp, realizaram nos últimos anos uma "enorme expansão de vagas" estimuladas pelo governo federal. Essa expansão, no entanto, afirma a Unifesp ocorreu "sem o planejamento e o investimento em infraestrutura à altura dessa ampliação, além da necessária modernização e regularização de nosso patrimônio construído". Crimes premeditados pelo REUNI, incansavelmente denunciados pelo movimento estudantil desde a imposição do Programa, via decreto.

Na Universidade Federal da Bahia (Ufba) o contingenciamento de mais de 40% das verbas repassadas para a instituição, aliado a um déficit de R$ 28 milhões relacionados a débitos de 2014,  levou a reitoria a promover um Ato Público em Defesa da Educação no dia 25 de maio.

PREPARAR A GREVE GERAL CONTRA A "PÁTRIA DA EDUCAÇÃO"

DE DILMA ROUSSEFF (PT)!

 

 
Ter, 30 de Junho de 2015 Movimento Estudantil

kroton Tudo indica que, no "que se refere" aos lucros dos tubarões do ensino privado, não há nem haverá crise, sequer uma "marolinha".

 

Somente no primeiro trimestre de 2015, o Grupo Kroton, maior empresa de ensino superior do mundo, que tem quase 60% dos seus alunos presenciais matriculados pelo Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) mantido pelo governo federal, apresentou lucro líquido de R$ 455 milhões.

 

Este verdadeiro monstro devorador de verbas públicas está sendo muito bem alimentado pela gerenta Dilma (PT). Desde o iníco do primeiro mandato da Sra. Dilma Mãos de Tesoura em 2010, o governo federal já repassou para os monopólios do ensino privado, por meio do FIES, mais de de R$ 30 bilhões, boa parte dos quais foi vorazmente abocanhados pelo Kroton.

 

Apenas para se ter uma idéia de como "nunca na história deste país" os tubarões do ensino de estimação petista foram tão bem tratados, em todo o ano de 2014, o investimento, em todas as Instituições Federais de Ensino (Ife) somadas, não ultrapassou os R$ 2,59 bilhões! 

 
Ter, 30 de Junho de 2015 Movimento Estudantil

 

A "Pátria Educadora" da gerentona Rousseff (PT) anuncia novas ameaças, agora contra programas educacionais vinculados à Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes). 

 

Segundo o Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior - ANDES-SN, os cortes de verbas para a Capes podem chegar a R$ 785 milhões, ameaçando de extinção programas como o Pibid - Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (Pibid) do Governo Federal, que concede mais de 90 mil bolsas estudantis por todo o país.

 

Manifestações contrárias ao corte de verbas no Pibid já ocorrem por todo o país, levando à CAPES a negar o corte de bolsas, usando da mesma enrolação com que o governo têm imposto aos estudantes a interrupção do finaciamento estudantil pelo FIES. 

 

Este é mais um medida dos pacotaços do gerenciamento da frente oportunista e eleitoreira encabeçada por Dilma Rousseff (PT), em sua cruzada contra o nosso direito de estudar e aprender!

 

Está a cada dia mais evidente a necessidade de fortalecer o movimento estudantil independente e combativo, em unidade com a luta dos professores e de todo o povo, na preparação da Greve Geral em defesa da escola e universidades públicas!

 

                                             

Pelo direito de estudar e aprender:

OUSAR LUTAR, OUSAR VENCER!

 

 
Ter, 23 de Junho de 2015 Movimento Estudantil

Notícias boas para todas(os) que lutaram pela liberdade dos ativistas Igor Mendes, Elisa Quadros e Karlayne Moraes: foi concedida medida liminar para soltura imediata de Igor e cancelamento do mandado de prisão para Elisa e Karlayne! Nas próximas horas, o companheiro Igor deverá ser liberado do complexo penitenciário de Bangu.

 

11061707_368175900058431_375326542816294915_n

 

Viva a juventude combatente!
Abaixo o fascismo!
Lutar não é crime!
Liberdade para Rafael Braga!

REBELAR-SE É JUSTO!

 
Avaliação do Usuário: / 1
PiorMelhor 
Sáb, 20 de Junho de 2015 Movimento Estudantil

 

enterro vieiralves

Estudantes dos cursos de Artes e História realizaram, no dia 16/06, uma intervenção artística simbolizando o enterro de  Ricardo Vieiralves. O ato tinha como objetivo expor à sociedade universitária as demandas do corpo discente da UERJ. A manifestação denunciava a criminalização orquestrada pela Reitoria contra o movimento estudantil e a falta de democracia na universidade. Durante a encenação, que teve grande repercussão chamando a atenção dos que passavam pelo hall da universidade, membros da Comissão de Mobilização Estudantil distribuíam panfletos contendo as proposições do movimento e o calendário de atividades da semana.

Abaixo a criminalização do movimento estudantil!

Fora Vieiralves!

 
Sáb, 20 de Junho de 2015 Movimento Estudantil

Com informações de DCE/USP: http://www.dceusp.org.br/2015/06/reitoria-criminaliza-representantes-discentes-zago-quer-repetir-a-persegcao-politica-da-era-rodas/

“Na semana passada três representantes discentes (RD) e diretores do DCE, Danilo Santos (EEFE), Marcela Carbone (ECA) e Vanessa Couto (FSP) receberam um documento da reitoria que continha um processo administrativo contra estes. No documento, alega-se que a(o)s RDs haviam, na sessão do Conselho Universitário (CO) do dia 07.04, interrompido professores e o reitor em voz alta, gritando por mais democracia e contra o autoritarismo, impedindo que a sessão prosseguisse e, obrigando Zago a encerrar a sessão [...].

Primeiramente gostaríamos de colocar o que de fato ocorreu no Conselho Universitário do dia 07.04. Este foi chamado para debater a formação de uma nova estatuinte para a universidade a partir das discussões feitas ano passado de uma forma atropelada e antidemocrática pela reitoria. Não havia, ali, a discussão sobre a bandeira histórica do movimento, uma estatuinte livre, democrática e soberana, a ser elaborada num congresso da universidade, com professores, funcionários e estudantes[...].

A postura de perseguição política dos reitores não é novidade na USP, Rodas fez isso durante toda a sua administração e Zago, que nos primeiros momentos dizia que ia retirar os processos, demonstra que desistiu dessa ideia e resolveu adotar a mesma postura de seu antecessor [...].

Infelizmente, para além dos estudantes, há também funcionários sendo criminalizados e perseguidos. Zago, por meio dos processos, está tentando enfraquecer o movimento estudantil e dos trabalhadores que o derrotou ano passado, e assim entra na rota de Geraldo Alckimin e vários outros governos que criminalizam a juventude e os trabalhadores por lutarem, num momento em que o país todo vive um cenário de muitas mobilizações contra os cortes de direitos. O movimento estudantil e sindical da USP conhece esse método, pois o enfrentou e combateu fortemente durante a ditadura; e se lá não se deixou ser derrotado não é aqui que será. [...].

Afirmamos que para nós do DCE da USP esse processo é inaceitável, faremos a luta necessária para o processo não ir adiante e não criminalizar os nossos representantes discentes eleitos pelos estudantes. Vamos denunciar esse caso absurdo e queremos fazer um chamado para todos os centros acadêmicos, DCEs, sindicatos, coletivos, entidades a nos apoiarem nessa luta contra a criminalização dos movimentos[...].”

 
Qua, 17 de Junho de 2015 Movimento Estudantil

 

IGOR MENDES - 


Rio, 04 de Junho de 2015- 183 dias de detenção:

 

[Para Tribuna da Imprensa online]

[Para campanha dos presos políticos em geral]

As idas em vindas do Fórum são das lembranças mais duras da experiência da prisão até aqui. Como eu estava, durante todo o período das audiências, sem visitas dos meus familiares (a carteira de visitação do meu pai só ficou pronta passados cem dias da minha detenção), vê-los, bem como às companheiras e aos companheiros, era um grande alento, mas mesmo assim contraditório: podia olhá-los, trocar alguns acenos, mas sem jamais manter qualquer contato físico, de modo que tinha constantemente a sensação, esquisita, de estar num aquário. Além disso, todo aquele ambiente limpíssimo, organizadíssimo, de pessoas “respeitáveis” e bem vestidas contrastava tanto com nossa condição dos detentos, com o tratamento hostil recebido no traslado do presídio até o Fórum, com a miséria de tudo que cerca o sistema penitenciário, que esse contraste revoltava, e revoltava a ponto de doer.

 

 
Ter, 16 de Junho de 2015 Movimento Estudantil

Seguindo a linha da porca matéria publicada no último dia 02/06 pelo jornal “O GLOBO”, mais uma vez, o REItor Vieiralves (PT), capacho de Pezão/Cabral(PMDB), ameaça o direito democrático à livre organização estudantil na UERJ, agora por meio de processos administrativos. Uma reunião da Comissão Permanente de Legislação e Normas do Conselho Universitário está marcada para o próximo dia 17/06, quando serão apresentados os nomes dos estudantes a serem processados por participarem da manifestação em apoio à favela Metrô-Mangueira no dia 28/05.

charge

 
Ter, 16 de Junho de 2015 Movimento Estudantil

Os estudantes da UFRJ estão em greve. Mais de mil estudantes estiveram presentes na assembleia onde aprovação da greve e das pautas foram unânimes. A greve está forte com a paralisação de diversos cursos e a realização de diversas atividades e atos. Esta carta é um chamado para que todo o movimento estudantil do país se levante contra os cortes de verbas na educação, as péssimas condições de estudo e os ataques aos direitos da juventude.


O ajuste fiscal do governo Dilma tem como alvo os direitos dos trabalhadores e da juventude. O corte de 9,5 bilhões de reais da educação aprofunda a situação deplorável das universidades. São trabalhadores terceirizados sem salários e estudantes sem assistência estudantil. Quem sofre são os estudantes pobres e negros que não tem garantia de se formar pela falta de políticas de assistência e permanência estudantil. Que “Pátria Educadora” é essa?

ufrj_assembleia

Junto com isso o governo do PT e seus aliados aprovaram as MP’s que atacam o seguro-desemprego e outros direitos trabalhistas (664 e 665). Elas atingem diretamente quem está entrando no mercado de trabalho. Na retirada de direitos, o governo do PT e PMDB tem como aliados o PSDB. Esse partido, por sua vez, defende a aprovação da PL das Terceirizações, que também afeta fortemente os jovens, em especial mulheres, negros e LGBT’s, setores que já sofrem em empregos precários. Enquanto precariza e privatiza a educação, o governo também ataca nossos direitos trabalhistas.

 
Qui, 11 de Junho de 2015 Movimento Estudantil


Na última terça-feira, 9 de Junho, ocorreu na Faculdade de Educação da Universidade Federal de Minas Gerais o debate Pátria Educadora ou Pátria contra a Educação Pública? O debate foi convocado por uma assembleia estudantil na faculdade e contou com a participação do Professor Luis Carlos de Freitas da UNICAMP e da Professora Savana Diniz da FaE/UFMG. Neste dia, foi discutido o documento Pátria Educadora (homônimo do slogan demagógico anunciado no início do ano pela atual gerência de turno) publicado pela Secretaria de Assuntos Estratégicos da gerência oportunista de Dilma Rousseff (PT/PMDB/PSB/Pecedobê), que serviria de base para a aplicação do Plano Nacional de Educação.

DebateUFMG

O Professor Freitas (cuja análise de dito documento também se encontra no site: http://avaliacaoeducacional.com/2015/04/23/patria-educadora-i/) expôs que, na sua interpretação, o documento está baseado em três conceitos: responsabilização vertical, meritocracia e privatização e aponta que sua concepção foi orientada pelos "reformadores empresariais da educação" (verdadeiros garotos de recados do FMI), para os quais o sistema educacional estadunidense serve como símbolo e inspiração. Segundo o Professor, a implementação da lógica desse documento aprofundará ainda mais a segregação existente no sistema educacional brasileiro, no qual a grande maioria dos filhos do povo são privados de seu direito de estudar e aprender, ficando alheios aos conhecimentos científicos desenvolvidos pela humanidade, enquanto sua formação é centrada, cada vez mais, apenas em habilidades de escrita e matemática. A Professora Savana ainda apontou o Plano Diretor de 1995, que já anunciava a implementação dessa mesma lógica como a demanda para o sistema educaional brasileiro, dentre outras colocações importantes.

 
Mais Artigos...