gototopgototop

ExNEPe: CARTA ABERTA DA REUNIÃO DA EXECUTIVA NACIONAL DE ESTUDANTES DE PEDAGOGIA

Avaliação do Usuário: / 0
PiorMelhor 

IMPULSIONAR A REBELIÃO ESTUDANTIL!
Preparar a Greve Geral para derrotar a gerência Temer e suas políticas antipovo!


MEPe

Maceió, 04 de dezembro, 2016

“Toda noite tem aurora,
Raios – toda a escuridão.”
(O Século, Castro Alves)

“No meio do caminho uma pedra apareceu,
no meio do caminho uma pedra pareceu ser o caminho.
Pedras são sonhos na mão, voam na imensidão,
ideias que ganham vida e criam asas.”
(Pedras e Sonhos, El Efecto)

 

Nós da Executiva Nacional dos Estudantes de Pedagogia, reunidos em Maceió, capital de Alagoas, terra de Zumbi, Dandara e Ganga Zumba:

Saudamos calorosamente os estudantes e a juventude brasileira em luta!

Saudamos todas as escolas e faculdades ocupadas – pequenos e desafiantes quilombos da juventude combatente!

Saudamos os professores e técnicos em greve, especialmente aqueles que tem apoiado ativamente a luta das ocupações estudantis!

Saudamos a classe operária, os trabalhadores, os camponeses, povos indígenas e quilombolas que estão em luta por todo o nosso país!

Saudamos as estudantes e os estudantes de pedagogia de todo o Brasil que vêm se colocando na linha de frente em defesa de uma educação pública, gratuita e a serviço do povo!

Companheiras e companheiros,

Vivemos momentos históricos! O governo Temer, gerência ilegítima, corrupta, vende-pátria e antipovo prepara um aprofundamento dos ataques aos direitos conquistados com a luta popular. A PEC 55 levará a um sucateamento sem precedentes dos já precários serviços de saúde e educação. A contra-reforma da previdência será um ataque ainda maior aos direitos já adquiridos de nosso povo e uma forma de destinar uma quantidade ainda maior de recursos para o pagamento de juros aos banqueiros dos países imperialistas. Em contraposição a esses ataques, uma poderosa onda de luta estudantil se levantou em todo o Brasil e como primeira vitória política contra o governo Temer forçou o adiamento do Enem para mais de 280 mil estudantes.

Longe de ser um governo forte, capaz de impor sem maiores problemas esses ataques contra o povo, a gerência Temer está se mostrando extremamente frágil. O governo seguramente não terá dificuldades para aprovar a PEC 55 nesse Congresso reacionário e corrupto, mas para eles será impossível aplicá-la. A chamada “PEC da morte” será a morte do governo e não do povo! Afinal essas medidas não solucionam a crise, ao contrário o que provocarão será o seu aprofundamento. Temer está amarrando cordas para se enforcar, pois o povo não aceitará pacificamente essa retirada de direitos.

As lutas por todo o Brasil vão ganhando maior combatividade, massividade e radicalidade. A manifestação de 29 de novembro em Brasília fez o governo Temer tremer! Escudos, pedras, carros virados e coquitéis molotov! Essa é a resposta da juventude combatente aos ataques do governo. O MEC foi ocupado pelos estudantes e o ministro Mendoncinha teve que se refugiar no 8º andar do prédio! É o espírito de 2013 de volta, por isso repetimos o que dissemos naquele ano: “Nada será como antes!”.

As lutas heroicas de 2013, quando a juventude carioca colocou o caveirão do Bope para correr no Rio, quando a juventude mineira fez a cavalaria fugir em debandada, continuaram na histórica ocupação das escolas secundaristas em São Paulo, que derrotou, não nos esqueçamos, derrotou rotundamente a política do reacionário Geraldo Alckmin de fechamento das escolas, essas lutas continuam e se ampliam na avalanche de ocupações por todo o Brasil.

A nossa esperança não está nas próximas eleições farsantes, nossa esperança está na rua, na luta nas cidades, nas tomadas de terras no campo. Será essa luta que derrotará o governo Temer. Os desafios que se colocam para o MEPe é atuar de forma ainda mais ativa nesse processo histórico e a partir dessa luta servir como ponto aglutinador do bloco independente e combativo da luta estudantil universitária de todo o Brasil. É preciso aumentar a organização do MEPe, a mobilização da massa da pedagogia para cumprirmos esse papel. Por isso a realização dos encontros estaduais e a construção dos encontros nacionais (Fonepe em Belo Horizonte, 29, 30/04 e 1º/05; ENEPe em Petrolina, 3ª semana de julho) terá uma grande importância: afinal, 2017 será ainda maior!

Esses encontros devem ser construídos em meio a organização e impulsionamento das lutas. Coloquemos a Pedagogia nessa linha de frente! Façamos do dia 13/12, em Brasília, e nos estados um protesto combativo e vitorioso! O tamanho de nossa vitória não será medido pelo número de senadores que votarão contra a PEC, mas pelo nível de organização e combatividade de nossas manifestações. A hora é de nos preparar! Fortaleçamos as ocupações, mobilizemos os secundaristas e façamos do dia 13 um protesto ainda mais forte. Como dizem os camponeses: a luta vai ser difícil, mas por mais que demore nós vamos triunfar!

Preparar um combativo 13 de dezembro!
Viva o Movimento Estudantil da Pedagogia!
Impulsionar a greve geral em defesa da educação e dos direitos do povo!
Organizar os Encontros Estaduais! Construir os Encontros Nacionais!

 

Celebrações

Facebook

Teses

Jornal A Nova Democracia

FERP (Chile)