gototopgototop

RJ: Estudantes em luta se mobilizam contra o sucateamento da Uerj!

Avaliação do Usuário: / 4
PiorMelhor 

Desde que o reinício das aulas na Universidade Estadual do Rio de Janeiro - Uerj foi decidido de forma autoritária pelo REItor Ruy Garcia e pelo Fórum de Diretores, sem bolsas, sem salários, sem Bilhete Único Universitário e sem bandeijão, assim como sem a menor garantia de que a situação iria melhorar num curto prazo, o movimento estudantil da universidade vem travado importantes lutas em torno da organização dos estudantes na defesa da Uerj. Cartazes, Passagens em turma, Panfletagens e uma Manifestação convocam os estudantes a Combater e Resistir em defesa da Uerj!

Logo no segundo dia de aulas, na terça-feira, dia 11/04, ocorreu a Assembleia dos Estudantes de Pedagogia, onde cerca de 50 alunos puderam se reunir e discutir a mobilização no curso, bem como o atual cenário que se encontra a Uerj. Ao mesmo tempo em que se denunciava o ataque à educação pública, gratuita e que sirva ao povo surgiam propostas para mobilizar os estudantes e fazer com que o movimento estudantil da Pedagogia tomasse novo fôlego.

1

No dia seguinte, 12/04, ocorreria a Assembleia Geral de Estudantes, com a participação de cerca de 200 estudantes. Logo no início da primeira Assembleia após as voltas às aulas militantes do MEPR fizeram uma fala em defesa da vida e da saúde do Presidente Gonzalo, com uma breve exposição de quem é o maior marxista-leninista-maoísta vivente sobre a terra e sua importância para Guerra Popular que se desenvolve no Peru.

No decorrer da Assembleia, pode-se notar um clima de muita insatisfação e a expectativa de grandes ações através de mobilizações e manifestações como formas de exigir da REItoria e do “governo” de Pezão as bolsas atrasadas, o restaurante universitário, a volta do Bilhete Único Universitário para que todos os estudantes tenham, minimamente, condições de frequentar a Uerj. Foi frisado que não bastam notas de repúdio, discussões somente entre os presentes na Assembleia sobre a grave situação da universidade, mas que o único meio de garantir o funcionamento da Uerj é mobilizando os estudantes e organizando as lutas concretas dos estudantes!

4

 

 

Após esta importante discussão, a ideia de que é necessário mobilizar a massa dos estudantes e lutar decididamente em defesa do ensino público, numa luta independente e combativa, foi compravada na prática. Foi quando a mesa, presidida pelo DCE (UNE/UJS), tirou o foco da organização de lutas concretas e iniciou discussões intermináveis sobre questões secundárias - a Assembleia chegou a ficar 10 minutos parada para as correntes oportunistas-eleitoreiras conversarem entre si e chegar a um “consenso”!

Feita por aqueles que, frente ao crescente ânimo de luta de parcelas cada vez mais numerosas de estudantes independentes, já não têm outra saída que não seja o boicote aberto à luta, esta manobra afetou o decorrer da Assembleia. Muitos estudantes saíram antes do final da Assembleia, não por não quererem lutar, mas por não se sentirem representados pela mesma pelegada que há anos vive encastelada no DCE e não organiza nenhuma luta!

Esta questão, a de se denúnciar e combater o movimento estudantil oportunista-eleitoreiro e suas velhas práticas que não servem à luta, deve ser entendida pelo conjunto dos estudantes em luta. No atual momento de ataques profundos à educação não cabem conversas às escondidas, conchavos e traições! Devemos usar todo o tempo disponível na universidade para a luta. Mobilizando os estudantes, passando em salas, discutindo a organização de lutas concretas para barrar o sucateamento da Uerj e para defender os nossos direitos!

Apesar do oportunismo-eleitoreiro, foi tirado um calendário de luta, que contou com panfletagens para mobilização e uma Manifestação em Defesa da Uerj. Os estudantes que queriam fazer luta se comprometeram a levar a cabo o calendário tirado em assembleia.

2 3

Na Segunda-Feira, dia 17/04, foram realizadas passagens em turmas nos cursos de Pedagogia, Ciências Sociais, História, Geografia, Geologia para realizar uma denúncia da situação da Uerj e também para fazer um chamado que os estudantes se somassem ao Ato do dia seguinte. Também foram colados dezenas de cartazes com o convite do ato e distribuídos centenas de panfletos.

No dia do ato, os Estudantes em luta fizeram o convite aos professores e técnicos, reunidos em assembleias gerais, para que estes se somassem na manifestação, que seria realizada desde o 12º andar até a REItoria.

Ao fim da tarde, cerca de 40 estudantes se reuniram no 12º andar com suas faixas, bandeiras, megafones e disposição de levar a cabo mais uma atividade em defesa da Uerj. Após uma breve conversa sobre os rumos da manifestação os estudantes em luta puderam derrota certo desânimo provocado pelo baixo número de estudantes que por ora estão participando das lutas e por uma posição surgida de que não valeria a pena fazer um ato com número reduzido de estudantes. Ora, seria ilusão acharmos que toda luta será sempre, em todos os momentos, incorporada por muitas pessoas. Neste sentido, seria oportunismo sacrificar todo o trabalho que tivemos, desde a assembleia até passagens em turma e divulgação do ato, porque “poucas pessoas compareceram”.

Com ânimo de luta, os cerca de 40 estudantes saíram em ato! Percorrendo as rampas de todos os andares, convocando os estudantes a somarem-se no ato em defesa da Uerj e entoando palavras de ordens como: “Ô Reitoria preste atenção: se não tiver salário vai ter rebelião!/ “Fora Temer e sua quadrilha! Educação não é mercadoria!”/ “Cadê as bolsas e o bandeijão? Crise na Uerj é REItoria e Pezão!”/ “Terceirizado tá sem salário, não é emprego, isso é trabalho escravo!”,a manifestação pode repercutir a posição de que somente com luta os estudantes irão garantir o funcionamento da Universidade!

Após percorrer alguns andares, mais e mais estudantes se uniram ao ato. Em certo momento terceirizados fizeram uma pausa no seu serviço e comemoram a manifestação dos estudantes e o apoio prestado a sua grave situação.

Chegando até REItoria, os estudantes encerraram o ato fazendo novo chamado para dar continuidade a luta em defesa da Uerj e divulgaram a próxima assembleia geral de estudantes no dia 25/04, as 18 horas.

reinicio-page-001

Sem salários, sem bolsas, sem bandeijão: Vai ter Rebelião!

Rebelar-se é Justo!

 

RVI

Celebrações

Teses

Facebook

Jornal A Nova Democracia

FERP (Chile)