gototopgototop
Movimento Estudantil
Avaliação do Usuário: / 6
PiorMelhor 
Qui, 11 de Dezembro de 2014 Movimento Estudantil

O militante do Movimento Estudantil Popular Revolucionário e da Frente Independente Popular - RJ Igor Mendes, estudante de geografia da UERJ e integrante do Coletivo Inimigos do REI - que disputa a eleição para o DCE da UERJ, se encontra hoje encarcerado nas masmorras do velho Estado. Igor Mendes é preso político em São Gonçalo, e divide cela com outros presos. Porém, se a reação acreditou que a prisão do nosso companheiro iria nos intimidar ou pior, intimidar a ele, não poderiam estar mais enganados!

Na primeira oportunidade que teve, Igor  logo tratou de passar uma mensagem aos companheiros: "Levantem a cabeça e não se deixem abater pela perseguição deste Estado Fascista!" e quando foi colocado num camburão para ser transferido bradou altivamente: "Não passarão, não passarão!" A atitude do nosso companheiro no cárcere demonstra um compromisso ideológico com massas oprimidas do nosso país e de todo o mundo e serve como grande exemplo da postura de um verdadeiro revolucionário, mesmo quando se encontra em situações das mais adversas.

Fora a privação da liberdade, fruto de uma campanha podre de perseguição aos lutadores do povo, o Estado Fascista ataca de todas as formas. Assim como é "procedimento padrão para presos comuns", os trogloditas do sistema carcerário acharam que teriam facilidade para raspar a cabeça dele, numa primeira tentativa de desmoralizar o companheiro. Igor resistiu bravamente, e só o diretor da prisão já sentindo a pressão da campanha organizada nas ruas pela libertação do companheiro, impediu que ele fosse espancado pelos cães que se prestam ao mais vil e perverso ofício dentro das jaulas de destruição de homens.

Quando dentro da cela, nosso companheiro travou dura luta para ter acesso a livros e com o apoio dos seus companheiro de cela, conseguiu que todos tivessem acesso à biblioteca. Igor tem se ligado ativamente às massas encarceradas, organizando inclusive um sistema de rodízio entre os presos para a limpeza da cela. Essas informações foram passadas pela equipe de advogados que acompanha o companheiro, que reforçou também a mensagem passada antes. Mesmo num momento de dificuldade, Igor Mendes tem ciência do caráter desse Estado e de sua prisão e sabe que somente uma grande e combativa campanha do lado de fora e a discpilina associada ao mais alto espírito de se ligar às massas e servir ao povo de todo coração pode garantir a sua libertação. O Habeas Corpus já foi impetrado e em breve será dado um parecer, porém nem nós e nem o companheiro Igor, assim como amplos setores da sociedade conservam a ilusão de que há qualquer traço de justiça ou imparcialidade nessa apodrecida ordem ou nas engrenagens desse Estado fascista, podre e genocida de burgueses e latifundiários a serviço do imperialismo, principalmente ianque.

Conclamamos todos os progressistas e democratas, estudantes, professores, intelectuais honestos e trabalhadores a se somarem a campanha exigindo a libertação imediata de Igor Mendes e todos os presos políticos e a extinção dos processos!

Liberdade já para Igor Mendes, Caio Silva, Fábio Raposo e Rafael Braga!

Presos políticos: Liberdade já!

Lutar não é crime, vocês vão nos pagar!

 
Qui, 11 de Dezembro de 2014 Movimento Estudantil

Ocorreu no dia 10/12, em frente à Universidade Estadual do Rio de Janeiro, um ato organizado combativo pelos trabalhadores de limpeza terceirizados pela UERJ. O ato contra o atraso dos pagamentos e a precarização das condições de trabalho recebeu amplo apoio dos setores estudantis mais avançados da universidade.

A entreda principal da UERJ ficou desde a manhã desta quarta-feira última coberta com o lixo jogado pelos trabalhadores em greve, como forma de denunciar o atraso dos salários, no lado de dentro da universidade, pilhas de lixo se acumulam nas lixeiras, nos cantos das paredes e no chão. A situação é tão crítica que a REItoria ordenou que trabalhadores terceirizados de outros setores cumprissem minimamente as funções de limpeza. É o segundo ano consecutivo em que o salário dos trabalhadores de limpeza é retido no mês de dezembro, e a REItoria da UERJ (ligada a PT/Pêcêdobê) é responsável novamente por esse cenário de precarização.

Vários estudantes da UERJ compareceram ao ato portando bandeiras, faixas e cartazes para dar seu apoio aos trabalhadores em greve. Os grevistas demonstraram sua solidariedade, carregando a faixa exigindo a libertação imediata de Igor Mendes, confeccionada pelo Coletivo Inimigos do REI, que está disputando as eleições para o DCE da UERJ, e cantaram palavras de ordem exigindo a libertação de todos os presos políticos. Também os estudantes se solidarizaram aos grevistas com suas palavras de ordem: "Se o meu salário não pagar, na REItoria eu vou entrar!" e "Trabalhador não é otário, quero saber cadê o meu salário!"

O MEPR se solidariza com a luta dos trabalhadores terceirizados da UERJ em estado de greve e rechaça a REItoria da UERJ, fascista e caloteira! Consideramos que é o dever dos estudantes do povo apoiar a justa luta do nosso povo, incluindo a luta dos trabalhadores como segue sendo feito na UERJ. Convocamos também a todos, trabalhadores e estudantes a se solidarizarem com a campanha Liberdade imediata para Igor Mendes e todos os presos políticos! No mesmo dia, à noite, foi realizado no hall de entrada da UERJ um combativo ato em repúdio à prisão do estudante de geografia Igor Mendes,  preso injustamente desde o dia 3 de dezembro.

 

Todo apoio à luta dos terceirizados da UERJ!

Abaixo a REItoria de Vieira Alves: A UERJ não é seu feudo!

LIBERDADE IMEDIATA PARA IGOR MENDES E TODOS OS PRESOS POLÍTICOS!

 
Avaliação do Usuário: / 7
PiorMelhor 
Sex, 05 de Dezembro de 2014 Movimento Estudantil

 

igor melhor

 

Igor Mendes da Silva, estudante de geografia da UERJ, ativista do Movimento Estudantil Popular Revolucionário (MEPR) e da Frente Independente Popular do Rio de Janeiro (FIP-RJ), desde o último dia 03 de dezembro de 2014, encontra-se preso no Complexo Penitenciário de Bangu. O ativista do MEPR e da FIP-RJ foi detido em casa, por volta das 06h30min da manhã, por uma equipe da DRCI [Delegacia de Repressão a Crimes de Informática] cumprindo mandado de prisão preventiva expedido pelo Juiz Flávio Itabaiana da 27ª Vara Criminal da Capital.

 

Na mesma ocasião, foram expedidos mandatos de prisão preventiva contra outros dois ativistas, Elisa Quadros Pinto, conhecida como Sininho e Karlayne Moraes da Silva Pinheiro, tratadas como foragidas pelo podre poder judiciário e o monopólio da imprensa, tendo na cabeça a porta-voz do imperialismo ianque e apoiadora do fascismo de ontem e hoje, Rede Globo.

Igor Mendes é mais um dos incontáveis jovens cariocas a se somar as grandes manifestações populares que, desde as jornadas de luta de junho/julho de 2013, sacodem a capital fluminense contra a farra da Fifa/Olimpíadas, em defesa do ensino, transporte e saúde públicos, contra a violência policial e a ocupação militar das comunidades pobres pelas UPP`s e o Exército Brasileiro.

 

 
Avaliação do Usuário: / 2
PiorMelhor 
Sex, 07 de Novembro de 2014 Movimento Estudantil


cacoal - unirTratado de militante do Movimento Sem Terra (MST), estudante foi agredido por colega nas dependências da Universidade Federal de Rondônia - UNIR, no campus de Cacoal (foto), no Departamento de Direito no dia 03 de novembro último. A agressão ocorreu por volta das 20h10, dentro da sala do 6º período de Direito.

(CPT Rondônia)

A denúncia é do aluno de Direito Welington José Lamburgini, voluntário da equipe da CPT de Cacoal, segundo o qual o colega de aula Raul Melo, "perdeu o próprio autocontrole proferindo xingamentos e calúnias contra minha pessoa em virtude, segundo ele, de eu pertencer ao MST, e que são todos uns terroristas, bandidos, baderneiros, comunistas caviar, incoerentes e outros adjetivos pejorativos". 

 
Qui, 06 de Novembro de 2014 Movimento Estudantil


 

jjulio-cezar-durigan-reitor-unespEm julho de 2013, em meio à onda de manifestações que sacudiram a velha ordem semicolonial no Brasil, os estudantes da UNESP radicalizaram uma greve por melhores condições de acesso e permanência e por democracia naquela universidade, ocupando a reitoria na capital paulista.

 

A resposta do Estado reacionário na época foi a reintegração de posse efetuada pela Tropa de Choque da PM que retirou os estudantes à força e destruiu vários móveis do prédio, utilizando da mesma violência fascista com que tratou o povo e a juventude combatente durante as jornadas de junho/julho de 2013 e a farra da Fifa neste ano.

Passado mais de um ano, no último dia 23 de outubro, a Unesp abriu um processo de sindicância contra 95 estudantes os acusando pelas depredações e que os desligava das suas atividades acadêmicas por 60 dias. No dia 30/10, em reunião do Conselho Universitário, a mobilização dos estudantes conseguiu suspender essa punição até o próximo Conselho que ocorrerá no dia 11 de dezembro.

 
Sex, 31 de Outubro de 2014 Movimento Estudantil

Traduzimos o texto que segue do blog http://dazibaorojo08.blogspot.com.br/, publicado no dia 31 de outubro de 2014.

 

RBC: Semana de denúncia e solidariedade aos estudantes normalistas desaparecidos no Estado de Guerrero, México.

 

guerrero001

 

A Rede de Blogs Comunistas (RBC) solidariza-se com os estudantes normalistas de Guerrero, desaparecidos e provavelmente assassinados pelo Estado mexicano, ainda que a esperança popular faz com que se siga exigindo que sejam libertados vivos. Denunciamos a cruel e selvagem repressão cotidiana contra todo o protesto social e toda a luta contra a injustiça e a desiguldade social por parte do narcoestado capitalista mexicano.

 

Neste sentido, a RBC realizará uma semana em homenagem a luta dos normalistas do estado de Guerrero e de denúncia do ultimo crime contra eles (os 43 assassinatos  no final do mês de setembro) que, lamentavelmente, não é mais do que mais um episódio, ainda que mais noticiado, da constante e criminosa repressão do governo mexicano contra todos aqueles que representem a luta contra a ditadura do capital, a vinculação entre as máfias do governo e a submissão do Estado mexicano aos interesses das grandes multinacionais, especialmente as norte americanas e a oligarquia dos vende pátria locais. 

Começaremos nossa semana de solidariedade e denuncia com o texto enviado por um dos camaradas no México, que fazem parte da RBC, “Sovietofilia”, e que serve de resumo e introdução para buscar explicar a repressão por parte das autoridades mexicanas aliadas com as máfias locais, contra os estudantes das escolas normais rurais  e a repressão contra todo o protesto social.

“Em 26 de setembro de 2014 se levou a cabo uma série de ataques por parte das polícias de Iguala (Estado de Guerrero) contra um grupo de estudantes da Escola Normal Rural “Raúl Isidro Burgos”. Neste aquele morreram três estudantes, um jogador da equipe de futebol de divisões inferiores (Los Avispones) e os tripulantes de um taxi (o motorista e uma passageira).

 

No ultimo ataque, os normalistas estavam tentando promover uma coletiva de imprensa para denunciar os fatos, quando um grupo de homens armados disparou novamente em sua direção, os fazendo fugir. Foi neste momento que 43 estudantes desapareceram (há quem diga que são 44 os desaparecidos).

Quem são os normalistas?

 

 

 
Avaliação do Usuário: / 4
PiorMelhor 
Sex, 31 de Outubro de 2014 Movimento Estudantil

O Companheiro Cleomar Vive!

 

 

cleomar5-333x200No dia 22 de outubro de 2014, o dirigente da Liga dos Camponeses Pobres do Norte de Minas e Sul da Bahia,Cleomar Rodrigues de Almeida, foi covardemente assassinado numa tocaia, na porteira que dá acesso à Área onde estava acampado com 35 famílias, desde 2008, onde trabalhava e vivia. Cleomar foi fuzilado provavelmente por dois pistoleiros, como indica a perícia técnica que comprovou ferimentos por cartucheira calibre 12 e carabina 44.

 O companheiro Cleomar Rodrigues de Almeida foi um dos mais destacados dirigentes da Liga dos Camponeses Pobres do Brasil e era o Coordenador Político da LCP do Norte de Minas e Sul da Bahia. Nasceu em 8 de agosto de 1965, em Pedras deMaria da Cruz, no Norte de Minas às margens do Rio São Francisco. De uma família de camponeses pobres passou a infância na roça.Quando jovem, no início dos anos de 1980, como muitos camponeses, partiu para São Paulo,para trabalhar como operário na construção civil. Lá, casou-se e teve uma filha.
 
Qua, 29 de Outubro de 2014 Movimento Estudantil

México:

 

 

Traduzido de http://dazibaorojo08.blogspot.com.br/2014/10/mexico-comunicado-de-la-comision-civil.html da publicação de 26 de outubro de 2014.

 

 

Um mês de angustia, dor e indignação sem resposta do Estado

 

Neste domingo, 26 de outubro de 2014, se completa um mês da desaparição forçada de 43 estudantes da Escola Normal Rura “Raul Isidro Burgos”, de Ayotzinapa, Guerrero; a execução extrajudicial de outros três: Julio César Ramírez, Daniel Solís Gallardo, Julio César Mondragón e mais vinte estudantes feridos. Esta ação foi executada pelas Polícias Municipais de Iguala e Cocula, Estado de Guerrero, México.

Neste longo mês, as famílias e companheiros dos desaparecidos, em meio à enorme precariedade, começaram a busca com seus escassos recursos e iniciaram uma investigação que o Estado não tem sido capaz de coordenar. Em todo o território nacional, estudantes, cidadãos e cidadãs, mães e pais de família, tem saído de suas casas para exigir a apresentação com vida dos 43 normalistas desaparecidos.

 

 
Qua, 22 de Outubro de 2014 Movimento Estudantil

A repressão não pode deter o avanço da Revolução Agrária!

 

 

...o sangue será uma semente, justiça vamos conquistar,

a história não falha, nós vamos ganhar....

(Conquistar a terra, hino da Revolução Agrária)

 

 

 

A reforma agrária do PT é feita de demagogia e repressão

 

O governo da frente oportunista e eleitoreira encabeçada pelo PT foi quem mais atacou os camponeses pobres, quilombolas e povos indígenas desde o fim do regime militar fascista. Segundo dados da Comissão Pastoral da Terra, somente neste ano, 29 pessoas foram assassinadas em conflitos pela terra, desde 2011 o número chega a 128. A participação de policiais militares, civis e federais junto a grupos de pistoleiros a soldo do latifúndio são uma constante, assim como a expulsão dos povos indígenas de seus territórios ancestrais, o que se aprofundou com a construção das hidrelétricas do PAC na região amazônica, Rio Madeira (RO) e Belo Monte (PA).  

 

Na mesma proporção em que se incrementa a repressão e criminalização da luta pela terra com assassinatos, prisões políticas e ameaças de morte, decrescem as desapropriações para fins de reforma agrária. Ainda segundo a CPT, em balanço sobre a reforma agrária publicado em janeiro do ano passado: o número de famílias assentadas em 2012 atingiu a taxa mais baixa registrada desde 1994 e representou apenas 36% da meta prevista pelo Governo em 2012, que era de 30 mil famílias”. Ou seja, durante os sucessivos gerenciamentos do PT que tanto prometeu para os camponeses pobres e se utilizou destes em suas manobras eleitoreiras, o número de famílias assentadas foi ainda menor do que no governo de FHC/PSDB. 

 
Avaliação do Usuário: / 1
PiorMelhor 
Sáb, 18 de Outubro de 2014 Movimento Estudantil
No ultimo dia 14 de outubro os estudantes da UERJ de maneira altiva e combatente de forma a contribuir e fazer ecoar a altura a revolta de milhares de trabalhadores que são oprimidos diariamente pelo regime fascista instalado no Rio de Janeiro através do seu braço armado que são as UPPS. Os estudantes promoveram uma grande agitação contando com a participação de dezenas de estudantes, movimentos estudantis e CA`s, com faixas, cartazes e palavras de ordem contra a UPP, fazendo com que os dois coronéis que estavam presentes de forma a representar a corporação sentissem ao menos uma vez na vida o que é estar do lado mais fraco. Azedando de maneira cabal a festa dos asseclas de uma das PMS que mais matam no Brasil e no mundo, festa essa que tinha como objetivo promover o livro “Os donos do morro” coordenado pelo dito “sociólogo” e professor da casa Ignácio Cano, ávido colaborador de O Globo é rápido em defender o fascismo aplicado pelos monopólios de imprensa e pelo Estado e em tachar aqueles que ousam lutar contra toda essa canalha com o titulo de fascistas e autoritários, quando na verdade é a ele que este titulo lhe serve tão bem.