gototopgototop

NOTA - Lutar pela redução da tarifa é um direito!

Avaliação do Usuário: / 0
PiorMelhor 

Lutar pela redução da tarifa é um direito

Manifestantes exigem queda da tarifa de ônibus em Porto Velho.

Porto Velho, 30 de junho de 2013.

No dia 26 de junho manifestantes em sua maioria estudantes universitários, secundaristas e apoiadores realizaram uma manifestação que percorreu as ruas do centro de Porto Velho e que se concentrou em frente a prefeitura para exigir a redução do preço da tarifa de ônibus da capital de Rondônia.

Frente de Luta Popular - FLP O transporte público em Porto Velho é um dos mais caros do Brasil e também um dos piores em termos de qualidade de serviços prestados. Os usuários tem que conviver com ônibus lotados, poucas linhas, falta de ar condicionado, falta de terminais de integração, ônibus sucateados etc.

Portanto a luta pelo passe livre e por melhores condições de transporte é uma demanda antiga da população em especial dos estudantes que necessitam deste serviço o ano todo.

O MEPR sempre atuou nesta luta organizando os estudantes nas escolas e na universidade para exigirem seus direitos pisoteados pelas sucessivas administrações municipais que sempre defendem os interesses do monopólio das empresas do transporte e nunca os do povo.

 

Policia Militar ataca Universidade Federal e manifestantes

PMRO Na manifestação do dia 26 os estudantes que compõem a Frente Popular de Lutas após se retirarem do ato em frente a prefeitura se deslocaram para a reitoria da Unir para discutir novas manifestações. Até que foram surpreendidos com o ataque da COE que chegou atirando bombas de gás lacrimogêneo e de efeito moral no prédio da reitoria e também atacaram o mercado cultural onde se encontravam várias pessoas inclusive crianças. Vários manifestantes foram atingidos por balas de borracha. Nós do MEPR repudiamos os ataques covardes da Policia Militar ao prédio da reitoria da UNIR e a todos os que participavam na manifestação. 

pm_corumbiara_usrobranco Estes acontecimentos remontam aos piores dias do gerenciamento militar de nosso país com ataques ao direito da liberdade, de manifestação e o direito de reunião. Conhecemos bem a história da PM de Rondônia e sua participação no massacre de camponeses como em Corumbiara a mando dos latifundiários e do então governador Raupp (PMDB), no massacre de presos do Urso Branco no governo Bianco (PFL) e da sua ação truculenta contra a juventude nos bairros pobres da capital.

É a mesma PM que reprimiu mototaxistas e vendedores ambulantes a mando do chefe de quadrilha Roberto Sobrinho (PT). A mesma PM que atuou na repressão violenta contra os operários em greve de Jirau e Santo Antônio a mando dos governos Dilma (PT) e Confúcio (PMDB). A mesma PM que atuou no despejos de famílias sem teto na atual administração de Mauro Nazif (PSB). Esta é a lógica da PM de Rondônia servir e proteger os interesses dos grandes empresários, grandes latifundiários e seus partidos políticos eleitoreiros. Nunca atuarão contra tal lógica.

 

Imprensa vendida criminaliza a luta dos estudantes 

manf_01_4 No dia 27 o jornalista Paulo Andreoli publicou matéria sensacionalista no site rondoniaovivo onde acusa o MEPR de iniciar a violência contra a PM. O jornalista propositalmente altera os fatos para justificar a violência da PM contra os manifestantes. Se fosse sincero e pesquisasse um pouquinho antes de escrever saberia que foi justamente o contrário. A ação truculenta da COE é que causou indignação e foi o estopim pra a revolta dos manifestantes que se defenderam como podiam de uma tropa armada até os dentes.

O site Rondoniaovivo seguiu publicando matérias sensacionalistas para confundir a opinião publica. Tem sido assim a atuação de vários sites e TV desde o inicio das manifestações em Porto Velho. De inicio fizeram coro com a imprensa nacional quando das primeiras manifestações tratando de atacar raivosamente. Logo com a explosão das manifestações pelo país, e a mudança de opinião dos grandes monopólios de comunicação eles também mudaram o tom e passaram a ser os maiores “defensores da democracia”.

violenciaestado Mas quem conhece o papel dos monopólios de comunicação em Rondônia sabe que atuam também segundo interesses políticos e dos grupos econômicos que representam. Rondoniaovivo e a maioria dos sites vivem de farta verba pública injetada pelo governo estadual, Assembléia Legislativa e prefeitura. Em suas páginas que chamam de jornalismo se dedicam a reproduzir boletins policiais, exaltação de políticos e suas máfias e despejam sua raiva contra qualquer luta do povo que ameace seus interesses e principalmente daqueles que os pagam.

É interessante ver como o “movimento” Vemprarua consegue dispor de um espaço tão grande nas páginas dos sites, emissoras de TV etc. Porque esta imprensa que se diz tão democrática não dispõem o mesmo tempo para falar das torturas e prisões contra os grevistas de Jirau, dos assassinatos de camponeses e povos indígenas a mando de latifundiários, do arrocho salarial contra o funcionalismo público e dos bilhões gastos nas obras da Copa enquanto o povo padece por falta de hospitais, escolas sucateadas e falta de moradias?

 

Quem representa o Vemprarua?

rebelarse_justo Os representantes do movimento Vemprarua falam de apartidarismo e democracia, mas defendem interesses escusos e são autoritários com qualquer manifestante que não concorde com suas posições e seus métodos. Eles mesmos participaram de reuniões onde foram discutidas e aprovadas pela maioria dos participantes várias questões de organização dos primeiros atos. Descumpriram todas as decisões e fugiram do debate.

São apresentados oficialmente como líderes das manifestações sem terem sido escolhidos pelos manifestantes. Chegaram a dizer que o MEPR não os representa, e isso gostaríamos de reafirmar com todas as letras, não mesmo! Sabemos quem representa vocês: os latifundiários e grandes empresários e seus políticos de olho nas próximas eleições. Talvez por isso sejam tão apoiados pelo monopólio de comunicação e pelo comando da PM.

O MEPR está comprometido com os interesses do povo trabalhador, operários, camponeses pobres, estudantes, professores, pequenos e médios comerciantes e trabalhadores em geral. Os verdadeiros democratas, estudantes, intelectuais viram desde o inicio como por trás das manifestações do vem pra rua estavam interesses de distintos grupos políticos e econômicos. Somos contra eleições e contra qualquer tipo de oportunista e carreirista que tente se promover à custa da luta do povo.

 

A luta vai continuar: Se a tarifa não baixar o pau vai quebrar!

Dia 16, fechamento da Av. Jorge Teixeira em Porto Velho-RO Pressionado pela onda de protestos, o governo federal concedeu recentemente um abono de 7% nos impostos das empresas de transporte público em todo o Brasil. Após isso, várias capitais reduziram o preço da tarifa. Em Porto Velho não pode ser diferente.

Convocamos todos os estudantes das escolas secundaristas e universitários a engrossar ainda mais a luta pela redução da tarifa de ônibus. Em outras capitais os estudantes só conseguiram êxito nesta luta graças a radicalização, massividade e mobilização constante. Os ataques que temos sofrido por parte da policia, imprensa e políticos são por que temem nossa organização independente e combativa.

Convocamos também a toda população de Porto Velho, principalmente a dos bairros de periferia que é quem mais sofre com a precariedade do transporte público que apóie e participe desta luta.


manf_01

Viva a justa rebeldia da juventude de Porto Velho!

Exigimos a redução imediata da tarifa de ônibus!

Exigimos melhoria imediata do transporte público!

Fora COPA! Fora Aldo Rebelo (PCdoB)! Ministro da FIFA!

 

Movimento Estudantil Popular Revolucionário – MEPR

 

RVI

Celebrações

Teses

Vitoriosa Greve na UNIR

Facebook

Jornal A Nova Democracia

FERP (Chile)